segunda-feira, 30 de novembro de 2009

edição Please Please LP em Stereo no Ebay


Um rara edição em LP Please Please Me em Stereo e Black and Gold Label Parlophone está sendo vendido no Ebay.esta é a versão STEREO dos raros The Beatles First UK Album, considerado o mais procurado álbum dos Beatles de todos os tempos em UK. Com apenas 900 discos que relataram ter sido pressionados, só podemos imaginar quantas pessoas tem realmente hoje, certamente muito poucos neste surpreendente, bem cuidada condição, e se isso não bastasse, adicionando a conveniência, a qualidade do som deste álbum é nada menos que SUPERB. Please Please Me foi o álbum de estréia de Reino Unido. Houve, obviamente, muito interesse a partir da base de fãs cada vez maior para ouvir o primeiro álbum dos Beatles. A maioria foram repassados em partes, exaustivamente apreciado e, portanto, muitos tornaram-se bastante danificada - mas não esta - e podemos dizer honestamente que este é um dos exemplos mais sensacional para ter vindo no mercado aberto nos últimos anos.

Detalhes do Álbum:

Este raro STEREO LP em vinil é a própria primeira prensagem lançado no Reino Unido em 22 de Março de 1963, com Phenomenal BLACK GOLD PARLOPHONE Print Label, com o James Dick créditos Music Publishing para as faixas Please Please Me, I Saw Her Standing There, Misery, Do You Want to Know a Secret e There's a Place.Preço Fixo:Aproximadamente US $19,128.40

fonte:http://cgi.ebay.com/ws/eBayISAPI.dll?ViewItem&item=130339388179 mais informações e fotos do LP.

Colaboração:Fábio Be@tle colecionador

DJ Mike Read é forçado a vender sua rara coleção de Beatles


O DJ Mike Read está vendendo sua valiosa colecção de 120.000 vinis, com discos raros dos Beatles, depois de ter sido declarado falido.Com 62 anos,que também apresentava o Top Of The Pops, precisava vender depois que ele entrou no vermelho no início deste ano devido impostos não pagos.Os especialistas estimam que vale pelo menos £1 milhão.
A coleção inclui um carretel de Sir Paul McCartney de áudio, discos oficiais dos Beatles e um disco demo de John Lennon, Whatever Gets You Through The Night. Um conjunto de caixas promocionais de nove discos de Sir Paul McCartney e uma fotografia autografada da estrela também vai a leilão na segunda-feira.
"A coleção está repleta de discos valiosos. Não haverá uma banda de Liverpool que não esteja representada por artistas utilizados para enviar-lhe os seus demos."É uma vergonha que ele tem que vender sua coleção, mas ele precisa ser vendido. Verdadeiros fãs de música não vão ter outra oportunidade de adquirir peças como estas. "No entanto, o que fará se destacar são as raridades, os discos promo, acetatos e artigos assinados".
A venda começa às 11am, no Leilão de Chiswick House, em Londres no dia 30 de novembro.Você pode dar o seu lance no telefone (0) 20 8992 4442 ou pela internet the auction web site .

Lembrando George Harrison


Navegando pela internet e adoro ver os vário vídeos raros que o Youtube possui sobre os Beatles e Solos,encontro esses do George Harrison dando entrevistas e como sempre o seu grande humor.
Em 1995, pouco antes da estreia de "Anthology", George concedeu esta entrevista a um canal de TV australiano. Ele fala sobre a reunião dos Beatles, a falta de John Lennon, a beatlemania, o encontro com Elvis e mostrando muito a sua sinceridade em suas palavras.Legendado em português
George Harrison sempre foi um fanático por F1 e tendo como grande amigo Emerson Fittipaldi.Ele estava em Montreal, Canadá, para assistir ao GP de Fórmula 1 no ano 2000. Uma repórter insistiu que ele concedesse uma pequena entrevista. Provavelmente sua última ao vivo para a TV. Vale a pena assistir pois meses antes de sua morte,mostrava bem como estava de bom humor.
Em 1979,George Harrison esteve no Brasil para assistir o grande prêmio de F1 em Interlagos em São Paulo e concedeu uma entrevista ao programa Fantástico,em vez do repórter aproveitar e fazer perguntas boas,mandou algumas de falta de conhecimento.Esse video saiu num dvd oficial sobre o programa Fantástico.

domingo, 29 de novembro de 2009

8 anos sem George Harrison


Depois de uma luta corajosa e valente, George Harrison, conhecido como o "Beatle quieto", sucumbe ao cancer. Aos 58 anos, músico, teria morrido às 1:30 pm (9:30, hora da Inglaterra) na quinta-feira na casa de Los Angeles de seu amigo e famoso especialista de segurança em celebridades, Gavin de Becker. De acordo com Geoff Boucher, repórter do Los Angeles Times observou em 30 de novembro a sua edição on-line que "a esposa de Harrison, Olivia Harrison Arias, e o filho, Dhani, estavam com ele no momento da sua morte, que não foi anunciado até sexta-feira cedo de manhã.
O primeiro sinal de câncer de George apareceu na década de 90, no pulmão. Ele enfrentou várias cirurgias para eliminá-lo. Em 2001, o câncer reapareceu em metástase. Apesar dos tratamentos agressivos, logo se descobriu que era terminal, decidindo de imediato passar seus últimos dias em família e trabalhar em alguns projetos para posteriormente serem terminados por sua viúva e filho.
Segundo o site Netpark, "Quando às oito da manhã de sexta-feira, 30 de Novembro, o Mundo soube da morte de George Harrison, já o seu corpo tinha sido cremado e as suas cinzas a caminho de um rio sagrado da Índia.
O ex-Beatle preparou ao milímetro a sua morte, longe da ribalta, discretamente, como era sua filosofia de vida, não permitindo a invasão da sua privacidade e da sua família.Só três pessoas sabiam onde e como George Harrison iria morrer: a mulher, Olivia, e o amigo, Gavin De Becker, que se encarregou do plano, como o NetPark oportunamente noticiou.Nem o filho, Dhani, sabia onde o pai iria morrer, para que o círculo do segredo ficasse ainda mais fechado.
O jornal britânico "News Of The World" contaou num domingo como tudo se processou.No dia 14 de Novembro, quando estava internado em Nova Iorque, George Harrison foi avisado de que já não teria muito tempo de vida. "Onde vou morrer?", perguntou.
Postas de parte as hipóteses de morrer na sua casa em Londres ou no Staten Island University Hospital, de Nova Iorque, onde estava internado, George Harrison combinou com Gavin De Becker que morreria protegido por este em Beverly Hills, afastado dos olhares do Mundo, depois de ter ponderado a hipótese de sua casa no Hawai."George Harrison não queria a sua fotografia num caixão como epitáfio", disse um amigo.
Tudo foi combinado meticulosamente entre George Harrison e Gavin De Becker, do médico que passaria a certidão de óbito à capela onde seria cremado. 115 contos ("573,62) foi o preço do serviço funerário.
No dia 17 de Novembro, foi dada alta de Nova Iorque ao ex-Beatle. Harrison tinha pouco tempo para se despedir da família e dos amigos. Entre outros, chamou a irmã, Louise, que dirige o Hotel "A Hard Day"s Night", em Illinois, e os amigos de sempre Paul McCartney e Ringo Starr.George e Louise estavam de relações frias, depois de Louise ter aberto o hotel com o nome de uma canção/álbum/filme dos Beatles, o que não agradou ao irmão.
A um Paul McCartney de lágrimas nos olhos, George disse que "já não estaria aqui no Natal".Ringo, que estava em Boston à cabeceira da filha, também com cancer, voou de imediato e disse que não sairia de perto de George "até ao fim", adiando para isso a digressão no Canadá."Não adies. Eu estou em paz", respondeu-lhe George Harrison.
Sem publicidade, no dia 17 de Novembro, George Harrison voou no jacto privado de Gavin De Becker para Santa Monica, California, tendo depois sido transportado de ambulância descaracterizada até ao UCLA Medical Centre, em Los Angeles para tratamentos.
No dia 20, a situação clínica do ex-Beatle deteriorou-se, pelo que George Harrison foi transferido para casa de Gavin De Becker, em Beverly Hills, onde ficou isolado. A única visita exterior permitida foi a de Ravi Shankar que lhe tocou cítara.
A morte viria a ocorrer às 13h30 locais (21h30 em Lisboa) de quinta-feira, 29 de Novembro.Segundo o "News Of The World", além da família, dois dos seus melhores amigos indianos, Shayam Sundara e Mukunda, entoaram cânticos Hare Krishna, enquanto o ex-Beatle desfalecia.
O corpo de George Harrison foi cremado às 06h30 do dia 30 de Novembro (hora de Lisboa), tendo o caixão sido coberto por pétalas de rosa numa cerimónia Hare Krishna com o ambiente envolto em essência de sândalo.Um padre Hare Krishna recitou versos sagrados hindus, do livro Bhagavad-Gita.
As cinzas voam segunda-feira, 03 de Dezembro, para a Índia onde seriam espalhadas num rio sagrado, provavelmente o Yamuna, a 40 milhas do Taj Mahal, o rio sagrado que o ex-Beatle amava, ou o Ganges.
A família de George Harrison pediu entretanto a todos admiradores do músico um minuto de silêncio na segunda-feira, 03 de Dezembro, às 21h30, como tributo ao guitarrista."Estamos profundamente comovidos pela demonstração de amor e solidariedade de pessoas de todo o mundo", disseram a mulher de George, Olivia, sua antiga secretária na editora, e o filho Dhani, de 23 anos.
Na Austrália foi construído um memorial em homenagem a George Harrison, mais concretamente na ilha Hamilton onde o ex-Beatle possui uma casa.
O guitarrista dos Beatles refugiou-se nesta sua casa pela última vez em 1999 e os vizinhos descrevem-no como uma pessoa simples, tranquila e sempre longe da multidão."
Seu corpo foi cremado e alguns afirmam que suas cinzas foram jogadas no Rio Ganges embora a família não tenha oficialmente confirmado. Sua morte foi devido ao câncer que havia atingido ao cérebro. Após a sua morte, sua família emitiu um comunicado: "Abandonou este mundo como viveu: consciente de Deus, sem medo da morte e em paz, rodeado de familiares e amigos". Harrison costumava dizer: "Tudo pode esperar, menos a busca de Deus".

Noticia sobre a morte de George Harrison no Brasil no Jornal Nacional
parte 1 http://www.youtube.com/watch?v=CsY6c1RLoKA
parte 2 http://www.youtube.com/watch?v=Y19IXG0iUpI

From November 29, 2001, here is the CBS Evening News, with the tragic news that Beatle George Harrison has died.  http://www.youtube.com/watch?v=P5gxTJi5KOU

Paul McCartney's reaction to George Harrisons Death-reação de Paul McCartney sobre a morte de George Harrison   http://www.youtube.com/watch?v=Y9jKLiVjok4

Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/George_Harrison e http://en.wikipedia.org/wiki/George_Harrison

O disco mais caro do mundo


Alguma vez você já ouviu falar de The Quarrymen? Não? Bem, isso pode chocar ao descobrir que um registro de que a vaidade é pressionado por este grupo que merece algo como £ 100,000 ($ 200,000 USD).Ainda mais surpreendente, o registro mais caro do mundo é uma simples single de uma cover de  Buddy Holly's "That’ll Be the Day.”
Se você está se perguntando como um cover de uma banda que ninguém conhece pode valer muito, talvez ele iria ajudar a saber que três dos membros da banda passou a formar três quartos do lendário grupo pop rock, The Beatles. Paul McCartney, John Lennon e George Harrison são os temas abordados no álbum mais caro, junto com colegas do Quarrymen Colin Hanton e John "Duff" Lowe.
A maioria dos membros da banda participaram do Quarry Banks grammar school, de onde derivou o nome. A banda durou até 1958, quando Lowe e Hanton deixou o grupo. Depois disso, o grupo passou por vários nomes antes de se decidir sobre os Beatles.
Sir Paul McCartney ainda possui o registro mais caro do mundo. Record Collector, uma revista, chegou a avaliar em  £100,000 o valor através de informações dos peritos, coleccionadores e comerciantes.
Ele também contém um único original Lado B de McCartney e Harrison, "In Spite of All the Danger".

fonte:http://most-expensive.net/record

Colaboração:Eric Bourgouin correspondente do Canadá

A Beatles memorabilia mais cara do mundo


Yesterday and Today  foi o lançamento dos Beatles nos Estados Unidos e o décimo segundo, uma coletânea de faixas dos LPs e singles que não havia sido liberado nos Estados Unidos.Enquanto a banda não gostou da abordagem da Capitol Records teve com o álbum, eles foram capazes de exercer algum controle criativo sobre a cobertura, pelo menos até que foi proibido. Agora que a cobertura se tornou o mais caro Beatles memorabilia do mundo.
O açougueiro "original cover" traz o quarteto vestido como açougueiros, com pedaços de carne e partes de bonecas de plástico espalhados no colo e ombros. Fazia parte de uma sessão de 1966 pelo fotógrafo Robert Whitaker e, segundo a Capitol Records presidente Alan W. Livingston, que foi Paul McCartney, que insistiu para que fosse usada como capa do álbum. Infelizmente, reclamações levou a agência Capital recolendo as 750.000 cópias do álbum e colar sobre a tampa com uma foto mais agradável.
Para comemorar o lançamento do catálogo remasterizado dos Beatles,a Saint Giles Street Gallery, juntamente com o britânico Beatles Fan Club fizeram uma exposição completa dos Beatles com imagens raras em outubro de 2009.O chamado "Eleven Million Dollar" Picture Show, ele foi nomeado após a comprovação da impressora da cobertura na capa do açougueiro, em que John Lennon escreveu: "aqui está a famosa capa açougueiro proibido. Você pode vendê-lo por US $ 11 milhões de dólares. "
A Galeria Saint Giles, obviamente, teve a prova à venda por US $ 11 milhões.


Colaboração:Eric Bourgouin correspondente do Canadá

sábado, 28 de novembro de 2009

John Lennon & Elton John-a noite histórica


No meio do trabalho de John Lennon, em seu álbum de 1974 "Walls And Bridges", ele encontrou um homem, chamado Elton John, que era (na época) o mais artista que mais vendia na década.Os dois entendiam-se bem, e Lennon convidou para ajudá-lo a criar seu mais recente trabalho.Ao ouvir a canção " Whatever Gets You Through the Night "(no qual ele também canta), Elton disse para Lennon que a canção seria hit # 1 e o que acabou acontecendo.A colaboração também levou à gravação de " Lucy in the Sky with Diamonds "e de Lennon "One Day at a Time ".No que seria a última performance ao vivo de Lennon, a dupla cantou "Whatever Gets You Through The Night" e "Lucy In The Sky With Diamonds", juntamente com clássicos dos Beatles "I Saw Her Standing There" no Madison Square Garden em noite de Ação de Graças, no dia 28 de novembro de 1974,exatos há 35 anos atrás.
Lennon fez a aparição rara para cumprir a promessa que ele fez que iria aparecer no palco com Elton se "Whatever Gets You Through The Night" torna-se um número 1.O concerto foi gravado, mas não filmado infelizmente. Em 1976, Elton lançou seu álbum ao vivo "Here And There", que caracterizou uma gravação do seu concerto Madison Square Garden, mas o ponto de Lennon convidado não foi incluído. Depois da morte de Lennon, um single com três músicas do show foi lançado, e edições posteriores no CD do "Here And There" também tem aquelas músicas.
Existem muitos mitos. Um deles é que John voltou para Yoko após o show de Elton John.Verdade é, Lennon ainda estava vivendo com sua namorada, May Pang, ao mesmo tempo, a par e passou o Natal e Réveillon de 1974 em conjunto na Disneyworld, Flórida, juntamente com o filho de Lennon, Julian e o assessor dos Beatles Mal Evans.
Yoko Ono assistiu ao concerto, com sua amiga Gary Lejeski, amigos e Peter Boyle e Loraine Alterman. May Pang tinha pego os seus bilhetes. Estava muito escuro no salão para discernir as faces, por isso Lennon não notá-la lá. Os dois nunca se encontraram atrás do palco, mas em uma recepção no Hotel Pierre, após o concerto.
Aqui está um trecho de uma entrevista com John Lennon em 1975, é da revista Rolling Stone:
JOHN: " Sorte de Elton está na sessão do "Walls And Bridges", e rápido e tocou o piano e acabou cantando 'Whatever Gets You Thru the Night' comigo."Agora o que vamos fazer?" Devemos colocar um camelo sobre ele ou um xilofone? Esse tipo de coisa. E ele chegou e disse: 'Ei, ah vamos tocar alguns piano!" Então, ouvi que ele estava fazendo a 'Lucy', e eu ouvi de um amigo -que ele era tímido - eu estaria lá quando ele cortou a 'Lucy'?"Talvez não tocar nele, mas apenas estar lá? Então eu fui junto.E eu cantei no coro e contribuí a reggae no meio.E então, novamente através de um amigo comum, ele perguntou se ela tem que ser número um, que eu iria aparecer no palco com ele, e eu disse-se, não pensando em um milhão de anos que ia chegar a número um.Al Coury ou sem Al Coury,o homem promotor da Capitol.E lá estava eu. palco."
"Eu li em algum lugar que você estava muito emocionado com a coisa toda."
John: "Eu fui movido por ele, mas todo mundo estava chorando. Senti-me culpado porque eu não estava em lágrimas. Eu só fui para cima e fez alguns números. Mas a coisa foi me emocionando e Elton juntos.Elton tinha vindo a trabalhar no escritório de Dick James, quando usado para enviar nossas em demonstrações e há muito tempo uma espécie de relação musicalmente com Elton que as pessoas realmente não conhecem.Ele tem esse tipo de coisa Beatle do caminho de volta.Pegaria as demos em casa e tocá-los e ... bem, isso significou muito para mim e isso significa um inferno de um lote de Elton, e ele estava em lágrimas.Foi uma grande noite de altura, uma noite realmente alta ... Yoko e eu nos conhecemos nos bastidores.E alguém disse: 'Bem, há duas pessoas no amor. " Isso foi antes de voltamos juntos.Mas isso é, provavelmente, quando sentimos alguma coisa. Foi muito estranho.Nos bastidores,ela veio e eu não sabia que ela estava lá, porque se eu soubesse que ela estava lá eu teria ficado nervoso demais para ir, você sabe, eu teria ficado aterrorizado.Ela estava nos bastidores depois, e houve apenas um momento que, quando vimos os outros e como, é como nos filmes, você sabe, quando o tempo pára?E lá era silêncio, tudo ficou em silêncio, sabe, e nós estávamos apenas a sorte de está olhando um para o outro e ... Olá. Eu sabia que ela tinha enviado uma flor para cada um, e nós estávamos vestido no palco , mas eu não sabia que ela estava lá e depois foi todo mundo que nos rodeia e flash flash flash. Mas houve aquele momento de silêncio.E alguém observou ele e disse-me mais tarde, depois que estávamos juntos novamente, e disse: " Um amigo meu viu nos bastidores e pensou se havia duas no amor, é os dois. "E eu pensei, bem, isso é estranho alguém reparou que ... Por isso, foi uma grande noite".


(foto acima)A caixa Lennon Box com 4 cds contendo a fase de 1969 até 1980 com o "Milk And Honey" lançada no dia 30 de outubro de 1990 pelos 50 anos de John Lennon,no CD volume 3 contém as 3 músicas gravadas e executadas por ele e Elton John na noite no Madison Square Garden,as "Whatever Gets You Thru the Night","Lucy in the Sky With Diamonds" e "I Saw Her Standing There",somente nessa caixa que se pode achar las.

fonte:http://wogew.blogspot.com/2008/10/johns-lennon-and-elton.html no link tem várias fotos raras dessa apresentação.

Paul McCartney apenas em Brasília???


Agora só depende do Governo do Distrito Federal (GDF). Os empresários de Paul McCartney deram sinal positivo para uma apresentação única e gratuita do ex-beatle na Esplanada dos Ministérios no dia do aniversário de 50 anos da capital brasileira, em 21 de abril próximo. Os representantes do artista no Brasil estiveram ontem com o secretariado do governo local. Todos garantiram haver interesse de patrocínio da iniciativa privada. Também ficou acertado que esse seria o único show do popstar no país em 2010. A pendência ficou em torno da quantia de dinheiro público no evento.
O empresário carioca Luiz Oscar Niemeyer, organizador de alguns dos maiores shows musicais da história do Brasil, contou que, após três meses de conversas com os empresários de Paul McCartney, recebeu uma resposta positiva em relação ao concerto no cinquentenário de Brasília. “Para assinar o contrato, porém, precisamos de uma garantia do governo (do DF). Pois só com essa certeza é que poderemos fechar parcerias com as empresas. Isso não é problema, pois um show do Paul pode gerar até US$ 200 milhões (cerca de R$ 350 milhões) em retorno em mídia”, ressaltou.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Paul McCartney "Eu quase desisti dos Beatles no início dos anos 60"


Paul McCartney num tom de brincadeira revelou seu medo do palco era tão ruim nos anos 60, que ele pensou em abandonar os Beatles.
O cantor-compositor explicou que ele estava tão nervoso antes de subir ao palco no período inicial da banda, que às vezes ele se perguntava se isso tudo valia a pena.
"Eles costumavam ter uma coisa chamada NME Poll Winners Party, onde o proprietário do NME começaria por nós, os Stones,para vir e se apresentar para nada! Este foi alguns anos na carreira dos Beatles ", disse ele.
"Então, eu me lembro de estar na escadaria da Câmara Municipal de Wembley, literalmente, doente dos nervos, e pensando, 'eu tenho que dar esse negócio, isso não é bom". Era muito estressante ".
Ele parece ter se recuperado totalmente de seus nervos hoje em dia, embora, dizendo: "Eu não sou tão ruim agora. Eu sei que eu tenho uma banda realmente boa, que ajuda.Eu costumava sentir pena de Elvis em Las Vegas ', ele costumava ter 50 pessoas no palco com ele e ele não parecia nada melhor do que seus primeiros álbuns, onde havia três pessoas. "
McCartney também explicou que as performances da banda nem sempre foram bem recebidos em seus primeiros dias.
"Fomos a Stroud, um dia, e quase ninguém apareceu, o que não foi maravilhoso", disse ele. "Então você costumava ter estes teddy boys, os arruaceiros, você sabe. Eles começaram a atirar moedas para nós. Assim, acabamos pegando-os,e acabamos com alguns xelins mais rico!"
Falando sobre a gravação do seu novo DVD, McCartney revelou que "Here Today", escrito sobre o colega John Lennon, é sempre a mais difícil de executar.
"Isso às vezes me pega,e me pegou na versão do filme, onde eu toco e que eu estou dizendo a este homem que eu amo, e é como, 'Oh meu Deus, como eu estou declarando-o publicamente na frente de todas estas pessoas que eu não conheço! É como, 'O que estou fazendo? " É uma boa coisa a fazer, embora. "
Mais tarde, na sessão de perguntas e respostas, o Beatle disse que está sempre à espera de descansar do negócio da música, mas nunca faz.
"Você sabe, eu fico esperando perder a paciência, mas eu não, e estou realmente feliz por não parar", disse ele. "A única coisa estranha é que realmente fica um pouco mais emocionante, talvez devido a essa confiança, você começa a pensar:" Eles realmente querem me ver, talvez eu possa fazer isso. "

fonte:http://www.nme.com/news/paul-mccartney/48564

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Paul McCartney "A glória dos Beatles, nunca me protegeu da tristeza da vida."


Sir Paul deu uma  uma nova entrevista e falou da dor em um jornal italiano Panorama.Vale a pena ler essa entrevista pois Paul fala de tudo e de todos!!
Quando o destino bateu à sua porta, o destino que levou sua esposa Linda e dois velhos amigos, George Harrison e John Lennon.Mas Paul também fala da canção perfeita e sua amizade com Michael Jackson.
"Olá, sou Paul ligo da Inglaterra. Como vai?".É assim que ele se apresentou, sem frescuras e sem o corte que lhe antecede, o homem que inventou o pop e a noção de que como é uma estrela pop de verdade."Querido, nós não seríamos nada hoje sem Paul McCartney, apenas trabalhadores com uma gravata no pescoço", disse Bono na cerimónia do Grammy Awards.
"Naquele dia eu entendi o sentido da minha carreira, quando pude evitar que alguns milhões de pessoas a usar gravata no metrô às 8 horas", Paul McCartney acrescentou: "Eu não conheço nenhuma outra palavra em italiano, vamos mudar para Inglês."
Paul: Bem, eu deixo dar-lhe algumas notícias de mim: Primeiro, eu estou vivo.A história de um acidente de carro em que eu estou morto, foi inventado por um DJ americano.Para dar uma certa credibilidade à lenda, então ele criou um elo entre meus pés descalços na capa de Abbey Road e uma cerimônia fúnebre na Índia.Você sabe, na época dos hippies eram rumores de que eles tinham visto um hipopótamo voando vermelho e ninguém disse que eles eram loucos. In America,Nos Estados Unidos, pediram-me mil vezes se eu era Paul ou o seu clone.Eu preparei uma resposta pronta: "Eu não sou nem Paul nem o seu clone, mas eu saí ontem à noite com sua esposa."

Q: No entanto, continua a ser uma curiosidade: por que na capa de "Abbey Road" você está descalço?

Paul:Eu tinha um par de sapatos desconfortáveis que machucavam meu pé.Depois de alguns minutos eu decidi andar descalço.

Q:No verão passado,você voltou a tocar no Shea Stadium, em Nova Iorque (demolido, reconstruído e, agora chamado Citi Field) 44 anos após o histórico concerto dos Beatles. Nostalgia?

Paul:De volta à cena do crime é uma perversão de todos os artistas. A magia desta noite pode ser ouvida no CD GOOD EVENING NEW YORK CITY e um DVD que eu estou realmente orgulhoso.Eles vieram para me ver em todo o país e desta vez eu juro, todo mundo era capaz de ouvir as canções.

Q:A primeira vez, no entanto, como ele realmente aconteceu?

Paul:Foi um desastre.Parece estranho pensar que ninguém nunca ouviu um dos shows mais famosos da história.Em 1965, nós reportamos a algumas pessoas que os amplificadores eram ridículos, pouco mais alto que o Cavern Club, em Liverpool.O resultado foi que não ouvimos nada no palco.Dito para os telespectadores, exceto os que estavam sentados nas duas primeiras linhas.Havia 40,000 fãs loucos na frente de gente que usava um capacete.Do lado de fora, foi um espetáculo surreal.Foi um momento único, em qualquer caso.De onde eu estava, vi centenas de jovens em lágrimas que literalmente rasgando seu cabelo.E eu pensei, mas não chore por nós, ou porque lhe dói?

Q:Sobre o retorno à cena do crime, como você acabou tocando no telhado do Ed Sullivan Theater, em Nova York, para o "David Letterman Show" (o concerto completo aparece no DVD bônus de "GOOD EVENING NEW YORK CITY" )?

Paul:Depois de alguns segundos da primeira música que eu fechei os olhos por cerca de dez segundos.Quando eu abri "vi" George Harrison à minha esquerda.Por alguns segundos, era como se eu me encontrava nos telhados de Londres, como aconteceu em 1969.Não eram realmente flashes, mas os ecos do passadoE os ecos, como todos sabem, duram mais do que flashes.
Q:Se você tem alguma dúvida sobre um episódio da época dos Beatles, você pede Ringo Starr sobre ele?

Paul:Sim, com resultados terríveis.Nossas conversas sobre o passado é mais ou menos assim: Ringo, você se lembra quando John pulou na piscina a partir do primeiro andar de um hotel em Mônaco?Ele disse que não, Paul!George disse que aconteceu um ano antes em Paris.Eles nos levam para os tolos e os velhos, mas a época dos Beatles, com tal intensidade, pelo menos, o equivalente a três vidas.

Q:Então eu coloquei Paul McCartney para o teste: Será que você lembra como John Lennon reagiu a primeira vez que você fez ouvir "Yesterday"?

Paul:Ele riu, acrescentando que ele tinha a impressão de ouvir uma melodia conhecida."E você acha que poderia trabalhar?"Era a sua pergunta.Durante vários meses, o título da canção foi Ovos mexidos.

Q:Qual era o seu relacionamento com John em dezembro de 1980, antes que ele foi assassinado por Mark Chapman?

Paul:John estava numa altura em que as nossas relações eram mais do que OK.Antes e depois de os Beatles tinham brigado com fúria sobre todos os assuntos imagináveis.Em 1980, conseguimos falar por 10 minutos sem insulto.

Q:Ser um Beatle, é o que permitiu a suavizar os momentos difíceis da vida?

Paul:Por algum tempo, eu pensei que a minha posição tinha o poder de anestesiar as tragédias.Mas, crescendo, aprendemos da maneira mais difícil que o dinheiro e o sucesso não nos coloca longe do nosso destino.Quando a doença tirou Linda, a única mulher com quem eu tinha uma cumplicidade total, eu não me importei regiamente naquele tempo, depois de ter escrito Yesterday ou Let It Be.

Q:E então, George Harrison morreu de câncer.Quando você tem sido um testemunho de sua doença?

Paul: Tudo estava claro desde o início, mas rapidamente, esquecemos a sua condição.Atuamos como uma família onde as coisas estão ocultas.Esta é a última maneira de evitar o sofrimento, não ouvir a dor que vem e paralisa-lo.Quando penso nisso me dá arrepios, e essa sensação, provavelmente, seguirá-me para sempre ...

Q:Sir Paul, como você vive como uma "lenda"?

Paul:Eu não olho para trás e eu nunca leu meus diários.Se eu paro e penso sobre as pessoas, como muitos deles me disseram que a música dos Beatles mudaram suas vidas, eu me sinto um pouco ansioso."Ouça as músicas no rádio de hoje como há quarenta anos é algo que vai além da imaginação. Tudo vai e vem, mas não os Beatles. Em suas músicas há algo que fala ao coração e os ouvidos do povo. E eu estou surpreso ao pensar que por trás de tudo isso eu também estava presente.

Q:Especialmente quando você acha que não queria ser o baixista para o grupo.

Paul:Estávamos em Hamburgo em torno de 1961.Stuart Sutcliffe, baixista na época, se apaixonou por uma garota chamada Astrid e ele largou tudo.Ele decidiu que, em vida, ele tinha acabado de fazer amor e pintura.Duas atividades nobres, mas não é muito rentável.Mas estávamos felizes por ele ... pensávamos que a música era a coisa mais importante e que o trabalho que está sendo um dia foi baixista de um perdedor na banda.O cara é tímido e um pouco "estranho sentado em um canto do palco no escuro. E eu não quero ser esse cara lá. Então, eu concordei e, depois de tudo, restaurou a dignidade do baixista em um papel que foi considerado menor, até então.

Q:É verdade que sua propriedade é de 750 milhões de libras?

Paul:Eu não sei, então eu posso lhe dar o número de telefone dos meus advogados.

Q:Existe ainda algo normal e comum na vida de Paul McCartney?

Paul:Quase tudo, acredite em mim.A mudança começa quando estou no palco, e há 40 mil pessoas em um frenesi de esperar.Esta, confesso, não faz parte da vida de um homem de sessenta e sete anos de idade.Mas eu adoro passar o tempo em turnê.Costumo levantar às 6 horas e meia,preparar o café da manhã para a minha filha (Beatrice, 6 anos de idade).Meus ovos mexidos são o orgulho da casa.Então eu levei para a escola.
Q:Qual é o tamanho dos equipamentos de som na casa de McCartney?

Paul:Enquanto o mundo passou a ouvir música digital, eu comprei recentemente um equipamento estéreo.E para dizer a verdade, é a única coisa que eu gosto de ouvir.

Q:Em "GOOD EVENING NEW YORK CITY" você toca em um ukulele dado a você por George Harrison.

Paul:George havia aprendido a tocar durante as férias em sua casa no Havaí.Cada vez que ele chegava em casa com o instrumento, foi utilizado para tentar improvisarmos juntos.Felizmente, não há registros dessas jams "ukulele. Nossa carreira provavelmente teria sofrido danos irreparáveis.

Q:Como fez a colaboração de Michael Jackson começar?Era um encontro espontâneo entre dois talentos puros ou um encontro de negócios organizado pela gravadoras?

Paul:No dia de Natal, em 1981, penso eu, o telefone tocou na casa por volta das 10 horas da manhã.A voz sussurra: Sr. McCartney gostaria de ouvir algumas das minhas músicas?E isso me incomodava, eu não conheço o cara pessoalmente, então eu disse se você quiser me mandar fitas, posso fazer.Então, ele envergonhado como disse-me: Senhor, eu sou Michael Jackson, você não me reconhece?Desde este dia uma grande amizade nasceu.Michael era um homem não está preparado para a vida porque sua vida era a música.Ele não andou, ele dançou.Ele nunca falou, ele cantou.Seu conselho para os músicos não são técnicos, mas poéticos.Coisas como: Quando você toma essa nota no piano, não será difícil, tocar como se você tivesse o pôr do sol mais bonito na frente de você.Você verá que vai soar totalmente diferente.

Q:A música dos Beatles foi visionária e psicodélica.Ninguém mais do que os Beatles eram mais capazes de escrever sem cair na banalidade.Qual era o seu segredo?

Paul:Registros produzidos Hoje parece que eles foram gravados em uma usina siderúrgica.Nós ouvimos sons, ritmos e melodias que são zero.Este, muito mais do que o download ilegal, provocou a crise no mercado discográfico.Mas por que eu deveria pagar por um CD de sons?Então, sim, prefiro o som da minha broca.

Q:Então, qual foi o método dos Beatles ...

Paul:Eu não quero parecer pretensioso, mas o nosso trabalho sobre as músicas foi surpreendente.Houve uma maior atenção aos detalhes, a obsessão maníaca de ter refrões agradáveis,o desejo de experimentar e repetir o mesmo refrão 30 vezes até atingir o equilíbrio perfeito entre a voz.Toda a matéria das coisas, como a determinação de um artesão, então você começa a canção perfeita.Os quatro de nós tinhamos o maior respeito pela música.Nós tratamos nossas músicas com o cuidado e a atenção dos arquitetos para a sua maior obra-prima.Nenhuma construção moderna pode resistir à concorrência com as grandes obras do passado.Por trás das grandes obras, há sempre um excelente trabalho.Atrás de muito da música de hoje, não há trabalho.E todo mundo sabe disso.

fonte:http://www.maccablog.co.uk/news.php?news=6524 que traduziu do italiano para o inglês atravês do Blog Panorama.it.

Paul McCartney na revista Q


Amy Winehouse, Noel Gallagher, U2, Dave Grohl, Paul McCartney, Matt Bellamy, Lily Allen, Kings Of Leon, Billie Joe Armstrong, Guy Garvey, Robert Plant, Gary Lightbody, Florença Welch, Coldplay, Mika, Pink, Brandon Flowers, Rascal Rascal, Nick Cave, Arctic Monkeys, Murdoc, Tom Chaplin, Mark Ronson e Rihanna ...
Sir Paul McCartney disse:
"Por que eu me aposentar? Sentar em casa e assistir à televisão? Não, obrigado."
Sir Paul McCartney também fala de sua década, sua amizade com Michael Jackson e como ele soube que o Rei do Pop tinha morrido, The Beatles Remasters na Q e pergunta se ele gostaria de se casar novamente.

fonte:http://covers.q4music.com/Item.aspx?pageNo=6143&year=2009

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

O filme Yellow Submarine em 3D


Disney Studios contratou o diretor Robert Zemeckis,o mesmo responsável pela trilogia de "De Volta para o Futuro",para dirigir o remake de Yellow Submarine e anunciou que vai produzir um remake em 3D de 1968 dos Beatles.O filme vai ser realmente criado por ImageMovers Digital,da Disney-of-the-art performance capture com estúdio de animação explorado em conjunto com Zemeckis e seus parceiros. The Yellow Submarine 3D do filme inclui 16 grandes sucessos dos Beatles, assim como as gravações do filme original animado e será lançado em 2012.Na terça feira vazou na internet o poster do filme como está na foto acima.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O álbum The Beatles' Story da Capitol Records


The Beatles Story é um álbum duplo documentário com entrevistas, conferências de imprensa, e as canções dos Beatles lançado no dia 23 de novembro de 1964,exatos há 45 anos atrás.Foi o quarto lançamento dos Beatles pela Capitol e o sexto álbum nos Estados Unidos, lançado em mono e estéreo. O disco é normal, exceto por "Twist and Shout" em estéreo do seu concerto em 1964 no Hollywood Bowl, que foi editado em Maio de 1977.O álbum entrou na parada da Billboard Top LP's em 12 de dezembro, no número 97. Em 2 de Janeiro de 1965, o álbum alcançou a posição número 7 o maior, onde permaneceu por quatro semanas antes do início da sua queda nas paradas. Na Cash Box entraram no álbum em número sete, enquanto o recorde mundial mostrava o recorde atingindo o número 13.O álbum ganhou o disco de Ouro, significando vendas acima de um milhão de dólares, em sua primeira semana,mostrando muito respeitável, considerando que o álbum era pouco mais que um registro documental elaborada.
Em 1996, The Beatles' Story  foi preparada para lançamento em Digital Audio Tape (DAT), mas quando o formato não agradou comercialmente, o plano foi desfeito.A Capitol lançou as caixas volume 1 e 2 e esse álbum oficial não foi lançado.


(foto acima)The Beatles 'Story Digital Audio Tape (DAT) master Este álbum nunca foi lançado em qualquer formato de fita. Em 1996, a Capitol tinha planeado lançar este álbum comercialmente como um pré-gravado de fita DAT, fita cassete e, possivelmente, CD. Talvez por causa do mercado limitado para os álbuns comercial DAT, e / ou porque eles estavam preocupados sobre a liberação de uma cópia digital de alta qualidade no mercado, o projeto foi desfeito. A DAT foi masterizado a partir de fitas originais dos Beatles Story. A cassete áudio promocional também foi feita, mas não distribuído.

(foto acima)Fita cassete promocional do The Beatles Story

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Cineasta Clay Adams revelou detalhes do filme Shea Stadium 1965


Cineasta Clay Adams revelou detalhes sobre como foi trabalhar com os Beatles no Shea Stadium na trilha sonora do filme.M. Clay Adams, antigo proprietário da Clayco Films, produziu muitos segmentos do filme para o Ed Sullivan Show, durante a década de 1960. Quando a companhia de produção do Ed Sullivan colaborou com os Beatles para produzir um documentário sobre sua performance em 1965 no lendário Shea Stadium, Clay Adams era o gerente de operações de produção para o filme.
Na época,Adams, que morreu no ano passado com 99 anos, tinha trabalhado no negócio de cinema há mais de 25 anos. Ele tinha um filho adolescente, Michael, que era um grande fã dos Beatles. Em fevereiro de 1964, Michael foi um dos sortudos que assistiram ao vivo 9 de fevereiro de 1964 na estréia dos Beatles no Ed Sullivan Show, bem como o ensaio geral dos Beatles (segmento filmado para sua terceira aparição de Ed Sullivan, que foi ao ar em 23 de fevereiro de 1964 ). Ele realmente teve que cumprir com os Beatles, depois do ensaio. Ele também assistiu a concertos dos Beatles tantos no Shea Stadium, em 1965 e 1966.
Assim, depois de seu pai, Clay, voou para Londres para trabalhar com George Martin e os Beatles no over-dubs a trilha sonora do filme do Shea Stadium, Michael estava extremamente ansioso para ouvir sobre a viagem. Na arte perdida de escrever cartas, Clay digitou uma carta datada de 10 de janeiro de 1966 para seu filho, que estava ocupado na escola, e disse-lhe detalhes íntimos de trabalhar com George Martin e os Beatles no estúdio de gravação. Ele também revelou sua observações pessoais sobre cada um dos Fab Four.
Por exemplo, Clay Adams, descreve suas primeiras impressões de Paul McCartney:
"Paul foi o primeiro a chegar lá, bem no ponto às 9:30. Ele veio com um casaco preto curto e precisando fazer a barba. Mas ele estava cheio de animação e pronto para começar a trabalhar imediatamente. Na verdade o que os meninos e George Martin sentiram realmente que estava errado com a trilha sonora do Shea foi apenas que estava faltando o final de "baixo" e bateria em alguns lugares. O baixo não era tão alto quanto em seus registros. Assim, enquanto nós estávamos esperando pelos os outros meninos a chegar, fizemos os overdubbled de "I'm Down", "Dizzy Miss Lizzy", "Can't Buy Me Love", e "Baby's in Black", com Paul somente."
Os leitores podem ter uma noção do que a vida diária dos Beatles eram como a partir desta carta histórica. Esse trecho de quase parece uma cena de A Hard Day's como Adams escreve:
"Entretanto, ninguém parecia saber para onde o resto dos rapazes estavam. Toda vez que eu ia perguntar o que aconteceu com John, George e Ringo - George Martin diria que ele não tinha a menor idéia, exceto que Paul estava vivendo na cidade vizinha, enquanto os outros meninos tinham que vir de fora da cidade. Finalmente por volta das 10:30 em ressaltar os outros três, todos rindo muito e sabia que eles tinham sido mantendo-nos em suspense. "
O que há de mais fascinante sobre a carta de Adams é como ele realmente era uma "mosca na parede" durante uma sessão de gravação dos Beatles.
"Todos os quatro rapazes foram realmente grandes. Eles trabalharam duro, fizeram tudo que pedimos para eles e colaboraram em todos os sentidos. Além disso, eles são tão grandes em "vantagens" e conhecer os seus próprios arranjos tão bem que a sessão de gravação foi muito mais fácil e mais rápido do que eu jamais esperados. John estava muito ansioso para fazer "Ticket to Ride" melhor assim que nós fizemos isso e completamente sobre nossa trilha de "Help!" Teve uma grande queda que havia tentado fixar-se em Nova York - foi o que fizemos de que um todo. O resto eram apenas fixa aqui e ali para fortalecer a faixa do Shea. Paul amava a minha palavra "fortalecer" e sempre que havia uma pausa, ele dizia-me: "Como estamos fazendo Clay - não temos que fortalecer ok?"
Observações de Adams sobre os Beatles individuais são muito perspicazes, bem como:
"Foi divertido, entre as sessões de gravação. Quase que invariavelmente Paul e John iam começar imediatamente andando às voltas com algumas novas idéias musicais para canções novas em suas guitarras. Tão logo se iria tocar algumas notas, o outro iria pegar um acompanhamento, não importa o quão complexo o arranjo. Enquanto isso, George Harrison - quem me chamou um baterista frustrado - estaria tentando ensinar Ringo algum truque de beat novo que tinha pensado. Todos eles são constantemente brincando com os outros instrumentos. Ringo enganando com um violão ou piano. George na bateria, etc e eu vendo que Paul era o mais musical ainda. Quando terminamos o overdubbed eu sentei com ele no piano, enquanto ele improvisava. Ele tem um grande senso de harmonia e fraseado. Você deve ter ouvido a sua improvisação nos acordes brincando com essa canção que é meu favorito de "Oliver" - Eu não posso pensar no título. "
The Beatles no Shea Stadium tem 50 minutos de filme sobre o concerto que foi o primeiro documentário exibido na BBC, 1 de maio de 1966. O filme foi exibido nos Estados Unidos pela ABC em 10 de janeiro de 1967. No entanto, desde então, o filme nunca foi lançado comercialmente para o público.
Michael Adams comentou sobre o status do filme
"O filme foi uma junção da Sullivan Productions e NEMS. Meu pai, desde o filme e a equipe de som e tudo que veio depois, até que fosse um produto acabado. Quando ambas as partes haviam assinado depois do filme completo, duas masters foram feitas. As cópias foram feitas e foram apresentados aos Sullivan Productions e NEMS para suas transmissões em perspectiva. Meu pai guardou as masters e esperou que as empresas envolvidas para acompanhar e pedir para eles.
Em 1987, Paul McCartney ligou para meu pai e pediu uma master para a Apple. Ao mesmo tempo, Paul disse que eles estavam interessados em liberá-lo. Eles posteriormente liberaram algumas canções do The Beatles no Anthology. Eles [Apple] ainda tem a master e quem sabe, talvez um dia eles vão liberá-lo. Entretanto ele continua recebendo pirata. Há cópias de boot dos Estados Unidos e no Reino Unido com telecasts flutuando por aí (assim como a 2ª master). "
Você pode ler a carta completa no link http://www.beatles-history.net/beatles-shea-stadium.html

fonte:http://daytrippin.com/2009/11/17/exclusive-filmmaker-clay-adams-reveals-details-about-working-with-the-beatles-on-shea-stadium-film-soundtrack/

domingo, 22 de novembro de 2009

With The Beatles e o White Album


Lançados no mesmo dia,22 de novembro no Reino Unido.With The Beatles em 1963 e o The Beatles em 1968,mostra muito bem como em 5 anos de diferença de um álbum para o outro,tendo na época a tecnologia muito abaixo comparado os tempos de agora,como os Beatles progrediram muito em termos visuais,musicais,produção,letras e como banda.A diferença é tão grande que se você colocar esses 2 discos para tocar para o público mais jovem,ninguém vai acreditar que são a mesma banda.Quando o With The Beatles foi lançado em 1963 no Reino Unido,no mesmo dia foi assassinado o presidente dos Estados Unidos John Kennedy e em 1968 o White Album falava de armas como a música "Hapiness is a warm gun" e Charles Manson falou que tinha assassinado a mulher por causa da música "Helter Skelter".Enquanto no disco de 1963,George teria sua 1ª composição gravada "Don't bother me" respondendo ao jornalista que exigia composições dele,em 1968 teria 4 músicas no álbum e a de grande sucesso dele "While My Guitar Gently Weeps".No aniversário de 2 grandes álbuns dos Beatles lançados no mesmo dia com 5 anos de diferença mostra muito bem a força que era os Beatles.

Sobre With The Beatles:
é o segundo álbum do grupo de rock inglês The Beatles, lançado em 22 de novembro de 1963, no mesmo dia em que o presidente dos EUA John Kennedy era assassinado em Dallas, Texas.Gravado quatro meses após ser lançado o primeiro álbum, repetia a fórmula de Please Please Me. Selecionaram-se 8 composições próprias de Lennon/McCartney e incluiu-se novamente 6 covers das prediletas do repertório dos Beatles.George Harrison comparece com uma composição própria "Don't Bother Me" neste trabalho cujo carro-chefe firmou-se até hoje com a música "All My Loving".


Sobre The Beatles:
é o nono disco oficial dos Beatles, lançado como disco duplo em 22 de novembro de 1968.É popularmente conhecido como The White Album (O Álbum Branco), por não haver nome, e ser apenas um fundo branco com o nome da banda em relevo. A capa foi criada pelo artista pop Richard Hamilton e o título original era para ser A Doll’s House, mas uma banda britânica chamada Family, já tinha lançado um álbum com nome similar. Foi o primeiro disco lançado após a morte do manager Brian Epstein.
Em 1997, O Álbum Branco foi nomeado o décimo melhor disco de todos os tempos pela “Music of the Millennium” da Classic FM. Em 1998 a Q Magazine colocou como 17° lugar e em 2000 em 7° lugar. A Rolling Stone colocou como o décimo entre 500 álbuns e o canal VH1 como 11° lugar. De acordo com a Associação da Indústria de Discos da América, o disco é 19 vezes disco de platina e o décimo disco mais vendido nos Estados Unidos.

mais informações:http://en.wikipedia.org/wiki/The_Beatles_(album)

Ringo Starr em edições limitadas


Essa é para os colecionadores,navegando na internet,entrei no site da Amazon japonesa e estão anunciando para o dia 27 de Janeiro de 2010,4 cds do Ringo Starr em edições limitadas em formato paper sleeve pelo selo USM Japan.Os discos são Ringo's Rotogravure de 1976,Ringo The 4th de 1977,Bad Boy de 1978 e o Vertical Man de 1998 que não época sai assim nas primeiras edições.O site está todo em japonês mas você pode colocar o link num tradutor para qualquer língua que quiser e caçar essa raridade em cd oficial em breve.

sábado, 21 de novembro de 2009

Documentário sobre The Beatles Rock Band na VH1


Aparentemente,o The Beatles Rock band é tão impressionante, que gerou seu próprio Behind the Music-tipo especial.Próxima sexta-feira,durante a Ação de Graças nos Estados Unidos,o canal exibirá o documentário VH1 premiere The Making of The Beatles: Rock Band.O especial terá 30 minutos que inclui cenas nunca vistas de Paul McCartney e Ringo Starr nos estúdios Abbey Road e sobre a produção do game.
The Making of The Beatles: Rock Band vai estrear sexta-feira dia 27 de novembro às 7:30 pm (Estados Unidos) em VH1 Classic.A VH1 Brasil por enquanto sem informações...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Ringo Starr chama Paul McCartney para o novo álbum


Ringo Starr agarrou uma pequena ajuda dos seus amigos para seu novo álbum Y Not,que sai dia 12 de janeiro de 2010. O baterista dos Beatles, será acompanhado pelo seu Fab Four colega Paul McCartney em  algumas faixas, incluindo o primeiro single "Walk With Me", que encontra Macca e vocais com Starr.Outros convidados e compositores em Y Not, primeiro álbum de Ringo desde 2008 em Liverpool 8, incluem Joe Walsh, Joss Stone e Van Dyke Parks, Ben Harper e Richard Marx.
Falando sobre como trabalhar com seu antigo companheiro de Beatles, Starr disse em um comunicado à imprensa,"Paul depois que tocou no Grammy veio à minha casa e estava tocando baixo em 'Peace Dream'. Então toquei outra música e ele disse: 'Me dê os fones de ouvido. Me dê um par de latas'. E ele foi ao microfone e simplesmente inventou a parte onde ele me segue no vocal.Isso era tudo que Paul McCartney, e poderia haver nada melhor ".
"Ele faz com que seja maior e que o torna mais completo", disse Starr do trabalho de McCartney em "Walk With Me", que foi co-escrito por Starr e Parks. "Isso faz com que a canção como uma conversa entre nós, e que foi idéia de Paul para fazer a sua parte uma batida atrás de mim. É por isso que ele é um gênio e um baixista incrível. "Macca apareceu em um álbum do Starr mais de uma década atrás, em 1998 no Vertical Man.
Y Not também marca a primeira incursão de Starr em grandes produtoras. "Eu era o menos envolvido na produção dos discos dos Beatles. E depois com meus discos solo ", disse Starr. "Então, de repente, é outro ponto em sua vida, e você diz: 'Eu vou fazer isso agora." Então, eu vou estar produzindo alguma coisa que eu faça de agora em diante. Essa é a boa notícia. É uma coisa de confiança, eu suponho.E Y Not é realmente uma outra maneira de me dizer: 'Sim, eu posso."Y Not também inclui o autobiográfico" The Other Side of Liverpool " e faixa de abertura “Fill in the Blanks,”que apresenta o grande amigo o guitarrista Joe Walsh.

Negociador de LPs encontra "Sgt Pepper" muito raro


Havia algo estranho sobre a cópia do LP "Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band" dos BEATLES que John Tefteller estava analizando. Os rostos estavam diferentes. Onde deveriam estar John, Paul George e Ringo, estavam outros.
“À primeira vista eu pensei, ‘Ok, este é um LP comum do Sgt Pepper, mas - ei, espere um minuto, permanece selado. Não foi aberto”, conta Tefteller, proprietário da John Tefteller’s World’s Rarest Records (Os discos mais raros do mundo de John Tefteller), "e então quando eu olhei mais de perto, eu disse ‘U-hu, espere um minuto, não tem Beatles aqui. Quem são todas estas pessoas?”
Aquelas pessoas trabalhavam para a Capitol Records e Tefteller estava para descobrir que particularmenete este "Sgt Pepper" não era um álbum comum dos Beatles. De fato, pode ser um dos LPs mais raros dos Fab Four de todos os tempos e até ao que parece, ele está negociando sua venda com um importante colecionador de Beatles, Stan “The Beatleman”Panenka.
De acordo com Tefteller, enquanto viajava há alguns meses atrás, ele recebeu uma ligação de uma mulher, cujo marido falecido havia sido um executivo que trabalhou para a Capitol Records em Los Angeles.
“Ele tinha uma coleção formada principalmente por LPs de jazz e easy-listening,” diz Tefteller. “E eu normalmente não vou ver algo deste tipo, pois eu não curto muito esses gêneros, mas eu apenas pensei, ‘Bom, beleza. Capitol Records? Talvez tenha algo a mais por lá.’ ”
Então ele agendou um horário para ver os discos. A esposa disse a ele que havia um pouco de rock’n’roll na coleção e “...enquanto eu ia olhando os discos ela dizia algo do tipo, “Bem, tem um 'Sgt Pepper' aí’”, diz Tefteller. “E eu tipo, sim, ok, pensando, normal um album Sgt Pepper, nada de mais, aliás. É interessante achar um, mas eles não são particularmente raros a não ser que eles estejam lacrados de fábrica em versão mono, ou algo do tipo. Ou lacrados de fábrica originais em estéreo. Eles tem algum valor. Eu achei de um modo geral que todos estes LPs haviam sido abertos e usados. Este seria apenas um 'Sgt Pepper' comum”.
Mas este não era o caso. Quando Tefteller perguntou sobre o disco, ela respondeu, “Este foi dado ao meu marido. As outras pessoas na capa são todos executivos da Capitol Records.”
Tefteller admitiu nunca ter ouvido a respeito disso antes, e ele inicialmente o descartou. “Eu não sabia o que era,” ele disse. “Eu pensei, bem, talvez seja alguma falsificação ou reprodução, mas não parecia ser falso e nem parecia uma reprodução. Então eu apenas pensei, ‘Isto é único.’ Então, por tê-lo encontrado, comprei a coleção, pois ela queria vender tudo.”
Quando Tefteller levou os discos para casa, inclusive aquela estranha versão de Sgt Peppers, ele ligou para Panenka para dizer o que havia encontrado. Panenka contou a ele o que sabia a respeito e disse que haviam apenas poucos como esse vendidos há 20 ou 30 anos atrás.
“Nenhum destes apareceu nos últimos 10 anos ou mais,” diz Tefteller. “E do que eu entendo, fazendo alguma pesquisa, estas cópias estão em boas condições já que esta é lacrada de fábrica, em sua embalagem original e permanece em perfeitas condições.”
Tefteller e Panenka acreditam que apenas 100 cópias foram feitas deste "Sgt Pepper" raro.
“Nós estamos apenas especulando a respeito,” diz Tefteller. ‘E as razões para que eu diga que é uma especulação e uma suposição são: um, houveram apenas uns três ou quatro no máximo que apareceram nos últimos 30 anos. Isso nos levaria a pensar que houveram muito, muito poucos deles feitos, primeiramente. Dois, apenas em caso de haver um exemplar disponível para cada uma das pessoas que aparecem na fotografia da capa - e eu conjeturaria que eles poderiam ter mais de um exemplar disponível para cada, talvez uns dois ou três - você estaria olhando para uma prensagem de uns 100. Sabendo o que eu sei sobre como discos são manufaturados e o processo que os produz, não faria nenhum sentido para uma gravadora, até mesmo uma grande como a Capitol Records, passar por todos os problemas que envolvem a confecção de uma capa especial, a impressão destas capas e a manufatura delas, a não ser que se faça no mínimo uma centena delas.”
Uma vez que realmente não há nada a ser comparado a isso no presente momento, determinar um valor para este achado é difícil. “Eu não quero nem pensar a respeito de um valor específico em dólares”, diz Tefteller.
A respeito de vendê-lo para Panenka, Tefteller pensa que ele merece, e Panenka pensa da mesma forma. “Claro que eu mereço! Eu sou o homem-Beatle”, ri. Panenka (http://www.ultimatebeatlescollection.com/) é conhecido por possuir a maior coleção americana de discos dos BEATLES no mundo. Ele tem a foto deste LP Pepper, junto com fotos dos mais raros e mais valiosos discos americanos do Beatles.

a coleção é de babar mesmo e você pode ver nas 5 partes em formato pdf no link:
http://www.ultimatebeatlescollection.com/html/Announcements1.html

fontes:http://whiplash.net/materias/news_869/098685-beatles.html ou http://www.goldminemag.com/article/record_dealer_turns_up_ultra_rare_sgt_pepper

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Trabalho não utilizado dos Beatles é leiloado


"Untitled", uma coleção de cinco peças de arte pelo artista pop Jim Dine disse que era para ser destinado a um projeto previamente desconhecido para um álbum da Capitol Records envolvendo os Beatles, foi vendido em Los Angeles por 51.850 dólares, a casa de leilões Bonhams & Butterfields quarta-feira. Informações sobre o comprador não estava disponível.
A obra  era um lote # 1118 da venda # 17529 na categoria de "moderna, contemporânea e arte latino-americana". O leilão realizado 17 de novembro em Los Angeles e San Francisco.
Como o site tinha informado antes,nem um historiador proeminente dos Beatles nem os representantes da Capitol Records contactado nunca tinham ouvido falar do projeto, a obra foi designado para antes da notícia do leilão que foi anunciado.

Lançamento Anunciado do Soundtrack "Nowhere Boy"


Sony Music tem o prazer de anunciar o lançamento do CD e download digital do álbum da trilha sonora do ano, "Nowhere Boy" - o filme aclamado filme biográfico sobre a adolescência de John Lennon, que levou à sua carreira musical a partir do Quarrymen, a sua relação inicial com Paul McCartney e sua primeira viagem dos Beatles para Hamburgo.
Com um roteiro escrito por Matt Greenhalgh (mais conhecido por seu roteiro de Anton Corbjn's "Control", cinebiografia de Joy Division), "Nowhere Boy" é Sam Taylor-Wood's estréia na direção, e recentemente fechou o London Film Festival de aplausos e elogios. O filme é estrelado por Kristen Thomas como a tia Mimi, Anne Marie Duff como mãe de Lennon, e inclui uma carreira de definição do desempenho de Aaron Johnson como o jovem John Lennon.O CD será lançado dia 14 de dezembro de 2009 e abaixo as músicas que estarão.

CD1 - OST

Wild One - Jerry Lee Lewis
Mr Sandman - Dickie Valentine
Rocket 88 - Jackie Brenston & His Delta Cats
Shake, Rattle & Roll - Elvis Presley
Hard Headed Woman - Wanda Jackson
I Put A Spell On You - Screamin’ Jay Hawkins
Maggie May - The Nowhere Boys
That’ll Be The Day - The Nowhere Boys
Rockin’ Daddy - Eddie Bond & The Stompers
Twenty Flight Rock - Eddie Cochran
That’s Alright Mamma - The Nowhere Boys
Movin and Groovin - The Nowhere Boys
Raunchy - The Nowhere Boys
Hound Dog - Big Mama Thornton
Be-Bop-A-Lula - Gene Vincent and the Blue Caps
Hello Little Girl - Aaron Johnson
In Spite Of All The Danger - The Nowhere Boys
Mother - John Lennon

CD2 - (Faixas sujeitos de apuramento final)

Elvis Presley - Baby Let’s Play House
The Isley Brothers -Twist & Shout
Duane Eddy - Rebel Rouser
Charlie Rich - She Loved Everybody But Me
Lonnie Donegan - Putting on the Style
Buddy Holly - Peggy Sue
Frankie Vaughan - These Dangerous Years
Dale Hawkins - Susie-Q
Barrett Strong - Money (That’s What I Want)
The Del Vikings - Come Go With Me
Bill Haley - Rock Around the Clock
Lloyd Price - Stagger Lee
Little Richard - Rip It Up
Alligator Charles - See You Later
Little Richard - Long Tall Sally
Chan Romero - The Hippy Hippy Shake
Buddy Knox - Party Doll
Shirley & Lee - Let the Good Times Roll
Fats Domino - Ain’t That A Shame
Everly Brothers - Bye, Bye Love
Bobby Fuller Four - I Fought The Law
Jimmy Lloyd - I Got A Rocket In My Pocket

fonte:http://www.live4ever.uk.com/2009/11/john-lennons-biopic-soundtrack-nowhere-boy-released-as-cd-and-digital-download/

Paul McCartney rejeitou colaboração com Ozzy Osbourne


Em entrevista concedida ao site Heat, OZZY OSBOURNE revelou que PAUL MCCARTNEY rejeitou uma possível parceria entre os dois. O ex-vocalista do Black Sabbath disse ter ficado chocado na época, quando o ex-Beatle recusou tocar baixo em uma de suas canções.
"Foi fenomenal conhecer Paul McCartney (...) Eu estava no estúdio e tentei fazer com que ele tocasse uma de minhas músicas". Segundo Ozzy, McCartney disse que não poderia improvisar na linha de baixo da música em questão.