segunda-feira, 26 de agosto de 2013

O single Revolution completa 45 anos parte 2


Gravação 
A canção traz uma distorção nunca vista em nenhuma outra canção dos Beatles. Para conseguir tal efeito, foi adicionado um pedal de efeitos “fuzzer” direto entre o amplificador e a mesa de som do Abbey Road Studios e tocado com todos os ponteiros de captação no máximo e depois diminuídos na pós-produção.
No “The Beatles Anthology,” George Martin fala sobre o fato: “Nós adicionamos distorção nela, o que queimou os miolos de várias pessoas da parte técnica. Mas essa era a idéia de John, de elevar todos os instrumentos até os limites. Bem, fomos até o limite e além.” 
Em 9 de julho, durante as gravações de “Ob-La-Di, Ob-La-Da” os Beatles começaram a ensaiar “Revolution” a fim de tentar novos arranjos.
Embora o ensaio tenha sido gravado, no dia seguinte eles apagaram a fita e fizeram 10 novos takes, com palmas e outro estilo de bateria. Foi adicionado um efeito para deixar a bateria mais grave e as guitarras distorcidas foram comprimidas no limite, para dar um ar claustrofóbico na canção.
John Lennon adicionou 2 faixas de vocal nesse dia. Ele duplicou palavras chaves durante a canção, errando, muitas vezes para dar espontaneidade, e gravou também o grito da introdução. No dia seguinte, 11 de julho, foram adicionados o baixo e o piano elétrico tocado por Nicky Hopkins. A produção se seguiu pelos dias 12 e completadas na manhã do dia 13 de julho com mais linhas de baixo, e algumas guitarras tocadas por Lennon e McCartney.  
Lançamento 
A versão rápida de “Revolution 1” foi a primeira a ser lançada e a última a ser gravada. Lançada como lado B do single “Hey Jude,” no dia 26 de agosto de 1968, chegou sozinho as paradas atingindo a posição 12° nos EUA. Em 1970, a canção voltou a aparecer na coletânea Hey Jude, um álbum de compilações criado para o mercado americano, após o fim dos Beatles.  
Clipe promocional 
Os Beatles executaram a canção em semi ao vivo (com vocais ao vivo em cima de uma trilha pré-executada) em um vídeo promocional dirigido por Michael Lindsay-Hogg ao mesmo tempo em que o vídeo promocional de “Hey Jude” era produzido. O filme foi feito na inauguração de volta aos “shows” no programa de David Frost na ITV, em 4 de setembro de 1968. Enquanto os Beatles estavam cantando os vocais ao vivo para o filme, eles decidiram incorporar trechos da versão de “Revolution 1” do “Álbum Branco,” com Harrison e McCartney adicionando o vocal de apoio “shoo-bee-doo-wah” da versão mais lenta, deixando a canção parecida com uma 3° versão mais híbrida. 
Paul McCartney lidera o grito inicial na versão do filme promocional, pois Lennon não conseguiria soltar o berro e depois ter fôlego para voltar no primeiro verso do vocal.

Comentário:
É a minha música favorita dos Beatles e foi a partir dela que muita coisa começou a dar sentido na vida.Quando eu vi o video e escutei a música pela primeira vez a sensação foi de um tapa na cara!

fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Revolution_%28song%29

Nenhum comentário:

Postar um comentário