sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Ringo Starr se apresentou em SP com clássico dos Beatles e sua carreira

Com um intervalo de apenas três meses, o Brasil recebeu shows dos dois ex-beatles ainda vivos, Paul McCartney e Ringo Starr. O primeiro, em novembro, lotou estádios em três capitais diferentes. Já o baterista, apresentou-se nesta quinta-feira (26) em São Paulo com um espetáculo com sucessos de sua carreira solo e também dos Beatles e da sua carreira solo.Nesta sexta-feira (27), é a vez dos cariocas receberem o show de Ringo, que se apresentará no Vivo Rio.
Teca Lamboglia/HSBC Brasil
Um dos bateristas mais famosos do mundo, o britânico Ringo Starr, 74 anos, subiu ao palco do HSBC Brasil pontualmente às 22h, para um público de duas mil pessoas, com a canção "Matchbox", de Carl Perkins, que ele interpretava durante os shows dos Beatles. Em seguida, o artista apresentou "It Don't Come Easy", seguido de "Wings", dois sucessos de sua carreira solo. Esta é a terceira vez que ele se apresenta no Brasil.
Teca Lamboglia/HSBC Brasil
A apresentação foi preenchida com covers das bandas dos artistas do All Starr Band, um super-grupo composto pelo guitarrista Steve Lukather, do Toto; o tecladista Gregg Rolie, ex-Santana; Richard Page, do Mr. Mister, Todd Rundgren, Gregg Bissonette, que tocou com David Lee Roth, e Warren Ham.
Um dos destaques da apresentação foi o guitarrista Steve Lukather, que impressionou a plateia com solos elaborados nas canções "Rosanna", "Africa" e "Hold The Line", clássicas da sua banda Toto.
Durante o show, quando não esteve atrás da bateria, seu habitat natural, Ringo intercalou os vocais no centro do palco. Embora tenha mais de 50 anos de carreira, o artista ainda não se sente a vontade como o protagonista do espetáculo. Sem as baquetas, substituídas pelo microfone, o baterista cantou e dançou de maneira desengonçada, mas sem perder o carisma. "Quem de vocês gostaria de ficar o dia inteiro atrás de uma bateria? Adivinhem? Eu fico. E amo isso", disse Ringo.
Teca Lamboglia/HSBC Brasil
De fato, durante a maior parte da apresentação, Ringo se manteve na bateria, entregando aos fãs a sua inconfundível batida compassada, com suas baquetas quase que acariciando o instrumento que o consagrou nos Beatles.
Clássicos dos Beatles como "Don't Pass Me By", "Boys", "I Wanna Be Your Man", "Honey Don't", Act Naturally", além, é claro, de "Yellow Submarine" e "With a Little Help From My Friends", que formam imortalizados em sua voz, foram apresentadas durante o show. Além dessas, o baterista sempre cantava com os Beatles a faixa "Octopu's Garden", que não foi tocada no espetáculo. "Se vocês não conhecerem essa canção, certamente vocês estão no show errado", disse o baterista antes de iniciar os inconfundíveis acordes de "Yellow Submarine".
Antes de tocar outro sucesso dos Beatles, a música "I Wanna Be Your Man", Ringo disse que ela era dedicada a todas as mulheres. "Eu quero ser o homem de todas vocês", ele disse.  O show foi encerrado pontualmente a meia noite com o hino à paz de John Lennon e Yoko Ono, "Give Peace a Chance".

Comentário:
As pessoas que escreveram em alguns sites com duras críticas ao show e sua pessoa provavelmente devem fazer um show melhor do que o Ringo Starr!

fontes:UOL (fotos e set list) e BOL (fotos e set list)

Casa de infância de Paul McCartney foi vendida por £ 150,000

A casa de infância em Liverpool de Paul McCartney foi vendida por £ 150.000 ($231,000) em um leilão. 
A casa geminada em Western Avenue, Speke, foi onde o músico morava com os pais de 1947 até meados dos anos 50. 
A mãe Mary McCartney trabalhou como parteira na época, e da família disse era bem conhecido na comunidade. 
A venda foi realizada no Cavern Club de Liverpool onde os Beatles tocaram muitas vezes. 
O Guia turístico sobre os Beatles Paul Beesley disse: "Esta é uma casa importante porque é onde Paul passou seus anos formativos de estudante. 
"Ele foi exposto à música desde do inicio e seu pai tinha uma banda de jazz. O primeiro instrumento de Paul foi o trompete. 
"Há uma piada interessante sobre a senhora que se mudou para esta casa após a família McCartney deixar.Ela encontrou um livro sobre Rupert the Bear que foi assinado como 'este livro pertenceu a Paul McCartney e Mike [irmão de Paul].' 
"Paul era um grande fã de Rupert the Bear e ele realmente conhecia essa senhora depois de ouvir que tinha encontrado o livro."
Stephen Giddins, da imobiliárias Entwistle Green, disse que o imóvel foi vendido bem acima do preço de orientação de £ 100.000. 
"Estamos muito satisfeitos pelo nosso cliente, como estávamos conscientes de que havia um grande interesse na propriedade e queríamos garantir que conseguisse o melhor preço possível para eles", disse ele. 
A casa de infância de George Harrison foi vendida por £ 156,000. 
Outras vendas recentes de memorabilia dos Beatles incluíram um assento sanitário que pertenceu a John Lennon - que foi vendido por £ 9500 - e uma de suas guitarras.

fonte: BBC News or ITV News

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Paul McCartney será a atração principal do Firefly Music Festival

Paul McCartney anunciou hoje que será a atração principal do próximo Firefly Music Festival de 18 de junho a 21 de junho no Woodlands em Dover, DE.Esta será a primeira aparição de McCartney em Firefly onde se apresenta no dia 19 de junho e a última data confirmada da turnê Out There deste ano, que segue sobre o recente anúncio com shows no Japão e na Coréia do Sul. 
De acordo com a página do Facebook do festival,os ingressos VIP e Super VIP começam a ser vendidos nesta sexta-feira ao meio-dia.Admissão geral e pacotes de campismo estarão à venda segunda-feira ao meio-dia. Mais informações sobre ingressos está disponível no site da Firefly. O festival anunciou hoje que vai oferecer 10 ingressos para o festival para cada 1.000 compartilhações. Para entrar, como # Firefly2015 no Facebook.
As datas da turnê Out There 2015 por enquanto são essas:
-21 de abril em Osasa no Kyocera Dome
-23 de abril em Tóquio no Tokyo Dome
-25 de abril em Tóquio no Tokyo Dome
-27 de abril em Tóquio no Tokyo Dome
-02 de maio em Seul no Jamsil Olympic Stadium
-19 de junho em Dover no Firefly Music Festival

fonte: Paul McCartney e Beatles Examiner

Para comemorar o aniversário de George Harrison com um video inédito


Neste dia nós estamos lembrando do George. 
Aqui está um anúncio especial de http://georgeharrison.com 
"HAPPY BIRTHDAY GEORGE! Neste dia 25 de fevereiro de 1943 George Harrison nasceu em Liverpool, Inglaterra. Na verdade, o próprio George disse uma vez que a sua atual data de aniversário era no dia 24 de fevereiro! 
Então, para comemorar os dois dias, aqui está um clipe nunca antes visto de George cantando "Congratulations". Foi filmado durante as filmagens para o 30º aniversário do álbum All Things Must Pass em 2000, em Friar Park. É uma música dos TravelingWilbury, cantada por BobDylan em seu primeiro álbum: TravelingWilbury Vol. 1. "

fonte: The Beatles

Ringo Starr se apresentou em Sarasota

Ringo Starr se apresentou dia 24 de fevereiro em Sarasota na Flórida no Van Wezel Performing Arts Hall com sua All Starr Band.
Próxima parada será aqui no Brasil! em São Paulo dia 26 de fevereiro no HSBC e dia 27 de fevereiro no Vivo Rio!
Ringo pode chegar a qualquer momento no Brasil...se preparem!

fonte: Ticket Sarasota (várias fotos e set list)

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Feliz Aniversário - Happy Birthday George Harrison


Clube Big Beatles completa 25 anos.

Esse ano a banda Clube Big Beatles está completando 25 anos de atividades.
E para marcar a data o grupo está programando uma serie de eventos.
Um deles acontecerá em agosto, quando o Clube Big Beatles volta para Liverpool, Inglaterra.
Será o vigésimo primeiro ano consecutivo que o Clube Big Beatles – banda que está no Hall da Fama do Festival de Liverpool – representa o Brasil no International Beatle Week.
Isso mesmo: 21 anos participando do maior evento mundial em torno da musica dos Beatles.
E, esse ano, o Clube Big Beatles fará todas as apresentações utilizando, exclusivamente, músicas de Paul McCartney no repertório.
E não poderia ser diferente.
A banda ainda está impactada pelo privilegio de conhecer de perto Sir Paul McCartney.
McCartney pousou ao lado dos brasileiros do Clube Big Beatles.

Colaboração: Edu Henning

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Paul McCartney é premiado como a turnê do ano pela Pollstar Awards

Enquanto a maioria estava de olho na cerimônia do Oscat na noite passada,algumas pessoas em Nashville, também estavam cientes da cerimônia Pollstar Awards que acontecia,a cerimônia anual dedicado à música ao vivo em shows locais e turnês,premiou Paul McCartney como o grande vencedor da noite em que ele levou o prêmio como a "Grande turnê do ano", como atração principal do troféu da tarde. 
Outros vencedores foram Katy Perry pela criatividade da produção no palco.Sam Smith como Melhor artista revelação em turnê.Muitos dos prêmios no Pollstar lidaram com shows locais e mostra a si mesmos e não apenas os artistas que colocá-los.Austin City Limits ganhou como o Grande Festival de Música do Ano e uma série de prêmios também saíram para alguns dos lugares mais bem renomados nos Estados Unidos, incluindo o Hollywood Bowl e Red Rocks Amphitheater.
E no Brasil,o show de Paul McCartney em São Paulo também foi eleito como o melhor do ano.

fonte: Music Times

Ringo Starr se apresentou em Porto Rico


Ringo Starr se apresentou no Coliseo de Porto Rico em San Juan dia 22 de fevereiro

Ringo Starr se apresentou na República Dominicana

Ringo Starr fez o primeiro show de um Beatle na República Dominicana em Punta Cana no Hard Rock Café dia 21 de fevereiro

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Brian Epstein foi homenageado com uma placa em Liverpool

O empresário dos Beatles, Brian Epstein, foi homenageado no dia 22 de fevereiro com uma placa especial revelada na sua terra natal, em Liverpool.
A idéia para a placa foi criada por Marie Darwin, uma guia de turismo em Liverpool.Foi Darwin quem ajudou a trazer a cerimônia para instalar a placa no local de nascimento de Brian Epstein na 4 Rodney Street, Liverpool. 
"Ela estava trabalhando nesse sentido nos últimos dois anos", disse Donna Jackson . "A placa foi revelada hoje por Marie e Julia Baird," irmã de John Lennon.Donna Jackson disse era amiga de infância de Brian, Joe Flannery, também participou da cerimônia como fez Jeni Crowley e Viv Jones, duas mulheres que trabalhavam como secretários para Brian Epstein. 
Marie Darwin disse a BBC, "Brian era um visionário quando viu os Beatles em novembro de 1961. Ele deu um grande passo para levá-los para Londres. As pessoas riram dele na época, mas eles tinham um disco de agosto de 1962 ... e então ele lutou para chegarem na América. "Ela disse que Brian Epstein reconhecia pelo que ele fez em tão pouco tempo para os Beatles e para Liverpool.
"O papel de Brian no sucesso Beatles foi crucial e é sobre o tempo que ele foi homenageado em Liverpool", disse Donna Jackson."Marie tem trabalhado incansavelmente para instalar esta marca no seu local de nascimento com uma placa, e ela deve se sentir muito orgulhosa.É uma conquista maravilhosa que homenageia um homem verdadeiramente maravilhoso."

domingo, 22 de fevereiro de 2015

A fã brasileira que cantou e gravou com os Beatles

O ano era 1990 e, pouco depois de anunciar sua primeira ida ao Brasil, em uma entrevista coletiva para jornalistas brasileiros, Paul McCartney cumprimentou os profissionais de imprensa presentes no evento em Indianápolis, nos Estados Unidos.
Parou diante de uma fotógrafa. "Por que acho que te conheço?", perguntou.
"A gente cantou junto", respondeu Lizzie Bravo.
Há exatos 47 anos, a carioca fez história de maneira quase acidental ao participar de uma gravação dos Beatles no legendário estúdio de Abbey Road, em Londres. Ela e a britânica Gayleen Pease fizeram vocais de apoio em Across The Universe, balada composta por John Lennon. Uma história devidamente registrada em seus diários de adolescente, que ela transformou no livro Do Rio a Abbey Road.
E a participação ocorreu de forma inusitada: naquele 4 de fevereiro de 1968, Bravo, então com 16 anos, cumpria rigorosamente sua rotina de fã devota dos Beatles, montando guarda perto da portaria do estúdio em Abbey Road. Assim como fazia todos os dias desde que tinha chegado a Londres, em fevereiro de 1967, após convencer os pais a bancar uma viagem para Londres como presente pelo aniversário de 15 anos.
fotos tiradas por Lizzie Bravo
Mão levantada
"Paul apareceu na porta do estúdio e perguntou 'Quem aí de vocês consegue segurar uma nota aguda?'. Eu levantei a mão na hora, porque tinha sido soprano no coral do colégio. Nem pensei no motivo da pergunta", diz a brasileira, em entrevista à BBC Brasil. 
Bravo logo descobriria: ao entrar no estúdio 2, usado pelos Beatles desde suas primeiras gravações para a EMI, em 1963, ela e Pease encontraram os Beatles em meio a uma sessão de gravação.
"John e Paul explicaram que precisavam dos vocais de apoio, ensinaram para a gente o que queriam. Foram bem gentis comigo e Gaylee", lembra a carioca.
"Paul até brincou comigo, pedindo para que eu cantasse em 'brasileiro'. Naquela época, em Londres, você vir do Brasil era como ser um E.T."
Na época, os Beatles já viviam tensões internas fortes, ao ponto do baterista Ringo Starr, meses depois, abandonar as gravações do Álbum Branco após uma briga com McCartney. Mas Bravo tem recordações de uma sessão bem diferente.
"O clima no estúdio era tranquilo e os quatro estavam de bom humor, fazendo piadas e tudo. Foi tudo muito surreal e eu acabei cantando no mesmo microfone do John, que foi o Beatle de quem sempre gostei mais", contra a brasileira, hoje com 63 anos.
Foram duas horas de gravação e, segundo Bravo, "várias" tomadas foram feitas, o que obrigou as meninas a repetir à exaustão a frase "Nothing is gonna change my world" (nada vai mudar o meu mundo, em inglês), cantada de forma bem aguda. No final, Bravo e Pease simplesmente deixaram o estúdio. Bravo voltou para seus "posto" na porta. Pease foi para casa.
"A gente não tinha a menor noção do que acabara de acontecer. Éramos duas meninas, duas fãs. Não ficamos amigas dos Beatles. Costumo brincar que nenhum amigo me deixaria esperando por eles na neve. E, no dia da gravação, ficamos na porta do estúdio até duas da manhã", diz Bravo.
John e Lizzie Bravo
Sideral
A brasileira morou em Londres até outubro de 1969, religiosamente montando guarda todos os dias em Abbey Road.
"Trabalhava como babá e empregada, com pouca grana. Fiquei com saudades de casa", lembra Bravo
"Os Beatles estavam para se separar, já nem vinham todos os dias para o estúdio. E nem vinham juntos. Estava um pouco cansada daquela vida".
Across The Universe foi lançada em quatro versões diferentes, em apenas uma há o vocal de Bravo e Pease. Mas foi esta versão que acabou sendo escolhida pela Nasa em fevereiro de 2008 para a transmissão de uma mensagem enviada na direção da estrela Polaris, localizada a 431 anos-luz da Terra, para tentar contato com extraterrestres.
"Foi algo extremamente especial para mim que justamente a versão de que participei tenha sido escolhida. Até porque pouquíssimas pessoas tiveram a chance de sequer estar com os Beatles na mesma sala, o que dirá cantar com eles pelo espaço", brinca.
Embora não seja desconhecida, a história da fã brasileira recrutada pelos Beatles ainda causa surpresa. Com o livro, Bravo espera não apenas contar suas memórias de Londres, mas lançar um pouco mais de luz sobre o que ela chama de "humanidade" do quarteto.
"Os Beatles ganharam status de deuses ao longo dos anos, mas é importante que as pessoas saibam que eles eram gente como a gente. Também é importante mostrar para as gerações mais novas que essas estrelas nem sempre viviam no alto de um pedestal, algo impensável nos dias de hoje. Era um mundo mais ingênuo, sem essa coisa de seguranças e guarda-costas", conta a carioca.
Atualmente, ela participa de palestras em eventos de fãs dos Beatles e já foi contactada para participar da Internacional Beatleweek, uma espécie de "peregrinação" anual dos fãs do grupo a Liverpool, a cidade natal dos quatro músicos.
Lizzie Bravo e sua filha Marya
Em Indianápolis,ela teve um encontro rápido com Paul McCartney.Também naquela ocasião, nada foi falado sobre o cachê que ela e Pease deveriam ter recebido pela participação em Across The Universe.
Mas também ela viu George Harrison e Ringo Starr depois de 1990.
"Em 1968, Paul mencionou que a gente ganharia alguma coisa. Mas nunca quis cobrar, né?", argumenta a brasileira.
A ligação com os Beatles segue na vida da cantora: sua filha, Marya, faz parte do elenco de Beatles num Céu de Diamantes, musical inspirado na obras dos Beatles visto por mais de 350 mil pessoas no Brasil.

fontes: BBC Brasil e BBC UK

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Paul McCartney disse que fazer música era mais fácil no passado

Paul McCartney trabalha com música desde 1957 e tem visto mudanças na tecnologia que afetaram a maneira como ele produz seus rastros de vida.
Ele disse: ''O processo de fazer música,em algumas vezes para bandas jovens, pessoas mais jovens com quem estou trabalhando, que eu dizia que era muito mais fácil antigamente.
''Todo mundo que produzia os discos utilizando esta rotina. 10:30, pronto para ir. 1:30, nós esperamos que você termine duas músicas, mixado, gravado, feito. Você vai para casa no final do dia e você teria realizado quatro músicas. E eu olho para trás e tínhamos 'Michelle', 'Nowhere Man', 'Yesterday'. São canções que duraram. 
"Eu realmente aconselho os jovens atualmente: 'Você tem que escrever a música antes de ir. "Parece óbvio, mas as pessoas não fazem isso muito nos dias de hoje. Eles entram e dizem: 'Isso era uma boa parte.Faça no Pro Tools '
'É apenas uma nova forma de trabalhar, o que é muito mais luxuoso, mas eu não acho que é produtivo. ''
Paul McCartney,cujos colaboradores recentes incluem Kanye West e Rihanna,também admite que ele está menos preocupado com a maneira como a música é entregue, mas discorda de streaming porque significa que o compositor é pago por quantidades muito menores.
Ele disse: ''A tecnologia real de como você entrega a música não importa para mim, porque já passamos por vinil, fitas, fitas de vídeo, CDs, downloads via streaming. '' 
Quando perguntado por que ele tirou algumas de suas músicas de sites de streaming como o Spotify no passado, acrescentou a BBC News "Eu sinto pena pelo jovem compositor que compôs o seu único hit, e ele não vai ser pago por isso. Eu não acho que isso seja certo.'' 

fonte: Xposé Entertainment 

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O álbum Rock 'n' Roll de John Lennon completa 40 anos -parte final


Gravação
Lennon rapidamente terminou o trabalho em sua versão do álbum, deixando várias músicas de fora da seleção final.Em fevereiro de 1975, a Capitol Records lançou o oficial Rock n 'Roll, a um preço ligeiramente reduzida de varejo, mas os atrasos tinham tomado um grande pedido em vendas.A onda de nostalgia atingiu um valor máximo, e outros artistas como David Bowie e Bryan Ferry já tinham lançado projetos parecidos,tornando o sem novidade.
Não muito tempo depois o álbum apareceu, e Lennon se conciliou com Yoko Ono e ela logo ficou grávida. Determinado a não perder outro bebê depois de três abortos consecutivos, Lennon decidiu interromper a sua carreira musical pela sua família. Sean Lennon nasceria naquele mês de outubro (no 35 º aniversário do seu pai), após o lançamento do Shaved Fish (álbum feito a partir de uma compilação de Lennon de singles entre 1969-1975), Lennon não iria voltar com um novo lançamento até 1980.
Um segundo single, "Ain't That a Shame"/"Slippin N Slidin" (Apple 1883) foi anunciado, cópias promocionais foram pressionados, mas nunca foi lançado.
O álbum foi relançado em breve no Reino Unido pela Music for Pleasure com uma capa alternativa.Nos Estados Unidos, foi reeditado em Outubro de 1980 para coincidir com o 40o aniversário de Lennon.
Em 2004,foi relançado uma edição remasterizada e remixada com 4 faixas bonus,as músicas "Angel Baby","To Know Her Is to Love Her","Since My Baby Left Me" que foram lançadas no álbum Menlove Avenue de 1986 e "Just Because" (Reprise)
Em 2010,foi relançado remasterizado a partir das fitas originais.
A Capa
Lennon planejava usar como capa alguns de seus desenhos de infância para a capa do Rock'n'Roll mas como foi arquivado pelos problemas citados,usou no disco Walls and Bridges.
Em setembro de 1974, May Pang foi a primeira convenção da Beatlefest a mando de Lennon, e reuniu-se com Jürgen Vollmer, um velho amigo dos Beatles em Hamburgo, na Alemanha, que havia fotografado a banda em seus dias de Hamburgo. Ele estava vendendo alguns retratos marcantes, e Pang avisou a Lennon imediatamente telefonando para dizer-lhe o que tinha encontrado.Reunindo-se com Vollmer, em Nova Iorque, Lennon escolheu uma de suas fotos para o álbum de covers.
A foto retrata Lennon em uma porta com três figuras desfocadas passando por ele em primeiro plano.Essas figuras são Paul McCartney, George Harrison e Stu Sutcliffe.
Título de trabalho do álbum foi Oldies but Mouldies; nenhum título oficial havia sido escolhido até que Lennon viu o sinal de néon, preparada como arte da capa por John Uomoto, com o nome de Lennon e as palavras "rock 'n roll" abaixo.Esta bateu em Lennon de uma maneira positiva, e tornou-se o título do álbum.

fonte: Wikipedia

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

O álbum Rock 'n' Roll de John Lennon completa 40 anos -parte 2


Produção
Em maio de 1974, Lennon voltou para Nova York com Pang e começou a escrever e gravar um novo álbum de material original, Walls and Bridges.Assim como as sessões começaram, Al Coury, o então presidente da Capitol Records recuperou as fitas que estavam com Spector por $90.000.Não querendo quebrar a relação,Lennon arquivou as fitas e concluiu os trabalhos em Walls And Bridges.
Com Walls and Bridges lançando primeiro,Lennon havia renegado seu acordo com Levy.Para adicionar o insulto à injúria, Lennon incluiu um trecho do Levy que publicou  em "Ya Ya" Vamos a ele (com o filho Julian na bateria e da observação maliciosa "do que sentado na la la e se livrar dessa!" Na introdução da canção).Isso enfureceu Levy e ameaçou de abrir seu processo. Lennon explicou para Levy que tinha acontecido, e assegurou-lhe que o álbum de covers de fato estava sendo preparado.Lennon, em seguida, lembrou os músicos de sessão de Walls and Bridges para completar as faixas antigas.Levy ofereceu o uso de sua fazenda no interior de Nova York para a banda ensaiar.
Para garantir o progresso que estava sendo feito, Lennon deu uma cópia grosseira das sessões de análise.Levy ofereceu diretamente no mercado o álbum através de correspondência, através de sua própria gravadora, Adam VIII, ignorando a Capitol e a EMI, dando tanto Lennon e cobrar uma maior participação dos lucros do álbum.Lennon deu o seu parecer favorável, e considerou mesmo aparecer em um comercial de TV para promover o álbum, mas sabia que ele precisaria de aprovação da EMI, Capitol Records e Apple Corps para o negócio.Com tanto dinheiro e tempo investidos em Rock 'n' Roll, Capitol, EMI e a Apple se recusaram a dar o seu consentimento e insistiu que Lennon liberasse o acordo com seu contrato de gravação.Sentindo-se traído, Levy pressionou sua própria versão do álbum chamado ROOTS: John Lennon Sings The Great Rock & Roll Hits, a partir das fitas iniciais que Lennon tinha dado a ele e depois passou a processar Lennon, EMI e Capitol em R$ 42 milhões por violação de contrato.
ROOTS: John Lennon Sings The Great Rock & Roll Hits é um raro álbum enviado pelo correio, utilizando faixas do álbum de Lennon, Rock 'n' Roll lançado pelo selo de Morris Levy a Adam VIII.Estava disponível através de venda de televisão por três dias em janeiro de 1975 antes de Lennon e Apple / EMI tirado do mercado.
Em junho de 1976,o processo de Lennon, EMI e Capitol prevaleceu no Tribunal Distrital de Nova York.Levy foi culpado com uma pequena pena para a violação de direitos autorais em "You Can't Catch Me", mas a EMI teve que pagar 109.700 dólares em receitas perdidas, e US $ 42.000 a Lennon por "danos à sua reputação" - a partir da qualidade de som inferior (além de mixagens primitivas,algumas das canções foram aceleradas para caber mais faixas no disco) e do álbum que tinha uma "capa horrível"
Produção e distribuição de Roots foi interrompida.Com apenas 3000 cópias do Roots que teria sido pressionado,os originais são raros e procurados como itens de colecionador.Cópias em condição perfeita foram vendidas nos Estados Unidos por  $2000.Lennon estava desapontado com a forma do correio tinha trabalhado de fato, ter ordenado a sua própria cópia, como seguimento e esperando quase um mês para recebê-lo.
O disco tinha 2 faixas que não seriam lançadas  no álbum Rock 'n' Roll,as músicas "Be My Baby" e "Angel Baby"

Amanhã a parte final.....

fonte: Wikipedia

Ringo Starr se apresentou em Greenville

Ringo Starr se apresentou ontem dia 17 de fevereiro em Greenville no The Peace Center na Carolina do Sul

Ringo Starr se apresentou em Birmingham

Ringo Starr se apresentou em Alabama no BJCC em Birmingham dia 15 de fevereiro de 2015

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O álbum Rock 'n' Roll de John Lennon completa 40 anos -parte 1

Rock 'n' Roll é o 6º álbum de estúdio de John Lennon lançado no dia 17 de fevereiro de 1975 nos EUA e 21 de fevereiro no Reino Unido com canções de rock que John apreciava e tocava.A gravação do álbum durou um ano e as suas sessões foram dramáticas.Rock 'n' Roll se tornou outro hit de Lennon, chegando a 6º lugar, tanto no Reino Unido e Estados Unidos, onde logo foi disco de ouro.O single "Stand by Me" também ficou no Top 20 nos Estados Unidos se tornando um grande sucesso.
História
Gravado nos estúdios A & M de outubro a dezembro de 1973 no Record Plant Studios de 21 a 25 de outubro de 1974.
Em 1969,Lennon compôs a canção "Come Together" para o álbum dos Beatles,Abbey Road.Inspirado pela música do Chuck Berry "You Can't Catch Me", que era muito a semelhança melódica com o original e Lennon teve a primeira linha ("Here come old flat-top") para a nova letra.A Editora Morris Levy colocou um processo e o caso foi julgado em um tribunal de Nova Iorque, em dezembro de 1973.
John e Julian no set do seriado Happy Days em 1974
Entretanto,Lennon tinha se separado de Yoko Ono e foi viver em Los Angeles com sua assistente pessoal, May Pang.A nostalgia estava popular na época por causa do filme American Graffiti e a televisão estava preparando uma série chamada Happy Days (Lennon e Pang tinham visitado o set).Para evitar ter de voltar para Nova York, Lennon decidiu gravar um álbum de covers de rock'n'roll que ele conhecia e tocava há anos (após o Mind Games) e incluiu, no mínimo, três músicas do catálogo da Editora Morris Levy.Por sua vez,Levy aceitou.
Produção
Lennon se uniu com o produtor Phil Spector para gravar o álbum.Quando a notícia se espalhou que Lennon estava em Hollywood e iria gravar um disco,cada músico queria fazer parte das sessões.Muitos deles foram,como evidenciado pela extensa programação.Mas as sessões rapidamente caíram em desordem movido pelo álcool.Spector, uma vez apareceu vestido com roupa de um cirurgião e deu um tiro de revólver no teto do estúdio, ferindo os ouvidos de Lennon.Em outra ocasião, uma garrafa de uísque foi derramado sobre a mesa dos estúdios A&M causando sua expulsão para as futuras gravações.Em seguida, Spector desapareceu com as fitas da sessão e não se soube dele por vários meses.Spector fez uma chamada enigmática à Lennon, alegando que as "fitas de John Dean" a partir do escândalo do Watergate que tinha sido recente; Lennon deduziu que Spector significava que ele tinha as fitas masters do álbum.Quando um acidente de carro em 31 de março de 1974 Spector supostamente ficou em coma, o projeto foi colocado em espera por tempo indeterminado.

Continua amanhã...

fonte: Wikipedia 

Paul McCartney toca com Taylor Swift na festa do 40º aniversário do SNL

Foi um momento que muitas estrelas pop sonham quando tem a chance de cantar com um dos membros dos Beatles.
Taylor Swift cantou com Paul McCartney a sua música "Shake It Off" na festa do 40º aniversário so SNL no The Plaza Hotel em Nova York no domingo.
Taylor dedilhou uma guitarra enquanto Paul tocava baixo, e suas vozes estavam em perfeita harmonia.
É claro, a parte divertida foi Jimmy Fallon, que se juntou a eles no palco e cantou junto,enquanto balançava para cima e para baixo na ponta dos pés.
E Paul também animou a festa cantando I Saw Her Standing There com ajuda de Jimmy Fallon e Taylor Swift cantando juntos.

fonte: Daily Mail UK (fotos e video)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Paul McCartney participou do especial de 40 anos do Saturday Night Live

Ontem à noite o canal NBC exibiu o especial de 40 anos do programa Saturday Night Live com vários comediantes e celebridades e Paul McCartney cantou Maybe I'm Amazed,com direito a apresentação de Keith Richards.
Paul McCartney também apareceu no monólogo de abertura de Steve Martin, ao lado de Paul Simon cantando I've Just Seen A Face.

Paul McCartney fez show surpresa para o Dia dos Namorados em Nova York

Era quase 01:00 da manhã quando Paul McCartney deixou o palco no Irving Plaza, em Nova York na noite passada, e os fãs atordoados saindo e a equipe varreu confetti vermelho do fim do show,quase parecia que tudo tinha sido um sonho. Tudo começou no início da manhã de sábado: McCartney anunciou um show muito especial do Dia dos Namorados, naquela noite, com algumas centenas de ingressos disponíveis na porta do clube de rock, US $ 40 cada,o primeiro a chegar seria servido.
O Irving Plaza, com a sua capacidade de 1000 pessoas, não tanto como o Cavern Club, mas é um local muito menor e mais intimista provável que você veja alguém como McCartney em noite normal.Quanto menor o tamanho do palco significava que McCartney não podia contar com as telas de vídeo e pirotecnia que geralmente aconteciam em estádios e arenas e foram para isso, dando sem fôlego,um show energético de rock & roll bem selvagem sem uma pitada de tédio.
 Theo Wargo/Getty Images
McCartney e sua banda subiram ao palco às 23 horas começando com "Eight Days a Week".
McCartney teve que parar depois de cada um parar os aplausos pois a platéia estava ao delírio.Havia muitas pessoas famosas na seção VIP.
McCartney mudou o seu set list de costume com 4 músicas:"Nós vamos continuar com uma das primeiras músicas que escrevemos, muito tempo atrás, em Belém", brincou. Isso significava "One After 909", que ele e John Lennon escreveram em Liverpool, não muito tempo depois de se tornarem amigos no final dos anos 50.O mesmo aconteceu com a música seguinte, uma cover de Carl Perkins '"Matchbox" com um solo rockabilly de McCartney, e, um pouco mais tarde, um cover de Buddy Holy' "It's So Easy" "Costumamos fazer estas outras mais em passagens de som", disse ele. Ficou claro o quão divertido ele estava tendo revisitando essas primeiras influências, sem a necessidade de fazê-los chegar aos lugares em um estádio.
 foto: Evan Agostini
"Que tal você ficar lá e eu ficar aqui", ele respondeu quando um fã mais entusiasmados tentou apressar-se depois de "We Can Work It Out". "Eu tenho segurança, baby!" Sua brincadeiras entre-as músicas era mais livre do que o habitual. Em um ponto ele teorizou em voz alta sobre o paradeiro de seu baixo Hofner original, que foi roubado há muitos anos (ele imagina que um ladrão bêbado tem escondido em algum lugar no interior da Alemanha).
 foto: Evan Agostini
Um pouco mais cedo, depois a platéia cantar junto "beep-beep, beep-beep, yeah!" a partir de "Drive My Car", ele sorriu. "Isso é ótimo", disse ele. "Eu estou amando isso."
Paul foi assistir um jogo pela NBA antes de apresentar no Irving Plaza e domingo se apresenta participando do especial de 40 anos do programa Saturday Night Live
Esse foi o set list:
1. Eight Days A Week
2. Save Us
3. All My Loving
4. One After 909
5. Matchbox
6. Let Me Roll It/Foxey Lady Coda
7. Nineteen Hundred and Eighty-Five
8. My Valentine
9. Maybe I'm Amazed
10. I've Just Seen A Face
11. It's So Easy
12. Every Night
13. Another Day
14. We Can Work It Out
15. And I Love Her
16. New
17. Lady Madonna
18. Jet
19. Drive My Car
20. Ob-La-Di, Ob-La-Da
21. Back In The USSR
22. Let It Be
23. Hey Jude
24. Golden Slumbers/Carry That Weight/The End 

Colaboração: Claudia Tapety

fontes: Rolling Stone (set list e fotos) e Hava Sun News (fotos)