terça-feira, 31 de maio de 2016

Paul McCartney celebrou uma noite de amor em Paris


Menos de um ano depois de ter encantado o Stade de France, o eterno adolescente Paul McCartney ofereceu um show generoso para seus fãs de Paris na noite de ontem em Bercy dia 30 de maio.
Em breve fará 74 anos (18 de Junho),com uma carreira mais de cinquenta anos,mas ainda um grande desejo de se divertir nesta nova turnê, "One on One", lançada em abril: "Oi pessoal ! ", disse ele, jaqueta preta sobre a camisa branca para um show onde ele tocou quase 40 canções em 2 horas e 45 minutos.
foto Jean-Nicholas Guillo
Cercado por quatro músicos (guitarras, teclados e bateria), McCartney se move de um instrumento para outro - baixo, piano,guitarras acústicas e elétricas, ukulelele - para revisitar o repertório de Beatles e Wings (seu grupo entre 1971 e 1981) e algumas de sua carreira solo até o seu álbum mais recente NEW.
foto  David Wolff - Patrick/Redferns)
Pisou no palco às 21:10 abrindo com A Hard Day's Night,depois falou com público "sempre gostei de vim e tocar aqui, mas desta vez é realmente especial", disse ele em referência aos ataques de novembro em Paris.
 

foto  David Wolff - Patrick/Redferns)
Paul tocou "Michelle", "a única canção que eu sei em francês," disse com acordeão rigor na banda e monumentos parisienses sendo exibindo no telões.
Generoso como sempre,Paul McCartney também convidou alguns fãs no palco, incluindo um casal: a oportunidade de um rapaz chamado Nicolas fazer a sua proposta de casamento para sua namorada sob os aplausos de quase 20.000 espectadores!
Lançado na América do Norte em abril, a turnê  percorre a Europa até o final de junho, antes de voltar para o outro lado do Atlântico, com shows agendados até Outubro.
Esse foi o set list:
1. A Hard Day's Night
2. Save Us
3. Can't buy me love
4. Letting Go
5. Temporary Secretary
6. Let me roll it
7. I've got a feeling
8. My Valentine
9. Nineteen Hundred and Eighty-Five
10. Here, There and Everywhere
11. Maybe I'm Amazed
12. We Can Work it Out
13. In Spite of All the Danger
14. You Won't See Me
15. Love Me Do
16. And I Love Her
17. Blackbird
18. Here Today
19. Queenie Eye
20. New
21. Fool On The Hill
22. Lady Madonna
23. FourFiveSeconds
24. Michelle
25. Eleanor Rigby
26. Being For The Benefit Of Mr Kite
27. Something
28. Ob-La-Di Ob-La-Da
29. Band On The Run
30. Back In The USSR
31. Let It Be
33. Live And Let Die
34. Hey Jude
35. Yesterday
36. Hi Hi Hi
37. Birthday
38. Golden Slumbers/Carry That Weight/The End 

Próximo show será dia 02 de junho em Madrid no Estádio Vicente Calderón...

fontes: Yahoo e Le Parisien

segunda-feira, 30 de maio de 2016

O single Paperback Writer completa 50 anos

Paperback Writer é uma canção de 1966 gravada e lançada em 30 de maio de 1966 nos Estados Unidos e 10 de junho de 1966 no Reino Unido pelos Beatles.Escrita por Paul McCartney e creditada a Lennon / McCartney, a canção foi lançada como lado A do 11º single. O single foi para o posto de número 1 nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha Ocidental, Austrália, Nova Zelândia e Noruega. 
Foi o primeiro single britânico dos Beatles que não era uma canção de amor (apesar de "Nowhere Man", que foi um single nos EUA, era a sua canção do álbum lançado pela primeira vez com esta distinção).Na Billboard Hot 100 dos EUA, a canção foi o número um durante duas semanas não consecutivas, sendo interrompida por Frank Sinatra,com a música "Strangers in the Night".
Paperback Writer " foi a última canção nova dos Beatles tocada em sua turnê de 1966.
Gravação
A faixa foi gravada entre 13 e 14 de abril de 1966.
Paperback Writer "é marcado pelo som de guitarra e baixo impulsionadas por toda parte. 
"Paperback Writer "foi a primeira vez que o som do baixo tinha sido ouvida com toda a sua emoção", disse o engenheiro dos Beatles, Geoff Emerick no livro de Mark Lewisohn, The Complete Beatles Recording Sessions. "Para obter o som alto e grave,Paul tocou um baixo diferente, um Rickenbacker. Então,impulsionou ainda mais usando um alto-falante como um microfone.Posicionamos-lo diretamente em frente ao alto-falante de graves e do diafragma que se deslocam do segundo falante que fez a corrente elétrica. "
As harmonias vocais de fundo no início do segundo refrão são cantadas por Lennon e George Harrison que cantam o título da canção."Estas harmonias ocorreram em pouco mais de um minuto na faixa.
John durante a gravação de Paperback Writer
Emerick afirmou que o single "Paperback Writer"/ "Rain" foi cortada mais alto do que qualquer outo disco dos Beatles até aquele momento, devido a uma nova peça de equipamento utilizado no processo de masterização, conhecida como "Automatic Transient Overload Control", que foi concebido pelo departamento de manutenção EMI.
Letra da música
De acordo com o disc jockey Jimmy Savile, McCartney escreveu a canção em resposta a um pedido de uma tia que perguntou se ele poderia "escrever uma única que não fosse sobre o amor."Savile disse: "Com esse pensamento, obviamente, ainda em sua mente, ele andou pelo quarto e notei que Ringo estava lendo um livro. Ele deu uma olhada e anunciou que iria escrever uma canção sobre um livro. "Em uma entrevista em 2007, McCartney lembrou que ele escreveu a música depois de ler no Daily Mail sobre um aspirante a autor, possivelmente Martin Amis.
A letra da canção estão na forma de uma carta de um aspirante a escritor dirigida a um editor. A autora necessita urgentemente de um emprego e tenha escrito uma versão de um livro de bolso de "um homem chamado Lear." Esta é uma referência ao pintor vitoriano Edward Lear, que escreveu poemas e canções que Lennon gostava muito (embora nunca Lear escreveu romances).
Além de desviar o assunto do amor, McCartney tinha em mente para escrever uma canção com uma melodia apoiada por uma corda, única e estática. "John e eu gostaríamos de fazer músicas com apenas uma nota como" Long Tall Sally ". Chegamos perto dele em "The Word".McCartney afirmou ter quase não conseguido alcançar esse objetivo com" Paperback Writer ", como o verso que continua no G até o final, momento no qual ele faz uma pausa em C. 

O single Rain completa 50 anos

Rain é uma canção creditada a Lennon/McCartney. Foi lançada em 1966 como lado B de "Paperback Writer". Ambas as canções foram gravadas durante as sessões do Revolver, mas não aparecem no álbum.
Escrito principalmente por John Lennon, "Rain" tem sido chamado do melhor lado B dos Beatles, especialmente notável por sua presença forte e sonora por trás dos vocais, os quais foram uma sugestão do que está por vir em Revolver, lançado dois meses depois.
Gravação
A inspiração para "Rain" veio de Neil Aspinall e John Lennon. Ambos descreveram a chegada da banda em Melbourne, na Austrália, marcada pela chuva e mau tempo.Lennon disse: "Eu nunca vi chover tanto, exceto no Tahiti", e explicou mais tarde que "Rain" foi "sobre as pessoas de se lamentar sobre o clima o tempo todo ".
A gravação começou em 14 de abril de 1966, na mesma sessão com a "Paperback Writer", e concluiu em 16 de Abril, com uma série de overdubs antes de mixar no mesmo dia.Nessa época, os Beatles estavam entusiasmados com experimentação em estúdio para alcançar novos sons e efeitos.Estas experiências foram apresentadas no seu 7º álbum, Revolver. Geoff Emerick, o engenheiro que trabalhou nas duas sessões, descreveu uma técnica que ele usou para alterar a textura sonora da faixa, gravndo a música de fundo "mais rápido que o normal." Depois de tocar a fita normalmente ", a música tinha uma qualidade radicalmente diferentes de tons.A mesma técnica foi usada para alterar o tom vocal de Lennon.Foi gravada com o gravador de cassetes,para fazer som da voz de Lennon mais alta quando reproduzida em velocidade normal.O último verso de "Rain" mostra a fita tocada de trás para frente, que foi um dos primeiros usos dessa técnica em disco.Os vocais que estão por trás de Lennon cantando a letra da canção: "When the sun shines", "Rain"e "If the rain comes, they run and hide their heads"Tanto Lennon e o produtor George Martin tem reivindicado o crédito pela idéia, Lennon disse:
"Após a sessão de gravação da canção - que terminou às quatro ou cinco da manhã - eu levei a fita para casa para ver o que mais eu poderia fazer. E eu estava meio cansado, não sabendo bem o que estava fazendo, e coloquei no gravador de forma incorreta, tocando-a ao contrário. E gostei. Foi o que aconteceu."
Emerick confirmou o acidente criativo de Lennon, mas Martin lembra de forma diferente:
"Eu estava sempre brincando com as fitas e eu pensei que seria divertido fazer algo extra com voz de John. Então eu levantei um pouco do seu vocal principal fora da faixa quatro, coloquei em outro carretel, girei ao redor e então deslizou para trás e para frente até que ele se encaixa. John estava fora no momento, mas quando ele voltou, ele ficou surpreso."
O single "Paperback Writer"/ "Rain" foi o primeiro que usou um novo dispositivo inventado pelo departamento de manutenção no Abbey Road chamado "ATOC" para "Automatic Transient Overload Control". O novo dispositivo permitiu o disco a ser cortado em um volume mais alto, mais alto do que qualquer outro single até aquele momento.Sobre a mixagem final do single, Lennon estava no vocal e guitarra base (1965 Epiphone Casino). Paul McCartney estava no backing vocal, bem como no baixo (1964 Rickenbacker 4001S). George Harrison estava no backing vocal e guitarra principal (1962 Gibson Les Paul (SG) Standard). Finalmente, Ringo Starr tocou bateria (Ludwig) e pandeiro. 
Lançamento
Ela foi lançada como lado B de "Paperback Writer" nos Estados Unidos (Capitol 5651), em 30 de Maio de 1966 e no Reino Unido em 10 de junho de 1966 (Parlophone R5452). Ela apareceu mais tarde nas coletâneas Hey Jude nos EUA e Rarities no Reino Unido. Ela também apareceu no CD Past Masters (Parlophone CDP 7 90044 2).

fontes: Wikipedia e The Beatles

domingo, 29 de maio de 2016

Paul McCartney abalando a Esprit Arena em Dusseldorf

Paul McCartney abalou o Esprit Arena, em Dusseldorf com seu show da turnê "One on One".Com um "Hallo Düsseldorf – Helau", ele cumprimentou os fãs.
Os 27.500 espectadores na noite de sábado dia 28 de maio,no Esprit Arena,todos vieram principalmente para se divertir com uma das últimas grandes lendas da música do nosso tempo.
Foto dpa
Paul abriu com A Hard Day's Night e depois de tocar Save Us falou com o público " É ótimo estar de volta depois de um longo tempo."  
Paul manteve o mesmo set list:
1. A Hard Day's Night
2. Save Us
3. Can't buy me love
4. Letting Go
5. Temporary Secretary
6. Let me roll it
7. I've got a feeling
8. My Valentine
9. Nineteen Hundred and Eighty-Five
10. Here, There and Everywhere
11. Maybe I'm Amazed
12. We Can Work it Out
13. In Spite of All the Danger
14. You Won't See Me
15. Love Me Do
16. And I Love Her
17. Blackbird
18. Here Today
19. Queenie Eye
20. New
21. Fool On The Hill
22. Lady Madonna
23. FourFiveSeconds
24. Eleanor Rigby
25. Being For The Benefit Of Mr Kite
26. Something
27. Ob-La-Di Ob-La-Da
28. Band On The Run
29. Back In The USSR
30. Let It Be
31. Live And Let Die
32. Hey Jude
33. Yesterday
34. Hi Hi Hi
35. Birthday
36. Golden Slumbers/Carry That Weight/The End

Próximo show será dia 30 de maio em Bercy,Paris na Accor Arena...

fontes: Express e WELT e Set List

Paul McCartney relembra o difícil começo dos Beatles em Hamburgo


Paul McCartney durante um ensaio na sexta-feira, em Dusseldorf. disse que guarda algumas memórias especiais sobre o início dos Beatles "Você sabe, quando tocamos em Hamburgo, nós não sabíamos se alguma vez iríamos encher o salão.No início não havia realmente muitas pessoas no clube. Então tivemos que primeiro aprender a manter o clube cheio, como tocar bem. John até tentou aquecer o lugar ".
"Algumas músicas minha eu não tinha ouvido por 20 anos. Porque eu não toco muito das minhas próprias músicas antigas, eu ouço mais as mais novas ou quando eu escrevo coisas novas.Então eu estava surpreso com a minha própria música, que era boa ".

fonte: Stern

Dusseldorf recebe Paul McCartney

Era 16:30 quando Paul McCartney saiu do hotel Breidenbacher Hof em Dusseldorf levando a loucura os fãs que esperavam na porta.
Foto: Uwe Schaffmeister
Acenando para a multidão,sendo aplaudido e chegou a dar um autógrafo para um menino que correu até ele.
Foto: David Young
Em seguida, ele entrou em sua limusine e seguiu em direção a Arena onde fará o show abrindo a turnê pela Europa.

fonte: RP Online

sábado, 28 de maio de 2016

Paul McCartney chega em Dusseldorf

Dusseldorf aguarda a chegada de um superstar.E a espera não termina quando então finalmente chega Paul McCartney com um atraso de 1 hora e meia em Dusseldorf. na Alemanha.
Na verdade, sua chegada foi marcada para 17 horas. Finalmente desembarcou Paul McCartney com seu jato somente às 18h30 na sexta-feira em Dusseldorf. Ele ficará no hotel Breidenbacher Hof, onde já há centenas de fãs à espera de sua chegada. 
Na noite de sábado, McCartney se apresenta.

Colaboração: Beatle Ed correspondente 24 horas do Canadá

fonte: RP On Line (photos)

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Passeando com os Beatles no parque em 1966

Em 20 de maio de 1966, as quatro pessoas mais famosas do mundo entraram no parque para gravar dois filmes promocionais inovadores para o single; Paperback Writer e Rain.
Annie Welburn (Evans) tinha escalado a parede em Chiswick House para ver os Beatles,quando ela foi vista e chamada por John.
John.Annie e George
Ela disse: "A partir desse momento eu estava em um mundo dos sonhos. John e George foram realmente encantadores.John me chamou.George pôs o braço em volta de mim (apesar que na foto mostra John abraçando a) e sorriu. "Paul e Ringo se aproximaram. Paul disse "Oi" Fiquei espantado,eles eram simples.Enquanto estávamos falando ... bem eles eram, eu só gostava de passear com eles e não ser convidada a sair. "
George,Annie abraçada a John
A banda levou a fã até a sua certificando-se de que ela estava bem, ofereceu-lhe um pouco de peixe e batatas fritas e perguntou se ela precisava de uma carona para casa, e até hoje ela não consegue acreditar que ela não pediu quaisquer autógrafos.
Sua foto com a banda têm sido destaque nas revistas de fã clubes dos Beatles e News of the World.
Shirley Bascran e seu filho Jim que viveu em Chiswick nos anos 60 estavam fazendo a sua caminhada diária na propriedade, com a amigo Judy e sua filha Lisa, seguindo o funcionamento da escola quando notaram uma equipe de filmagem.
John Kenton, Shirley Bascran, Sandy Loewenthal e Nigel Fox
Sra Bascran surpreendeu-se ao ver a banda, disse: "Foi muito emocionante. Fiquei impressionado como John e Paul eram altos.Um membro da equipe pediu para as crianças descerem da árvore, mas um da banda, eu acho que foi John Lennon, disse: "Não, deixá-os '.
"Ficamos surpresos quando descobrimos que Jim e Lisa podem ser vistas no fundo do vídeo Rain.
Costumávamos falar sobre esse dia, foi muito especial ".
Os amigos Sandy Loewenthal e Nigel Fox eram ambos alunos da escola Chiswick Grammar  em 1966.
"Eu fiquei sem palavra quando vi John, que eu achava que era um grande cantor e escritor e conseguia pensar em nada inteligente para dizer.Então eu falei "Você escreveu alguns bons livros" e John respondeu "Eu só escrevi dois"
"Nós só queríamos estar com John e que até peguei um autógrafo! Na verdade, foi na parte de trás do meu calendário escolar"
Enquanto isso,o jardineiro do parque Chiswick House, John Kenton que tinha 18 anos, foi dada a tarefa de transportar o equipamento da banda durante todo o dia.
"Minha melhor lembrança é de John Lennon perguntando se ele poderia montar na minha bicicleta - era uma Moulton - então uma bicicleta moderna e ele nunca tinha montado uma antes. Os outros três estavam assistindo".
Os fãs dos Beatles ainda fazem uma peregrinação ao Chiswick House, que foi restaurado à sua antiga glória graças a uma renovação de £ 12m em 2010, e é usado para casamentos, filmes e eventos, como seu festival de verão.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Paul McCartney conta histórias em série gravada em realidade virtual

O ex-Beatle Paul McCartney será personagem principal de um documentário em realidade virtual. Programado para ter seis episódios e encerrar em 14 de junho, junto ao lançamento da coletânea Pure McCartney, a produção foi gravada na casa de Paul e irá apresentar o músico contando histórias sobre algumas de suas composições e também mostrar arquivos e materiais inéditos.
A produção terá áudios originais de Macca mixados, pela primeira vez, em sistema Dolby Atmos. Todos os episódios serão lançados por meio do aplicativo Jaunt VR - compatível  com Android, iOS e dispositivos de realidade virtual.
A empresa responsável pela produção da série já havia se unido ao cantor para gravar, também em realidade virtual, a apresentação de McCartney realizada em São Francisco no final do ano passado.
"É uma honra fazer parte de uma equipe tão tremendamente talentosa de artistas, com a tarefa de documentar o pensamento deste grande homem, a fim de trazer seus fãs um novo meio de experimentar algumas de suas maiores canções", disse Tony Kaye, diretor para 'Pure McCartney VR'. "Seu gênio musical agora está em exibição para o mundo sob uma luz inteiramente nova."
"Estamos habituados a ver os artistas se conectando com seus fãs através de capas de álbuns e encarte, mas que a expressão pessoal, e uma compreensão mais profunda da música, tem diminuído ao longo dos anos ", disse Cliff Plumer, Presidente da Jaunt Studios. "Com a realidade virtual, Paul McCartney está dando o passo mais inovador ainda; ele está conectando-se diretamente com seus fãs, para partilhar os seus pensamentos e experiências mais íntimas, de uma forma totalmente nova, pessoal e envolvente.
Cada episódio de Pure McCartney VR pode ser acessado na seção Pure McCartney do aplicativo Jaunt e vai estrear a cada semana até 14 de Junho.
Aqui está a programação completa de Pure McCartney VR:
-Terça, 24/05 - Dance Tonight
-Terça, 24/05 - Coming Up
-Terça, 31/05 - My Valentine, Parte I
-Terça, 6/7 - My Valentine, Parte II
-Sexta, 6/10 - Mull of Kintyre (dia do lançamento do álbum PURE McCartney)
-Terça - feira, 14/6 - Early Days

Colaboração: Beatle Ed correspondente 24 horas do Canadá

Paul McCartney cita depressão após fim dos Beatles: 'Apelei para o álcool'

O cantor britânico Paul McCartney confessou que passou por uma depressão após a ruptura dos Beatles e que inclusive considerou deixar a música definitivamente. O relato foi feito a um programa de rádio "Mastertapes", da BBC 4, que nesta terça-feira (24) antecipou trechos da conversa.
O ex-Beatle também contou que começou a beber muito depois que a banda de Liverpool decidiu se separar em 1970. A íntegra da entrevista vai ser divulgada no sábado (28).
"Foi difícil saber o que fazer depois dos Beatles. Como seguir adiante?", perguntou-se Pau. "Estava deprimido. Você estaria. Eu estava rompendo com meus amigos da vida inteira. Então, apelei para o álcool", disse.
Os Beatles se separaram oficialmente em 1970 após o lançamento do disco "Ler it be".
"O business nos separou", reconheceu McCartney, que diz que a separação provocou uma depressão já que não sabia "se ia continuar na música", por isso que viajou à Escócia por um tempo e lá começou a beber.
Segundo explicou, foi sua mulher na época, Linda, que lhe ajudou a sair dessa situação ao formar com ela a banda Wings.
"Foi terrível. Nós não éramos uma boa banda. As pessoas diziam 'Linda não sabe tocar teclado', e era verdade", disse. "Mas John também não sabia tocar guitarra quando começamos [os Beatles]."
Relação com John Lennon
Em sua conversa com a BBC, Paul McCartney também expressou sua tranquilidade por ter melhorado sua relação com John Lennon antes que de ele ser assassinado em Nova York em dezembro de 1980.
"Foi realmente grandioso que estivéssemos outra vez juntos antes de sua morte porque teria sido algo muito difícil de lidar", contou o músico do quarteto britânico.
Entre outras coisas, Paul reconheceu que a concorrência que sentia com Lennon quando formavam o grupo ajudou a criar alguns de seus melhores trabalhos musicais.
"Quando se é jovem, ocorrem coisas mágicas, estar na banda, a concorrência com John, ser uns meninos e de repente sermos famosos e isso deu passo a um bom trabalho", explicou.
O programa "Mastertapes" foi gravado em um estúdio da BBC no centro de Londres onde os Beatles cantaram algumas canções para a rádio nos passados anos 1960.
Na gravação, segundo a emissora, estiveram famosos como Brad Pitt, Noel Gallagher, Martin Freeman, Simon Pegg e James Bay, assim como membros do público que fizeram perguntas a McCartney.

fontes: Globo/G1 ou BBC

terça-feira, 24 de maio de 2016

Especial Mastertapes com Paul McCartney pela BBC radio 4

A BBC radio 4 vai transmitir dias 24 e 28 de maio o programa Mastertapes com Paul McCartney.
A entrevista foi gravada dia 11 de maio nos estúdios Maida Vale da BBC com o apresentador John Wilson.
Paul respondeu algumas perguntas da platéia que tinha alguns artistas como Paul Weller que perguntou se Paul fica frustado quando o público não quer ouvir seu trabalho mais recente e Noel Gallagher que perguntou qual ele gostava mais da Mary ou Stella.
A primeira transmissão que será exibida pela BBC Red Button será dia 24 de maio às 06:00 da manhã,hora local.
Nesta edição especial de 1 hora de Mastertapes, Paul McCartney fala com John Wilson sobre sua carreira e responde as perguntas da platéia nos estúdios Maida Vale.
A segunda transmissão será dia 28 de maio às 10:00 da manhã pela BBC radio 4.hora local.
Nesse especial de 1 horas,Paul McCartney junta-se John Wilson nos estúdios da BBC Maida Vale para discutir a composição, sua carreira solo depois dos Beatles e responde as perguntas da platéia. Ele também reflete sobre suas recentes colaborações com Kanye West, bem como recordando qundo trabalhou com George Martin, Stevie Wonder, Michael Jackson e - inevitavelmente - John Lennon. 
Ambas transmissões estarão disponivéis no site para exibição até uma data limite.

Colaborações: Beatle Ed e Eric Bourgouin correspondentes 24 horas do Canadá

fonte: BBC radio 4

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Amigos de Paul McCartney revelam o seu lado secreto

Na sua nova edição, que estará nas bancas agora,Closer Weekly fornece um olhar em profundidade dentro do lado secreto de Paul McCartney que apenas seus colaboradores mais próximos sabem - incluindo o desgosto que ele tem sofrido ao longo dos anos e sua jornada para encontrar a verdadeira felicidade.
"Nós sempre pensamos nele como um cara feliz e sortudo,mas Paul veio das ruas. Ele era um garoto durão, "Bob Spitz, autor do livro The Beatles: The Biography. 
Sobre a separação dos Beatles Bob Spitz disse "Ele era um ditador no estúdio", lembra "Sempre que alguém me pergunta se eu acho que Yoko Ono separou os Beatles, eu sempre digo a eles: 'Não, Paul separou os Beatles'".
O músico, que se casou com Linda Eastman em 1969, também perseguia os seus companheiros de banda para permitir que o pai de Linda gerisse os Beatles. "John não queria isso", diz Chris Hutchins, autor do livro The Beatles: Messages from John, Paul, George and Ringo. "Basicamente porque eles tinham dissolvido o grupo."
A dissolução dos Beatles mergulhou Paul em uma depressão profunda. "Ele estava bebendo muito e estava a beira de um colapso", disse Philip Norman autor do livro Paul McCartney: The Life. "Linda ajudou-o através dela apenas por estar lá."
"Eles eram um casal muito, muito ligado", lembra Laurence Juber, guitarrista do Wings, de 1978 a 1981. "Wings era a banda de Paul e de Linda, que não era apenas de Paul." Ele ensinou Linda a tocar teclados, e o casal trouxe os filhos, Stella, James, Mary e Heather (filha de Linda de seu primeiro casamento) em turnê.
Os últimos cinco anos de sua vida juntos foram os mais doce, mas o diagnóstico de câncer de mama em 1995 e sua morte, três anos mais tarde aos 56 anos quase destruiu Paul. "Por muitos meses, ele estava fora de comunicação com o mundo", disse Philip Norman, que revela que Paul sequer entrou em terapia do luto.
Em 1999, quando Paul encontrou a modelo Heather Mills, ele estava em um estado muito vulnerável e, apesar de sua separação,um amigo disse que Paul pode ver uma fresta de esperança "... ele tem uma filha [Beatrice] em seguida, Nancy Shevell entrou em sua vida. "Nancy tem um comportamento muito doce", disse o amigo. "Ela é um grande companheira. Eles entendem um ao outro e ambos viveram vidas muito, muito interessantes.Existe amor verdadeiro neles "

Comentário:
Em 2006,quando Paul se separou de Heather e foi algo tão duro para ele que Paul teve que fazer exames do coração e isso foi escondido a imprensa.

fonte:  Closer Weekly