segunda-feira, 24 de abril de 2017

Paul McCartney chega no Japão para a turnê 2017

Era 19 horas e 40 minutos em 23 de abril de hoje,quando Paul McCartney chegou ao aeroporto de Haneda para a turnê no Japão.
Quando passou o portão,Paul e sua esposa Nancy Shevell foram recebidos gritos e forte emoção em Tóquio onde mais 700 fãs esperavam por horas.
Paul chegou a comentar em seu instagram "forte boas vindas dos fãs no Japão!"
O ex-Beatle ficou o tempo todo protegido por uma forte segurança feita por alguns particulares e guardas de Tóquio,enquanto Nancy ficava de longe.
Paul chegou a cumprimentar alguns fãs mas não era fácil tamanha a forte recepção e autografou alguns itens para os fãs.
Paul faz show dia 25 de abril no famoso Budokan e depois faz shows dias 27,29 e 30 de abril no Tokyo Dome 

Colaborações: Claudia Tapety e Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

fontes: NME Japan (japanese) e Daily Mail UK (photos & video)

domingo, 23 de abril de 2017

Ringo Starr fez escritor fumar cigarro com folhas de repolho

O baterista dos Beatles, Ringo Starr, enganou o biógrafo da banda para "ficar alto" em um "cigarrinho" que foi feito com folhas de repolho.
O escritor Hunter Davies revelou que ele foi enganado quando fumou durante os 18 meses que ele passou com o supergrupo no auge da década de 60.
O escritor escocês Davies, 81 anos, falou com carinho em sua primeira experimentação com "drogas" em seu novo livro The Co-Op's Got Bananas! - suas memórias quando cresceu nos anos 50 e 60.
Ele disse: "Este dia, Ringo me deu um"cigarro de maconha" para tentar nos anos 60. Eu não fumo e nunca tomei drogas durante toda a minha vida, mas levei pra casa para minha esposa.
"Bem, fechamos as cortinas, tirámos o telefone do gancho e ficamos voando por meia hora, mas não nos sentimos diferentes e trabalhamos durante toda a noite.
"Na próxima vez que vi Ringo eu disse: 'Não senti muito com seu cigarro de maconha'. Foi quando ele me disse que era apenas folhas de couve. "
Davies, que nasceu em Johnstone, Renfrewshire, recebeu permissão para escrever sua biografia dos Beatles enquanto gravavam o icônico álbum de Sgt Pepper.
Davies diz: "Eu vivi com eles por 18 meses e eu estava em Abbey Road durante toda a fabricação de Sgt Pepper's.
"Você conhece a famosa fotografia do Sgt Pepper? Eu estava lá no estúdio no momento em que estavam sendo fotogrados e eles teriam Hitler e eles teriam Jesus - mas no último minuto as pessoas disseram que podia ser de mau gosto."
Davies ainda é amigo íntimo de Paul McCartney e convidou a lenda do pop para seu 80º aniversário no ano passado.
Davies diz: "Eu o convidei, mas ele me escreveu para dizer que estaria viajando dos EUA naquele dia e não poderia vir.
"Ele escreveu 'Oitenta? Incrível. Muito Bem. Bom trabalho. "
Em um capítulo de seu último livro, Davies revela que Paul apareceu inesperadamente com sua nova namorada americana Linda Eastman, que ele mais tarde casou, e sua filha Heather durante uma festa em família em Portugal em 1969.
Ele disse: "Linda ficou conosco por duas semanas naquele feriado. E enquanto estávamos lá, Mary, sua filho mais velha, foi concebida. Ela nasceu exatamente nove meses depois
"Eu a vi dois anos atrás, quando fui a sua festa e foi a primeira vez que eu conheci Mary desde que ela cresceu. Ela me deu um abraço e disse: "Oh, você deve ser o meu padrinho," porque ela foi concebida em nossa casa em Portugal. "
Hunter Davies também revela que Paul McCartney, escreveu certa vez uma música sobre ele que nunca foi lançada.
O cantor veio com a melodia depois de descobrir que o seu verdadeiro nome do amigo de Hunter era Edward durante uma pausa em Portugal em 1969.
Davies diz: "Ele foi para o banheiro e, quando voltou, tocou-nos uma canção encantadora em sua guitarra, que dizia: ' There you go, Eddie, Eddie, Eddie; there you go, Eddie, Eddie you’ve gone'. "
Anos mais tarde Davies ouviu em um bootleg, gravado durante uma das sessões Let It Be.
Paul canta e toca para John Lennon, que parece bastante impressionado. Mas nunca apareceu em nenhum álbum.
Davies diz: "Eu adoraria ter sido a inspiração e assunto de uma música dos Beatles. Que pena." 

Comentário:
No dia 24 de janeiro de 1969,Paul tocou a música There You Are,Eddie para John Lennon durante as sessões do álbum Let It Be,a música você pode escutar AQUI!

fonte: The Sun

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Paul McCartney "Foi um risco!" sobre o Sgt. Pepper

Paul McCartney ajuda a MOJO a comemorar 50 anos do Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band, com uma entrevista exclusiva na revista que chega às lojas do Reino Unido na terça-feira, 25 de abril. Ele lembra as circunstâncias em torno do grupo do álbum mais inovador e dá o seu veredicto sobre a nova mixagem estéreo projetado para adicionar pernas a uma música popular.
Mas como McCartney lembra a MOJO, antes do Sgt. Pepper se tornar um ícone, houve um período de perplexidade crítica. Como se atreve a banda dos Beatles a fazer algo estranho?
"Nós sempre estávamos escutando, 'Você vai perder todos os seus fãs com este'." McCartney diz MOJO. "E nós dizíamos: 'Bem, vamos perder alguns, mas vamos ganhar outros.' Temos que avançar."
Em 1967, os Beatles passaram a correr de uma mídia presa num pânico moral sobre o abraço da droga da geração mais nova, e outros que consideravam o estilo estilizado de Pepper e sugestões de coerência temática como idéias evidentes acima da estação do grupo. O estereótipo de Moptops Lovable morreu duro.
"Sgt. Pepper realmente teve uma crítica terrível no New York Times ", lembra McCartney. "O crítico [Richard Goldstein] disse que odiava, achava que era uma confusão terrível, e então ele estava nas ruas durante toda a semana e ouviu a conversa, ouviu o que as pessoas estavam dizendo, e ele a retomou], depois de uma semana: "Er ... talvez não é tão ruim." Mas estávamos acostumados a isso. como She Loves You  que era 'banal'. Mas se gostamos e pensei que era legal, gostaríamos de ir para ele.
"... quero dizer, George fazendo Within You Without You,", continua McCartney, "um registro completamente índiano - não era nada que ninguém tinha ouvido antes, pelo menos neste contexto. Era um risco, e nós estávamos cientes disso. "
Mas mesmo dado a ascensão subseqüente do Sgt Pepper ao status inigualável, há um aspecto do disco que tem tirado consistentemente as críticas, mesmo (talvez especialmente) dos fãs.,
"A mixagem estereofônica original é um pouco de uma peça de época", admite McCartney. "Você tem a bateria em um canto. você tem os vocais em outro canto. Nós estaríamos em festas, teríamos alguns companheiros e eu iria, 'Ouça a bateria sobre isso, cara!' ... e você não podia ouvi-la. Oh! então lá no outro canto da sala.
Isso foi abordado na reedição do Sgt Pepper que será lançado dia 26 de maio. Um musculoso novo estéreo feito por  Giles Martin que retorna a bateria dos Beatles e vocais para posições centrais que lembra o mono original, e obtém McCartney selo de aprovação.
"" Musculoso "é uma boa palavra", ele concorda. "Soa mais como nós tocamos na sala e mais como nós o pretendemos."
Também em MOJO de todos os ângulos A cobertura do Pepper: Os colegas dos Beatles lembram quando (e onde!) suas mentes sentiram a primeira soprada pelo álbum que iniciou a era do álbum; Nigel Hartnup lembra-se de pressionar o obturador na foto da capa; Jon Savage nos tesouros de Pepper, música por música; Giles Martin justifica sua nova mixagem; e mais!
Também na nova edição da revista MOJO: lembrando Jeff Buckley; Saudando Chuck Berry; Interrogando Christine McVie; e Jack White; Jane Birkin; Paul Weller; Loudon Wainwright III; Otis Redding; Slowdive; e ... Buggles.

fonte: MOJO magazine

Paul McCartney vem ao Brasil em outubro com turnê comemorativa do Sgt. Peppers, diz jornal

Paul McCartney volta ao Brasil em outubro com a turnê em comemoração dos 50 anos do Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, segundo o jornal Estado de Minas.
A apresentação em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, já está marcada para o dia 17 de outubro, no Mineirão. O restante da turnê ainda está em fase de negociação.
De acordo com o jornal O Globo, Salvador (BA), cidade a qual o ex-Beatle nunca visitou, também deve ser incluída no giro pelo país
O roteiro de shows marca a oitava vez de Paul McCartney no Brasil, sendo o que britânico nos visitou durante cinco anos consecutivos, de 2010 a 2014. O ex-Beatle anunciou recentemente que está trabalhando em um novo disco solo
A expectativa do produtor Gegê Lara, da Nó de Rosa Produções, empresa responsável por trazer McCartney é a de que os ingressos comecem a ser vendidos ainda este mês ou no começo de maio

Filme infantil baseado em obra de Paul McCartney fecha com nova produtora

A empresa francesa Gaumont embarcou no projeto de adaptar para os cinemas a obra High in The Clouds, romance infantil escrito por Paul McCartney e Philip, em um filme de animação – será o primeiro feito pela Gaumont nos Estados Unidos, segundo reportou a Deadline
Desde 2013, fala-se sobre a produção, que terá várias canções originais do ex-beatle e participação de Lady Gaga. Inicialmente, High in the Clouds estava nas mãos da produtora RGH Entertainment, que foi fechada recentemente.
Paul McCartney, Michael Lynne e Bob Shaye também atuarão como produtores, em parceria com a Gaumont. Ainda não há mais informações sobre a produção.

Colaboração: Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

quarta-feira, 19 de abril de 2017

George Harrison fala sobre sua "Rocky" Fender Stratocaster


George Harrison tocou um número de guitarras durante seus anos nos Beatles, dos modelos de Gretsch e de Rickenbacker no início a sua famosa FenderTelecaster no final dos Beatles.
Uma guitarra que não se fala muito é a Fender Stratocaster de 1961 de George Harrison que foi tocada a partir de 1965. A guitarra tornou-se uma de suas favoritas.
Na verdade, no clipe provavelmente a partir do início dos anos 90, Harrison discute seu amor pela Fender Stratocaster e diz que ele continuou a usar a guitarra ao longo de sua carreira.
Como o clipe começa, Harrison lembra como, nos primeiros dias dos Beatles, ele teve a chance de comprar uma Stratocaster. Na época, as guitarras feitas pelos americanos eram difíceis de encontrar na Inglaterra. Infelizmente, antes que ele pudesse comprá-la, a Strat foi comprada pelo guitarrista da banda Rory Storm and the Hurricanes, o grupo em que o futuro Beatle Ringo Starr tocava bateria.
"Quando cheguei lá, ela se foi", lembra Harrison. "Fiquei muito desapontado. Isso me assustou pelo resto da minha vida.
Na época, ele disse: "Eu não gostei do som da guitarra que eu tinha. E era um amplificador Vox e uma guitarra Gretsch. [Mas] era uns dias iniciais e nós tivemos a sorte de ter qualquer coisa. "
Eventualmente, Harrison e John Lennon tornaram-se proprietários da guitarra Fender Stratocaster de 1961 com Sonic Blue.A guitarra foi comprada por eles em 1965, enquanto os Beatles estavam gravando seu álbum Help! No clipe, Harrison diz que as guitarras foram compradas durante a gravação do Rubber Soul, mas ambas as guitarras fizeram suas primeiras aparições em "Ticket to Ride", de 1965 quando Harrison usou sua Stratocaster extensivamente em Rubber Soul, também a partir de 1965, incluindo na faixa "Nowhere Man". Ele continuou a usar nos restantes dos álbuns do grupo.
Em 1967, quando a cultura hippie se tornou dominante e os Beatles começaram a tomar LSD, Harrison pintou sua Stratocaster com tinta Day-Glo fluorescente e apelidou de "Rocky".
"Durante 1967, todos começaram a pintar tudo", diz Harrison, "e eu decidi pintá-la. Eu tinha um pouco de tinta Day-Glo, que era uma invenção bastante nova naqueles dias, e simplesmente me sentei numa tarde da noite e fiz isso. "(Harrison aponta que alguns dos esmaltes de sua ex-esposa Patti Boyd foram usados ​​para pintar a guitarra fez aparições naquele ano na performance ao vivo dos Beatles de "All You Need Is Love" no programa Our World, o primeiro programa global de TV via satélite, e no filme Magical Mystery Tour, no segmento da música,“I Am the Walrus".
Por volta de 1969, Harrison começou a usar Rocky para tocar slide e recebeu conselhos de Ry Cooder sobre como configurá-la. Infelizmente, o clipe termina abruptamente com uma edição de Harrison falando sobre a venda da música dos Beatles para a CBS.
Você ler mais sobre a Rocky e outras guitarras de George Harrison aqui!

fonte: Guitar World

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Documentário sobre Sgt Pepper será lançado em DVD e Blu-ray

Em 1º de junho de 1967, os Beatles lançaram o que seria o primeiro álbum conceitual do mundo, SGT. PEPPER S LONELY HEARTS CLUB BAND. Descrito pela revista Rolling Stone como o mais importante álbum de rock & roll já feito ... o álbum não só mudou o curso da música, mas passou a se tornar um dos maiores registros de vendas de todos os tempos. Apresentando entrevistas com ex-funcionários, músicos, membros da família e jornalistas, e apoiado por uma vasta gama de imagens originais e exclusivas nunca vistas antes, o filme oferece uma visão fascinante sobre os anos 60 e os 12 meses em torno do lançamento do álbum 
Examinando a desilusão da banda com a turnê, sua mudança de relacionamento com o gerente Brian Epstein e o advento do Summer Of Love, este rockumentário repleto de estrelas oferece uma fascinante visão sobre a criação e gravação de um dos álbuns mais inovadores e influentes na história do pop. 
Extras do DVD:1) Liverpool/London Introduced by Alan G. Parker 2) Director and Producer interviews 3) The Bootleg Beatles 4) Andy Peebles John Lennon Interview December 80 5) Pete Best Interview at The Hard Day's Night 6) Julia Baird (John Lennon's sister) Interview 7) John Lennon Blue Plaque 8) The Merseybeat 9) Ringo archive
Documentário com 129 minutos com 2 discos em DVD ou Blu-ray que será lançado em 03 de julho de 2017 de acordo com a Amazon.

sábado, 15 de abril de 2017

Giles Martin fala sobre a nova edição de 50 anos do Sgt Pepper




A revista Rolling Stone visitou os estúdios para uma prévia da nova edição comemorativa dos 50 anos do Sgt Pepper entrevistando Giles Martin,""As paredes absorvem música." disse ele.
A caixa tem takes alternativas de cada canção - em alguns casos, drasticamente diferentes e todas as revelações oferecendo insights sobre o mais lendário de todas as  obras-primas do rock. É a primeira vez que os Beatles abriram seus cofres e lançaram novas gravações desde Anthology.
O novo remix tem sido almejado pelos chefes dos Beatles, que sempre se queixaram da mixagem estéreo.A versão mono foi o que George Martin, o engenheiro Geoff Emerick e a banda passaram semanas mixando - mas a versão estéreo foi lançada sem os Beatles estarem lá na sala. "Eles estavam tentando criar este mundo imersivo que o estéreo não tinha", diz Giles Martin agora. "Ninguém deu muita atenção à mixagem estéreo. O que fizemos foi descobrir o que eles estavam fazendo na mono e aplicá-la em estéreo."
"Meu pai, especialmente em Pepper, era quase como uma antena parabólica que conseguiu capturar todas as suas idéias e esmagá-las até este pequeno pedaço de plástico preto que mudou a maneira como as pessoas ouvem música" disse Giles.
Mas os verdadeiros tesouros são as 34 faixas bônus, que vão deslumbrar beatlemaniacs mais fanáticos.Sem novas músicas, nenhum sinal da mítica jam psicodélica perdida "Carnival of Light" ("Não é realmente parte do período do Pepper"), mas os takes alternativas estão cheias de descobertas; Horas de música nova de Beatle que dá um gosto de quantos tesouros permanecem guardados. Não é apenas valor histórico - é uma experiência de audição surpreendente. Aqui estão apenas 10 dos momentos mais reveladores. 
1. "A Day in the Life": the "hum" session 
O final original, com os Beatles que zumbiam o acorde final famoso antes que decidiram fazê-lo com pianos preferivelmente. Como Martin diz: "Eles gravaram 'A Day in the Life' sem o final - eles sabiam que iriam resolver sobre o acorde E, mas seu primeiro plano era ter um coro cantando". Os Beatles se reuniram no microfone para zumbir o acorde final juntos, como John dizendo a todos, "Você tem a nota? Pare de pânico!" Eles fizeram os overdubs com as vozes em um coro cheio cantarolando o acorde - mas como Martin diz: "Eles perceberam que não era um final muito bom."
2. "A Day in the Life": the piano takes
O épico colapso do piano final exigiu uma série de takes com os Beatles e seu companheiro Mal Evans mexendo em cada piano em Abbey Road. Paul chama, "Você tem o seu pedal para baixo, Mal? O direito?" Eles tentam bater todos os pianos juntos como Paul contando no 1-2-3 ("Eu não vou dizer quatro - basta imaginar"). Demora algumas tentativas - até que eles pregam o acorde instantaneamente reconhecível que termina o álbum.
3. "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band"
A canção temática começa como uma longa e crua confusão de guitarras, estendendo-se no final enquanto Paul diz: "I feel it, I feel it, oh baby I feel it, I feel freeeee now, gotta get freeee now".
4. "Penny Lane""Penny Lane", é claro, foi a segunda música gravada para as sessões de Pepper em novembro de 1966, mas foi descartada do álbum final depois de aparecer como um single de fevereiro de 1967 junto com "Strawberry Fields Forever". As novas versões incluem uma esplêndida versão em estilo Pet Sounds, liderada pelo piano e o harmonium de Paul, mas o melhor é um backing vocal que é Paul e George fazendo palmas e harmonias que não fizeram a versão final. O duo oferece comentários sobre a música como ele constrói, com George fazendo suas sugestões. ("Devo fazer essa harmonia?") Em um ponto, George brinca, "Isso vai ter uma bateria de trás para frente." Paul responde: "Encoraja a batida do tambor".
5. "Lucy in the Sky With Diamonds," Take One
No primeiro take, John conduz a canção na guitarra acústica - "a diiie-rect injection", como o chama - quando Paul segue no teclado elétrico. O vocal de potência bruta de John é um mundo distante do sonho etéreo da versão final. 
6. "Within You Without You"
Uma versão inicial onde George dá instruções verbais aos músicos indianos sobre como ele quer que eles toquem ("OK, o principal é o momento") e eles dão-lhe seu feedback. Diz Giles Martin: "Meu pai disse que George era como assistir alguém fazendo um tapete, linha por linha, pensando em cada pedaço."

7. "Getting Better"O primeiro take é uma aproximação totalmente diferente à canção - Paul conduz no teclado Wurtlitzer para um ataque mais aggressivo. John lhe dá algumas sugestões sobre o vocal principal: "Cante, você sabe, 'I gotta admit' e tudo isso - corretamente, se você pode cantar."
8. "With a Little Help From My Friends"
Uma take adiantado com Paul que conduz no piano, apoiado por John na guitarra e por George no cowbell. A famosa linha de baixo ainda está para vir; A meio caminho, Paul realmente começa freestyling no piano. "Você pode dizer quando Paul fica entediado com o take", diz Giles Martin. "Quando ele chega ao ponto em que ele percebe que não é o take final, é quando ele começa a experimentar idéias para o próximo take."
9. "Fixing a Hole"Muito mais rocking do que a versão do álbum, com Paul tentando uma abordagem de R & B para o cravo e Ringo solto na bateria. Como em tantas destas versões alternativas, a bateria inventiva de Ringo é uma revelação. (E as pessoas pensaram que este era apenas o álbum onde Ringo passou as sessões aprendendo a jogar xadrez.) A banda toca até que Paul anuncia: "E é isso".
10. "Sgt Pepper (Reprise)"
Eles gravaram essa no Studio One, em vez de seu habitual Studio Two, uma das razões que sempre foi a faixa de Pepper com a sensação mais espontânea de banda ao vivo. Paul se maravilha com o novo ambiente - "todas as formas ao redor do estúdio, e todas aquelas bolhas lá e solavancos lá" - como você pode ouvir todos os quatro músicos para o então-raro desafio de fazer uma jam juntos. "É só meninos em uma sala fazendo barulho", como Giles Martin brinca - mas, como todos esse outtakes do Pepper, é um marco de como inovador e inspirador que o ruído poderia ser.

Colaborações: Eric Bourgouin o correspondente na estrada do Canadá e Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

O álbum Ringo's Rotogravure será relançado

De acordo com o amigo e colaborador Leonardo Conde,o álbum Ringo's Rotogravure será relançado pela Atlantic Records dia 21 de abril em CD.
O álbum foi lançado em setembro de 1976 e saiu em CD em 1992 mas ficou fora de catálogo até hoje.
Essas são as faixas:
1-A DOSE OF ROCK 'N' ROLL (Carl Grossman) 3:24
.participação de Peter Frampton na guitarra,John no piano (não creditado) e Dr John nos teclados
2-HEY BABY (Margaret Cobb/Bruce Channel) 3:10
3-PURE GOLD (Paul McCartney) 3:13
.Paul e Linda McCartney nos Backing vocals
4-CRYIN' (Vini Poncia/Richard Starkey) 3:17
5-YOU DON'T KNOW ME AT ALL (Dave Jordan) 3:15
6-COOKIN' (IN THE KITCHEN OF LOVE) (John Lennon) 3:37
.participação de John Lennon no piano,Dr John na guitarra e Melissa Manchester nos backing vocals
7-I'LL STILL LOVE YOU (George Harrison) 2:56
8-THIS BE CALLED A SONG (Eric Clapton) 3:13
.participação de Eric Clapton nas guitarras
9-LAS BRISAS (Andrews/Richard Starkey) 3:33
.Nancy Andrews era a namorada de Ringo na época
10-LADY GAYE (Vini Poncia/Richard Starkey/Clifford T. Gaye) 2:56
.participação de Dr John nos teclados e Harry Nilsson nos backing vocals
11-SPOOKY WEIRDNESS (uncredited) 1:15
.faixa sem créditos apenas sons bizarros no estúdio
Mais informações sobre esse álbum AQUI! 

Colaboração: Leonardo Conde de Alencar o DJ e historiador dos Beatles

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Ringo Starr fala sobre Justin Bieber

Richard Starkey, ou mais conhecido por Ringo Starr , o antigo baterista dos Beatles foi confrontado com uma questão bastante peculiar aquando jantava com um amigo especial, em Los Angeles.
O baterista dos Beatles,Ringo Starr, foi confrontado com uma pergunta hipotética à saída de um jantar com o antigo guitarrista dos Eagles, Joe Walsh. Se algum dia te perguntares: “Quem será maior, o Justin Bieber ou os Beatles?” – a resposta pode parecer bastante óbvia.
No entanto, foi feita a questão: “Se os Beatles e Justin Bieber andassem juntos em uma turnê, no topo da sua forma, qual deles abriria o espetáculo?” – Ringo respondeu à altura. “Seria o Justin. Beatles serão sempre maiores. Mas adoramos o Justin.” – disse.

Colaboração: Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

fontes: My Way ou TMZ

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Morre David Peel aos 73 anos

David Peel, o cantor de rua e ativista político de Nova York conhecido por suas canções sobre a maconha e John Lennon, morreu quinta-feira (6 de abril), seu amigo de longa data e ex-colega Jeff S. Levy, que o conheceu por mais de 40 anos confirmou a Billboard. Ele tinha 73 anos.
Peel sofreu um ataque cardíaco em massa em 31 de março. "Ele era como um irmão mais velho para mim", diz Levy.
Peel, nome verdadeiro David Rosario, lançou seus dois primeiros álbuns, The American Revolution e Have a Marijuana pela Elektra Records em 1968 e 1970, respectivamente. Peel se encontrou com Lennon e Yoko Ono quando eles moravam em Greenwich Village em 1972.

De acordo com o biógrafo de Lennon Ray Coleman, Peel se apresentou dizendo: "Olá, meu nome é David Peel e eu trabalho para a Elektra Records". Lennon disse a um entrevistador que o observava enquanto conversava com uma multidão: "Ele estava gritando:" Por que você tem que pagar para ver estrelas? " E estando no meio da multidão envergonhado, penso: "Ele deve estar falando sobre mim, ele deve saber que estou aqui".
De acordo com Coleman, Lennon lembrou-se e Ono juntou Peel para cantar nas ruas. "Foi arranjado para nós encontrá-lo, mas pareceu um acontecimento," Lennon disse. "E ele estava de repente lá e nós começamos a cantar com ele na rua, e nós fomos movidos pela polícia, e era tudo muito maravilhoso, era isso. Ele era um cara tão grande, você sabe. Nós amamos sua música E seu espírito e tudo ... Toda sua filosofia de rua e tudo mais.

Peel assinou com Apple Records e gravou um álbum produzido por Lennon e Ono chamado The Pope Smokes Dope que foi lançado em 1972 e imediatamente causou controvérsia por causa de seu título. Peel também fez uma aparição no álbum produzido por Lennon Elephant's Memory para a banda que apoiou Lennon. Dois de seus álbuns ecléticos estiveram na Billboard 200 coomo Have a Marijuana atingiu o n º 186 em 1969, enquanto The Pope Smokes Dope atingiu o nº 191 em 1972.
Em 1974, Peel começou seu próprio selo, Orange Records, onde lançou seu próprio álbum e os de outros, incluindo GG Allen. Seus últimos álbuns solo incluíram homenagens a Lennon: John Lennon for President  e John Lennon Forever, além de Bring Back The Beatles e Long Live The Grateful Dead. Peel continuou vivendo em Nova York até sua morte, diz Levy, e seu ativismo político nunca parou. Em 2012, ele foi entrevistado pelo The New York Times como um defensor de ocupar Wall Street. Ele disse ao The Times que planejava continuar cantando "até o dia em que eu cair morto e ir para o céu do rock 'n' roll". Uma reedição de The Pope Smokes Dope, que estava em andamento antes da morte de Peel, está agora no limbo, diz Levy.

Colaboração: Eric Bourgouin o correspondente na estrada do Canadá

fonte: Billboard

Morre o apresentador Brian Matthew

O veterano apresentador Brian Matthew morreu aos 88 anos, segundo a família.
Matthew foi uma vez apelidado de DJ mais velho da Grã-Bretanha, tendo trabalhado na BBC de 1954 a 2016, apresentando Sounds Of The 60s da Rádio 2 desde 1990.
Como apresentador de TV em Thank Your Lucky Stars, Matthews apresentou os Beatles e os Rolling Stones a uma audiência televisiva.
Na semana passada, a BBC erroneamente anunciou sua morte, liberando uma declaração em nome da família dizendo que o apresentador havia morrido.
Em seguida, emitiu uma segunda declaração, dizendo: "Fomos informados por familiares e amigos que Brian tinha falecido durante a noite,mas permanece gravemente doente.

"Nossos pensamentos permanecem com sua família neste momento muito difícil."
Nascido em setembro de 1928 na cidade de Coventry, o veterano apresentador começou sua carreira no exército, trabalhando como apresentador de programas e apresentador de notícias na Rede de Forças Britânicas na Alemanha do pós-guerra.
Ele foi retirado pela BBC no início deste ano contra os seus desejos, enquanto ele estava fora do show se recuperando de uma queda.
Foi sucedido por Tony Blackburn, e convidado eventualmente para uma série de especiais após uma petição que foi assinada por 5.000 pessoas para voltar ao ar.
"Eu estava pronto e disposto e capaz de voltar", disse ele na época.
"Eu gostei muito de fazer o show, eu fiz isso por 25 anos, eu me sinto muito desconcertado, devo dizer."
Ele voltou para a BBC e apresentou seu programa de rádio final em 25 de fevereiro de 2017.
Brian Matthew apresentadou vários programas na rádio BBC como Saturday Club, Easy Beat, Top Gear e Top Of The Pops. Ajudou muito os Beatles no início.

E uma rara entrevista em 1964,Ringo comenta que está compondo Don't Pass me By e o Paul canta um pedaço da letra. E ela só ficaria pronta 4 anos depois!

Os Beatles lançaram os álbuns Live At The BBC em 1994 e o volume 2 em 2013 com vários participações de Brian Matthew.ele esteve na conferência de imprensa com George Martin em 1994 para o lançamento.

Colaboração: Leonardo Conde de Alencar o DJ e historiador dos Beatles 

fonte: Sky News