sexta-feira, 30 de agosto de 2019

A BBC radio 2 vai homenagear os 50 anos do Abbey Road com especiais

A BBC Radio 2 celebrará o 50º aniversário do álbum Abbey Road dos Beatles com uma estação pop.
Transmitindo de 26 a 29 de setembro, o Radio 2 apresentará programas liderados por Gary Barlow, John Bishop, Martin Freeman, Guy Garvey, Dave Grohl, Giles Martin, Cerys Matthews e Paul Merton, juntamente com os apresentadores do Radio 2, incluindo Zoe Ball, Sara Cox e Jo Whiley.
A estação irá homenagear os Beatles como um grupo, artistas individuais e compositores. Todos os shows ao vivo na Radio 2 serão transmitidos diretamente da Abbey Road, ao lado de especiais pré-gravados e conteúdo clássico dos Beatles do arquivo da BBC. Alguns programas serão transmitidos simultaneamente na Rádio 2 e na BBC Sounds.
Lewis Carnie, chefe da Rádio 2, disse: “Os Beatles estão entrelaçados no tecido da cultura britânica. Eles inspiraram e continuam a inspirar artistas de todas as gerações e criaram algumas das músicas mais amadas do mundo. Como o álbum Abbey Road tem 50 anos, estou muito satisfeito que o Radio 2 esteja comemorando os Fab Four com uma estação de rádio DAB de quatro dias. ”
Os destaques do programa incluem We Write The Songs, em que Gary Barlow entrevista Paul McCartney sobre a música. Na série, My Beatles, Dave Grohl, Jack Savoretti e Tom Odell falam sobre a influência que a música do Fab Four teve sobre eles. A estação pop-up também contará com Martin Freeman apresentando a história do The White Album em dois shows.
Lauren Laverne, apresentadora do BBC 6 Music Breakfast e Desert Island Discs, apresenta Desert Island Beatles, apresentando os muitos convidados que selecionaram um de seus grupos ou discos solo, como uma faixa obrigatória. Enquanto isso, Liza Tarbuck conhece o artista pop e designer da capa do Sgt Pepper, Sir Peter Blake.
Barlow disse: “Foi uma honra absoluta que Paul McCartney, um dos meus verdadeiros heróis e um gênio lendário das composições, concordasse em falar em profundidade sobre seu trabalho para a série We Write The Songs da Rádio 2. Este episódio em particular é realmente uma masterclass do master! Estou emocionado por lançar minha primeira série na rede como parte do Radio 2 , que parece ser quatro dias de rádio imperdível. ”
As Rádio 2 e BBC Sounds, transmitindo ao vivo pelos estúdios de Abbey Road na manhã de quinta-feira, o Radio 2 Beatles será lançado por Ken Bruce. Seu show contará com um especial Tracks Of My Years, com temas dos Beatles, e um questionário sobre o PopMaster. Mais tarde naquele dia, Jo Whiley apresentará seu programa noturno da Radio 2 ao vivo na Abbey Road com apresentações ao vivo e convidados muito especiais.
Na sexta-feira, o dia começa com o The Zoe Ball Breakfast Show, com uma sexta-feira especial da Friends Round, incluindo músicas de Rick Astley. Mais tarde naquele dia, Guy Garvey se juntará à BBC Concert Orchestra e a uma lista de artistas convidados - incluindo Cerys Matthews, Katie Melua, Mark King, do Level 42 - para apresentar músicas de todo o catálogo dos Beatles.
Outros shows incluem o ator Himesh Patel, a estrela do filme Yesterday, contando a história por trás de Abbey Road, o último álbum gravado da banda. Em outra parte da programação, Guy Chambers analisa o gênio de suas letras e melodia.
A Radio 2 Beatles também encomendou uma tabela especial da Official Charts Company. The Beatles Downloaded: O Top 60 oficial do Reino Unido será revelado nas tardes de sábado e domingo (17 a 19), com Janice Long e o apresentador do Radio 1 Breakfast Show, Greg James, contando as músicas mais baixadas e transmitidas dos Beatles no Reino Unido.
O Radio 2 Beatles segue estações pop-up DAB da rede, incluindo o Radio 2 Eurovision (2014 e 2015) e o Radio 2 Country (2015, 2016 e 2017).

source: Music Week e BBC

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

DIÁRIO DOS BEATLES *10 YEARS*10 ANOS*10 AÑOS*

Eu gostaria de agradecer aos colaboradores do grupo Diary Of The Beatles que ajudam nesse blog e os leitores que durante esses anos tem apreciado as informações mantendo a história dos Beatles para futuras gerações.
*
I would like to thank the collaborators of the Diary Of The Beatles group who help in this blog and the readers who during these years have enjoyed the information keeping the Beatles story for future generations.
*
Me gustaría agradecer a los colaboradores del grupo Diary Of The Beatles qiue ayudan en ese blog y los lectores que durante estos años han apreciado la información manteniendo la historia de los Beatles para futuras generaciones.

Obrigado Thanks Gracias

Breno Augusto

Contra a vontade de George,Paul fez o solo em "Taxman"

Enquanto George Harrison trabalhava para aumentar sua posição nos Beatles, encontrava resistência de John Lennon e de Paul McCartney. George Martin, o estimado produtor da banda, tinha suas próprias dúvidas sobre George na época.
As coisas vieram à tona durante as sessões de "Taxman", a faixa que abre o álbum Revolver. Embora George tenha escrito a música e fosse o guitarrista principal da banda, Paul tocou o famoso solo de guitarra nela.
Geoff Emerick, que se tornou o engenheiro chefe dos Beatles no Revolver, lembrou-se da tensão no estúdio durante as sessões de "Taxman" em seu livro Here, There and Everywhere. Quando George não conseguia fazer o solo de guitarra depois de "algumas horas", Paul e George Martin expressaram frustração.
A visão de Geoff Emerick oferece um vislumbre da posição de George Harrison na banda naquele momento. "Afinal, essa era uma música de George Harrison e, portanto, não era algo que alguém estivesse preparado para gastar muito tempo", escreveu Geoff. Não vendo saída,George Martin "diplomaticamente" disse que Paul deveria tentar.
"Pude ver pela expressão no rosto de George Harrison que ele não gostou nem um pouco da idéia, mas ele concordou com relutância e desapareceu por algumas horas", escreveu Geoff. Quando George finalmente tinha uma música abrindo um álbum dos Beatles, ele tinha o solo retirado dele.
Obviamente, o tempo no estúdio era limitado, então você podia ver por que George Martin o queria fora do caminho. George nem conseguia tocar o solo a meia velocidade e, considerando que ele passou o dia inteiro em um solo de guitarra, os Beatles precisavam seguir em frente.
Ainda assim, era incomum para Paul assumir a guitarra principal de seu companheiro de banda - especialmente em uma música importante para George. Anos depois,George Harrison reconheceu que Paul acertou em cheio. "Fiquei satisfeito com o fato de Paul tocar essa parte da 'Taxman'", disse ele. "Se você notar, ele estava um pouco indiano nela para mim."
Sentado na sala de controle,Geoff Emerick não pôde deixar de concordar. "O solo de Paul era impressionante em sua ferocidade - sua guitarra tocava fogo e energia que seu companheiro de banda mais jovem raramente combinava - e foi realizado em apenas um ou dois takes"

source: Cheat Sheet

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Ringo Starr se apresentou em Phoenix

Ringo Starr se apresentou dia 26 de agosto em Phoenix no Arizona no Celebrity Theatre.
Além do palco ser no meio da pláteia ele fica girando.

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Ringo Starr se apresentou em Santa Fé

Ringo Starr se apresentou dia 25 de agosto em Santa Fé no Novo México na Santa Fe Opera House durante sua turnê pelos Estados Unidos

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

A traição de um colega com George Harrison pela My Sweet Lord

Em 1994, Paul Cashmere entrevistou George Harrison e foi a única entrevista que ele fez com a Austrália na década anterior à sua morte prematura em 2001.
Nessa entrevista,George comentou sobre a traição de um colega pelo processo da música My Sweet Lord,por plágio da música He's So Fine e se isso afetou sua maneira de compor as músicas:
"Isso realmente não afetou minhas composições. Eu gravei “This Song”, que foi meio que um comentário sobre a situação. O que realmente me decepcionou foi quando você tem um relacionamento com uma pessoa e ela acaba te traindo, porque toda a história de "My Sweet Lord" é baseada nesse colega chamado Allen Klein, que administrou os Beatles por volta de 1968 ou ' 69, até 1973. Quando elas fizeram uma queixa sobre "My Sweet Lord", ele era meu gerente de negócios. Ele foi quem lançou "My Sweet Lord" e coletou 20% de comissão no disco e foi ele quem conseguiu os advogados para me defender, e fez uma entrevista na "Playboy", onde ele falou sobre como a música não era nada como a outra música. Mais tarde, quando o juiz me disse para resolver com elas (The Chiffons), porque ele não achava que eu havia roubado conscientemente a música delas, elas estavam fazendo um acordo comigo quando de repente pararam o acordo, algum tempo passou e eu descobri o porquê pois Allen Klien tinha contornado a porta dos fundos, enquanto isso o demitimos. Ele passou pela porta dos fundos e comprou os direitos da música "He's So Fine" para continuar com um processo contra mim. Ele, por um lado, estava me defendendo, depois trocou de lado e continuou com o processo e toda vez que o juiz dissesse qual era o resultado, ele apelaria e ele continuaria apelando e apelando até chegar à suprema corte. Quero dizer, essa coisa durou 16 anos ou mais, 18 anos, e finalmente acabou e o resultado é que eu possuo “My Sweet Lord” e agora possuo “He’s So Fine” e Allan Klien me deve como trezentos ou quatrocentos mil dólares porque ele pegou todo o dinheiro nas duas músicas, é realmente uma piada, é uma piada total.
Definitivamente, há um livro, porque agora com qualquer tipo de lei referente à violação de direitos autorais, eles sempre citam este caso. Tornou-se o precedente em todos esses livros de estudantes de direito."
In 1994 Paul Cashmere interviewed George Harrison and was the only interview he had with Australia in the decade before his untimely death in 2001.
In this interview, George commented on a colleague's betrayal of the process of the song My Sweet Lord, for plagiarism of the song He's So Fine and if it affected his way of composing the songs:
"It didn’t really effect my songwriting. I did record “This Song” which was kind of a comment about the situation. The thing that really disappoints me is when you have a relationship with one person and they turn out to betray you, because the whole story of “My Sweet Lord” is based upon this fellow Allan Klein, who managed the Beatles from about 1968 or ’69, through until 1973. When they issued a complaint about “My Sweet Lord”, he was my business manager. He was the one who put out “My Sweet Lord” and collected 20% commission on the record and he was the one who got the lawyers to defend me, and did an interview in “Playboy” where he talked about how the song was nothing like the other song. Later, when the judge in court told me to settle with them , because he didn’t think I’d consciously stolen their song, they were doing a settlement deal with me when they suddenly stopped the settlement, some time elapsed, and I found out that this gut Klien had gone around the back door, in the meantime we’d fired him. He went round the backdoor and bought the rights to the one song “He’s So Fine” in order to continue a law suit against me. He one one hand was defending me, then he switched sides and continued the law suit and every time the judge said what the result was, he’d appeal, and he kept appealing and appealing until it got to the supreme court. I mean this thing went on for 16 years or something, 18 years, and finally it’s all over with and the result of it is I own “My Sweet Lord” and I now own “He’s So Fine” and Allan Klien owes me like three or four hundred thousand dollars cause he took all the money on both songs, it’s really a joke, it’s a total joke.
There’s definitely a book, because now with any kind of law pertaining to infringement of copyright, they always quote this case. It’s become the precedent in all these law students books."

source: Noise 11

sábado, 24 de agosto de 2019

A primeira audição da edição de 50 anos do ábum Abbey Road

Embora o catálogo dos Beatles já tenha sido revisitado várias vezes - primeiro em CD nos anos 80, depois na série de raridades “Anthology” nos anos 90, depois em edições estéreo meticulosamente remasterizadas nos anos 2000, depois em mono e agora em Edições do 50º aniversário - cada uma revelou surpresas tentadoras para os fãs de longa data.
E como evidenciado por uma prévia da edição de aniversário de Abbey Road na segunda-feira dia 19 - que foi remixado por Giles Martin, em estéreo, estéreo de alta resolução, surround 5.1 e Dolby Atmos, e será lançado em 27 de setembro. - havia muitas surpresas deliciosas à espreita nas mixagens anteriores, e muitos outtakes que não fizeram as rondas. Os remixes revelam muitos elementos ocultos nas músicas - principalmente os sutis, mas emocionantes para os fãs - e apenas dois dos lançamentos foram lançados anteriormente, e em versões ligeiramente diferentes.
A maior parte do novo remix do álbum foi tocado, juntamente com partes do mix especial "Dolby Atmos" - e ouvi-lo através do sistema de som alucinante da Dolby 24 Screening Room em Nova York é um cenário privilegiado que não será recriado na maioria dos lares dos mortais. Com essa ressalva, soa impressionante: o remix coloca o ouvinte no centro da música, com os elementos tão familiares do som dos Beatles - as harmonias vocais de tirar o fôlego, as guitarras elétricas rosnantes, a bateria de Ringo estourando e as impressionantes faixas de reprodução de graves  de Paul McCartney- movendo-se de um alto-falante para o outro com fluidez.
"Abbey Road" é ​​indiscutivelmente o álbum dos Beatles mais limpo e organizado, e o novo remix o coloca em um alívio dramático: os vocais em "Because" e as cordas arrebatadoras em "Something" (o último dos quais foi tocado isoladamente durante esta sessão em Nova York) nunca pareceu tão completo e intocado.
O material não lançado é igualmente fascinante. Foi ao ar nesta sessão uma versão estonteante e estendida de "I Want You (She’s So Heavy)", de John Lennon, que encontra o grupo aprofundando no rock mais pesado, enquanto o tecladista convidado Billy Preston se afasta do órgão. Também foi tocada uma versão inicial de "Octopus 'Garden", perto da final, mas com algumas brincadeiras inestimáveis ​​entre os companheiros de banda. Quando a cena termina, Lennon brinca com Ringo: "Eu pensei que você estava prestes a cantar 'In an octopus’ garden with John", rindo. O segmento termina com Ringo brincando sobre o motivo do take imterropido: "Talvez eu tenha chegado cedo demais ... ou talvez você tenha chegado!"
O set se concentra não apenas no álbum, mas também nos singles gravados durante suas sessões, e as primeiras versões de "The Ballad of John and Yoko" e "Old Brown Shoe" estão incluídas no set, assim como as demos de Paul McCartney de "Goodbye" ”(Gravado em casa no violão) e“ Come and Get It ”(dados às artistas da Apple, Mary Hopkin e Badfinger, respectivamente). Como as sessões de "Abbey Road" se sobrepuseram às de "Let It Be" - que foram gravadas antes, mas lançadas depois de "Abbey Road" - algumas outras gravações contemporâneas serão incluídas na reedição de aniversário, que não foi oficialmente anunciada, mas todo mundo sabe que está recebendo o tratamento do 50º aniversário no próximo ano.
Entretanto, a edição de aniversário de “Abbey Road” oferece algumas surpresas maravilhosas, mesmo para quem já ouviu o álbum centenas de vezes.
Texto de Jem Aswad

Comentário:
O Giles Martin infelizmente não pôde comparecer a esse evento pois se machucou tendo problema no tendão de Aquiles depois de jogar tênis.Melhoras!

source: Variety

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

A última sessão de fotos dos Beatles completa 50 anos

No dia 22 de agosto de 1969 os Beatles se encontraram em Tittenhurst Park para uma última sessão de fotos. 
Foi também a última ocasião em que todos os quatro membros estavam juntos para os deveres da banda; depois disso, suas únicas reuniões eram relacionadas a negócios.
"Foi apenas uma sessão de fotos. Eu não estava lá pensando: 'OK, esta é a última sessão de fotos." Ringo Starr para o Anthology
As filmagens aconteceram na casa e nos terrenos da casa de Tittenhurst Park,de John Lennon e Yoko Ono, em Sunninghill, perto de Ascot, Berkshire. O casal havia se mudado no início do mês em 11 de agosto, apesar de terem comprado a propriedade de 72 acres em 4 de maio de 1969.
A sessão de fotos aconteceu dois dias após a sessão final de gravação. Os fotógrafos foram Ethan Russell e Monte Fresco, com fotos adicionais tiradas pelo assistente dos Beatles, Mal Evans. Algumas filmagens de baixa qualidade também foram filmadas, algumas das quais supostamente foram exibidas no programa da BBC Two Arts Late Night Line-Up em 19 de setembro de 1969, durante um especial do Abbey Road.
"Linda filmou em 16mm da minha câmera. Isso acabou sendo o último filme feito."
Paul McCartney para o Anthology
Yoko Ono e Linda McCartney que estava grávida apareceram em algumas das fotografias. Também na sessão estavam o assessor de imprensa da Apple Corps, Derek Taylor, e o cão pastor de Paul McCartney, Martha.
Várias fotografias estavam sendo tiradas em vários locais da casa e ao redor da propriedade. Lennon e George Harrison usavam chapéus de abas largas em algumas das fotos.
A sessão começou em frente à casa principal, com os Beatles de pé junto aos pilares sob o dossel do terraço.
As imagens, destinadas a serem utilizadas como fotos publicitárias, proporcionariam um delimitador final para o seu tempo juntos.
Fotos dos Beatles na grama alta e entre as árvores de cedro chorões foram utilizadas para cartazes e capas de livros.Um retrato do quarteto alinhados em frente a sala de reunião da Tittenhurst terminou como a capa do álbum "Hey Jude", lançado nos EUA em fevereiro de 1970.
Haveria algumas reuniões de negócios, mas Lennon calmamente deixaria o grupo em setembro.Paul McCartney,George Harrison e Ringo Starr posteriormente convocados para gravar algumas partes finais para o álbum 'Let It Be' em seguida, McCartney anunciou a separação oficial em 10 de abril de 1970. 
Estas fotos, sabemos agora,que marcou a última vez que os Beatles eram os Beatles.

Paul McCartney perdeu a batalha para podar árvores

Paul McCartney perdeu uma batalha com os chefes do conselho para podar árvores protegidas no jardim de sua casa em Londres.
Ele apresentou dois pedidos no mês passado para cortar várias árvores em sua casa Regency de £ 10 milhões, com três andares, no centro de Londres, depois de perceber que seu jardim estava muito escuro e não recebendo luz suficiente.
Estes incluem cortar a coroa fina de uma árvore de vidoeiro, um Hornbeam e dois Sycamores para permitir mais luz no jardim das traseiras de acordo com as aplicações apresentadas ao seu conselho local junto com três limeiras protegidas na frente de sua propriedade.
Mas os chefes do conselho criticaram a estrela e disseram-lhe que os trabalhos no jardim dos fundos não poderiam prosseguir depois de não dar ao conselho detalhes suficientes sobre o que ele pretendia fazer com eles.
Em uma carta enviada à oficial de planejamento de 76 anos, Rosalie Dobson, disse: 'Eu me refiro à sua proposta de trabalhos de árvore propostos no local acima.
'Estou escrevendo para informar que sua inscrição está incompleta pelo (s) seguinte (s) motivo (s): 1 Você não forneceu uma declaração clara das razões do trabalho proposto para cada uma das árvores em sua inscrição.
Declarações como "boa prática arborícola" ou "manutenção" são muito vagas.
"Em vez disso, tente resolver os problemas específicos de cada árvore".
Por favor, envie esta informação no prazo de 28 dias a contar da data desta carta.
'O seu pedido só será avançado quando todas as informações solicitadas forem recebidas.
"Se não recebermos as informações necessárias dentro deste prazo, não tomaremos nenhuma outra providência em relação à sua solicitação."
No entanto, na semana passada, McCartney cancelou as obras para árvores no quintal várias semanas depois que o conselho se recusou a continuar com o requerimento sem mais explicações, enquanto o conselho deu o consentimento para que ele podasse três cales na frente de sua propriedade.
Em um aviso de decisão emitido ontem, o Conselho de Westminster acrescentou: 'Os trabalhos propostos para T4, T6, T7 e T5 (proteção de área de conservação somente) foram removidos de sua inscrição, conforme acordado por e-mail em 15 de agosto de 2019. registros são atualizados e seus agentes informados.
Isso ocorre apesar de um aplicativo de planejamento separado que mostrar trabalhos pendentes para o jardim dos fundos.
Um vizinho disse: 'Muitas árvores aqui são protegidas porque a área está em uma área de conservação especialmente protegida onde o desenvolvimento é cuidadosamente controlado.
'Tem sido difícil obter o consentimento de planejamento para podar até mesmo árvores no passado nesta área.
"Eu posso entender se McCartney precisa de mais luz em seu jardim, já que não é bom ter um jardim escuro, especialmente no verão, quando você quer aproveitar o clima quente."
O músico, de 76 anos, comprou a propriedade em St. John's Wood, Londres, em 1966, pagando £ 40.000 ao seu antigo dono, o médico Desmond O'Neill.
De acordo com relatos anteriores, pouco depois de McCartney se mudar para a propriedade, os fãs dos Beatles mantinham uma vigília do lado de fora 24 horas por dia e ocasionalmente encontravam o caminho para dentro.

source: Daily Mail UK

PEOPLE comemora o 50º aniversário do Abbey Road dos Beatles com Edição Especial

Em uma nova edição especial, a PEOPLE marca meio século desde os últimos dias dos Beatles no estúdio
1969. Antes do final do ano, provamos que você poderia colocar um homem na lua. Você poderia reunir meio milhão de pessoas em nome da paz e da música. Mas você não poderia, por amor ou dinheiro, manter juntos quatro jovens que estavam superando a banda que mudou a cultura para sempre.
O último ano da década de 1960 foi tão ocupado pelos Beatles quanto tumultuado. Dentro de 12 meses eles gravariam dois álbuns: Abbey Road - comemorando o 50º aniversário de seu lançamento nos EUA em outubro, e Let it Be, com um filme que documentou tanto a luta quanto o gênio presentes no estúdio. Individualmente, John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr e George Harrison perseguiram vidas separadas. Dois deles casados; um se tornou pai; todos eles prepararam suas estréias solo pós-Beatles. Mas antes de seguirem seus próprios caminhos, começaram o ano com um eletrizante show ao vivo - o primeiro desde 1966 - em um telhado de Londres.
Em uma nova edição especial, a PEOPLE marca meio século desde os últimos dias dos Beatles com uma coleção íntima de fotos, além de uma olhada nas inspirações e legados de Abbey Road e um olhar de música a música nas 17 faixas do álbum. Já se perguntou quem ou o quê inspirou o homicida de Maxwell Edison e seu martelo? Ou como a ausência de ar e o clima frio de Londres forçaram George Harrison a escrever "Here Comes the Sun"? Temos as respostas e uma análise detalhada de cada música.
"Passamos semanas dizendo: 'Por que não chamamos de Billy’s Left Foot?' E coisas assim, e então Paul apenas disse: 'Por que não chamamos de Abbey Road?', Disse Ringo sobre como a banda que veio com o nome do álbum.
Mais: Uma olhada no verdadeiro estúdio Abbey Road que inspirou a imagem da capa que foi tirada em 8 de agosto de 1969, em locação em Londres. Até hoje, a famosa faixa de pedestres atrai centenas de fãs e turistas ano após ano.
Finalmente, a edição inclui uma reflexão sobre Woodstock em seu 50º aniversário. A edição especial repleta de fotos inclui um portfólio de lembranças do festival de Nova York - quando a paz, a música e a lama prevaleceram. Enquanto não havia Beatles, outros artistas como Jimi Hendrix, o Who, Janis Joplin e muitos outros artistas se apresentaram. Os Beatles teriam sido convidados para o festival, mas as datas conflitavam com a gravação do Abbey Road. Ainda assim, o encontro histórico de meio milhão de pessoas pela paz e pela música atraiu-as. "Woodstock, a Ilha de Wight - todas as reuniões de massa dos jovens - é completamente positivo para mim ... quando você mostra sua bandeira, você não está sozinho", disse Lennon em 1969.
A edição especial da PEOPLE, The Beatles: 1969, está disponível agora na Amazon e em qualquer lugar onde as revistas são vendidas.

source: PEOPLE

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Há 50 anos,os Beatles apareceram juntos pela última vez em Abbey Road

No dia 20 de agosto de 1969,tendo começado a trabalhar nisso seis meses antes, os Beatles finalmente terminaram I Want You (She's So Heavy), de John Lennon, neste dia. Foi também a última ocasião em que todos os quatro membros do grupo estiveram juntos nos estúdios do Abbey Road.
O dia foi dividido em duas sessões separadas. O primeiro aconteceu entre as 14h e as 18h na sala de controle do estúdio três. Uma edição reuniu a gravação de 22 a 23 de fevereiro de I Want You (She's So Heavy) feita no Trident Studios e na versão de 18 de abril feita na EMI.
De acordo com o livro de Mark Lewisohn ''The Beatles Recording Sessions: The Official Abbey Road Studio Session Notes, 1962-1970", o grupo tinha dado os últimos retoques em seus overdubs nos dias anteriores. Assim, a primeira parte do dia, uma sessão de três horas e meia, foram gastas mixando "‘I Want You (She’s So Heavy).'A faixa com instruções do John Lennon, foi compilado a partir de duas versões diferentes da mesma master,uma das quais tinha o sintetizador Moog e ruído cruzaram sobre o fim instrumental e a outra continha alguns overdubs de guitarra. 
A edição foi relativamente fácil; que foi feito no silêncio às 4:37 depois de cantar "She’s so …" Mas então eles tiveram que descobrir como acabar com oito minutos e quatro segundos de música. Ao invés de disfarçá-la, Lennon queria cortar a fita para criar um certo fim abrupto na marca de 7:44, o equivalente com alguém tivesse puxado o plug. 
"Nós estávamos dando os retoques finais daquele lado do LP e estávamos ouvindo a mixagem. John disse 'lá! Corta a fita lá '. Geoff [Emerick] cortou a fita e foi isso. Fim do lado um!" Alan Parsons, engenheiro no livro de Mark Lewisohn ''The Beatles Recording Sessions: The Official Abbey Road Studio Session Notes, 1962-1970"
Quando isso foi concluído,das 18h às 1h15 da manhã seguinte,os quatro Beatles ficaram discutindo a seqüência do álbum. Na época, as músicas ‘Octopus’s Garden’ e ‘Oh! Darling’  estavam em lugares opostos. Mais interessante, os lados foram invertidos, com os famosos medley fechando o primeiro lado e "I Want You (She’s So Heavy)" terminando o álbum. Eles decidiram fazer essas duas últimas alterações pelo tempo que a master final foi estabelecida cinco dias depois.
Embora houvesse subsequentes sessões de gravação, edição e mixagem, tanto para o Abbey Road quanto para o Let It Be, essa foi a última vez em que os Beatles estavam juntos dentro do estúdio. Todos sabiam que Abbey Road seria sua gravação final, e depois dessa data havia pouca necessidade - ou desejo - de todos estarem juntos no prédio onde tanta magia aconteceu desde 06 de junho de 1962.

Paul McCartney faz as próprias palhetas com moedas achatadas nos trilhos do trem

Paul McCartney foi visto deixando uma dúzia de moedas de um centavo na Long Island Rail Road, em Hamptons, Nova York, para que elas fossem achatadas pelos trens e virassem palhetas de guitarra.
Mais tarde, a lenda dos Beatles voltou para recolhê-las.
Uma fonte revelou que, “normalmente, são as crianças que deixam moedas na pista, e não um avô." E concluiu: "Foi só quando ele voltou que a ficha caiu - são palhetas perfeitas."
Dizia-se uma vez que Paul usava unhas de acrílico para impedir que seus dedos sangrassem, mas retornou a uma palheta.
Outros músicos, incluindo Brian May, do Queen, usaram moedas achatadas como palheta porque o metal é forte.
Mas é contra a lei dos EUA para desfigurar a moeda, com uma multa se você tentar gastá-lo novamente.

Colaboração: Claudia Tapety a fã nº 1 de Paul McCartney

domingo, 18 de agosto de 2019

A tensão entre os Beatles,até com um biscoito no álbum Abbey Road

A tensão durante anos de gravações,hotéis,turnês e entrevistas desgastam qualquer pessoa imagine então uma banda,que até uma simples coisa podia ser uma razão para uma discussão.
E isso aconteceu com os Beatles por causa de um simples "biscoito!"
Cinco décadas após os Fab Four decidirem jogar a toalha e parar de se apresentar como um grupo, o humilde digestivo foi descoberto como o catalisador chave nos cantores de She Loves You sofrendo uma queda irreparável.
No entanto, em uma nova entrevista com o engenheiro de som Geoff Emerick para marcar os 50 anos desde o lançamento do álbum dos Beatles no qual os garotos trabalharam juntos,o Abbey Road.
“Nunca me ocorreu que estávamos trabalhando no último álbum dos Beatles”, lembra Geoff Emerick, o engenheiro de som que esteve no estúdio para a primeira sessão dos Beatles e agora supervisionou este epitáfio para sua incrível carreira.
“Nós nos acostumamos com as dificuldades. Muitas vezes, a melhor maneira de fazer um disco era que cada membro trabalhasse sozinho. ”
Gravação do álbum Abbey Road ocorreu em julho e agosto de 1969, com alguns trabalhos preliminares estabelecidos no início do ano. Como sempre, cada Beatle - inclusive Ringo - trouxe suas composições para o estúdio para serem avaliadas, incluídas ou descartadas.
Quando John e Yoko estavam ausentes, o clima diminuiu, os outros membros da banda ficavam rindo e curtindo os overdubs no Octopus’s Garden, a única contribuição vocal de Ringo para o álbum.
Incontáveis ​​horas foram gastas aperfeiçoando o som dos Beatles. Para a faixa Because, George Martin criou harmonias complexas de nove partes que os músicos ensaiaram "20 ou 30 vezes", de acordo com Geoff Emerick, para garantir que fossem perfeitas.
Voltando a sua mente para a gravação do álbum, Geoff lembrou como as coisas começaram a esquentar quando Yoko recebeu uma cama no estúdio de gravação.
“De queixo caído, vimos quando foi trazido e cuidadosamente posicionado pelas escadas… Mais homens apareceram com lençóis e travesseiros e sombriamente fizeram a cama. Então Yoko entrou ”, ele contou ao Express.
Com o canto do olho, pude ver que Paul, Ringo e George estavam tão chocados quanto eu. No mês seguinte, Yoko morou naquela cama ”, continuou ele.
Ele então relembrou como a Yoko dava feedback sobre a música que os Beatles estavam fazendo - e ficou com os integrantes da banda quando ela se referiu a eles como “Beatles”, não como “The Beatles” - com o engenheiro de som dizendo que se lembrava de Paul dizendo: são os Beatles, amor”, com Geoff acrescentando:“ Mas ela persistentemente o ignorou. ”
As tensões continuaram a aumentar, com Paul e John aparentemente se recusando a permitir que o outro cantasse em certas partes de certas faixas - e se recusando a dar crédito ao trabalho de cada um.
Mas as coisas ficaram irrevogavelmente azedas quando George Harrison rotulou furiosamente a Yoko um “B *** h” quando “ele a viu roubando um dos biscoitos que ele escondia em cima de seu armário da Leslie”.
Geoff relembrou: "A essa altura, sempre que os quatro estavam juntos, era como uma caixa de pólvora e qualquer coisa poderia detoná-los - até mesmo algo tão idiota quanto um biscoito digestivo!"
Para a faixa The End, no estúdio 2 eles foram, e por um breve momento um quarteto novamente. Yoko foi deixada para trás na sala de controle, enquanto John, Paul e George amarraram suas guitarras e se lançaram em uma troca de riffs que alguns fãs acreditam que exemplifica a poderosa irmandade dos Beatles. Paul levou, George seguiu, então veio John - depois eles foram novamente.
"Por uma hora ou mais que demorou a gravar esses solos, todo o sangue ruim, todos os combates, toda a porcaria que havia caído entre os três ex-amigos se foi", lembrou Geoff Emerick.
“John, Paul e George pareciam ter voltado no tempo, como se fossem crianças de novo, tocando juntos pelo puro deleite.”

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Ringo Starr se apresentou na Filadélfia

Ringo Starr se apresentou dia 14 de agosto na Filadélfia na tradicional casa de espetáculos The Met Philadelphia.
Ele volta a fazer shows nos dias 16,17 e 18 de agosto em Nova York em diferentes locais

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

A paciência de trabalhar na Penny Lane com Paul McCartney

Os Beatles trabalhando em Penny Lane em 17 de janeiro de 1967
"Penny Lane", uma música que não poderia ter vindo de nenhuma outra banda ou ter sido escrita por ninguém além de Paul. O single de 1967, lançado com a impressionante “Strawberry Fields Forever” de John no lado B, é considerado uma das melhores gravações da carreira da banda.
Como você poderia esperar, esse nível de perfeição não foi fácil. A partir do momento em que Paul apresentou a música no estúdio, os engenheiros sabiam que levaria um bom tempo. Acabou levando uma eternidade.
Quando os Beach Boys lançaram o Pet Sounds em 1966, um dos maiores fãs do álbum foi Paul McCartney. Então, quando o produtor George Martin e o engenheiro Geoff Emerick ouviram Paul dizer que ele queria “um som americano realmente limpo” para sua nova faixa, eles não ficaram surpresos.
Geoff Emerick, que contou a história no fascinante livro Here, There e Everywhere, soube como fazer com que Paul soasse. A coisa era, ele também sabia que levaria muito tempo para consegui-lo. “Eu estava convencido de que a melhor maneira de dar a Paul o que ele queria era gravar cada instrumento totalmente por conta própria”, lembrou Emerick.
Normalmente, a banda estabelece uma faixa de ritmo com os instrumentos de apoio (guitarra ou piano, baixo e bateria), em seguida, overdub vocais, solos e outros enfeites. Mas nesse caso, cada parte da seção rítmica teria sua própria sessão. E começou o mais devagar possível.
“Durante dias, os outros se sentaram na parte de trás do estúdio, observando Paul teclando por camada após teclado, trabalhando completamente por conta própria”, escreveu Geoff Emerick. Apenas no início daquele ano,Geof Emerick e os outros chefes dos Beatles quase explodiram quando passaram três dias inteiros gravando "Here, There and Everywhere" de Paul.
Agora Paul estava gastando tanto tempo gravando uma única faixa instrumental. E as sessões estavam apenas começando.

Efeitos sonoros, uma orquestra e um solo especial de trompa o mantiveram por 3 semanas.
Antes da banda mergulhar em "Penny Lane", os chefes do estúdio estavam ansiosos por terem terminado apenas duas músicas nas primeiras três semanas do Sgt. Pepper's. Mas a nova peça de Paul faria esse ritmo parecer rápido.
Nas próximas semanas, depois de tirar os instrumentos rítmicos do caminho, os Beatles passariam uma noite com efeitos sonoros (incluindo o sino do bombeiro);George Martin passaria vários dias escrevendo e organizando uma orquestra; e backing vocals (mais o principal do Paul) iria para a fita.

Mas isso não foi suficiente. Quando todos achavam que tinham uma música final nas mãos, Paul decidiu que ele tinha que fazer com que o trompetista principal da Royal Philharmonic Orchestra colocasse um solo de flauta trompete no álbum.
Como ele fez com um trompista francês durante as sessões do Revolver, Paul ficou nervoso pedindo um solo melhor.
A maioria concordaria que as três semanas foram bem gastas pelos Beatles. Mas não havia dúvidas de que a banda havia mudado. Recentemente, de volta da Índia, George Harrison não se adaptou bem no início. Entediado com toda a gente sentada, ele só contribuiu com uma faixa para as sessões que eventualmente produziram o Sgt. Pepper's.

source: Cheat Sheet

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Ringo Starr se apresentou no Wolf Trap


Ringo Starr está com as turbinas ligadas!!
Ele se apresentou dias 10 e 11 de agosto,no sábado e domingo em Virgínia no Wolf Trap National Park,tipo um parque com teatro onde as famílias podem ficar no gramado fazendo um piquenique com seus filhos e amigos.
Ringo volta a fazer show na terça dia 13 de agosto em Roanoke no Berglund Center Coliseum

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Chefe da EMI disse que os Beatles seriam destruídos em razão da capa do Abbey Road

Photo by Linda McCartney 
John Kosh, o diretor de arte dos Beatles pela Apple Records, relembrou um telefonema no qual ele foi informado de que iria "destruir" a banda com seu design de capa do Abbey Road.
A mensagem irritada veio de Sir Joseph Lockwood, chefe da E.M.I., que acabou descobrindo que o LP iria imprimir sem o nome da banda ou título na capa.
Abbey Road substituiu Let It Be na programação de lançamento dos Beatles apenas dois dias antes de ser definido para ser fabricado. "Nós tivemos um prazo", disse Kosh à Rolling Stone em uma nova entrevista. “Nós tivemos que ir para a imprensa e o álbum estava atrasado e você só tinha que lidar com isso.” Ele tomou a decisão de que a foto da capa, apresentando os membros da banda no cruzamento da Abbey Road em Londres, poderia falar por si. "Nós pensamos, se você não conhecia os Beatles agora, onde você esteve?" Ele explicou, acrescentando que a banda tinha aprovado a idéia.
No entanto, Lockwood não compartilhava sua confiança - ele ligou para Kosh em casa tarde da noite. “Eu ouvi uma série de ofensas que eram impressionantes. Ele estava dizendo que eu destruiria os Beatles porque eu não coloquei o nome deles na capa e ninguém compraria o álbum. Eu estava tremendo depois da ligação.
Na manhã seguinte, ele disse a George Harrison sobre a troca, mas George Harrison disse a ele para não se preocupar e o álbum foi lançado como Kosh havia projetado. Um dos efeitos colaterais foi que a imagem de Paul McCartney sem sapatos ajudou a alimentar o boato de que ele havia morrido e que foi substituído por um parecido. Kosh disse que estava nos escritórios da Apple quando um executivo ligou para McCartney na França para verificar se ele ainda estava vivo e recebeu uma resposta: "Foda-se".

domingo, 11 de agosto de 2019

Ringo Starr se apresentou em Nashville

Ringo Starr se apresentou dias 07 e 08 de agosto em Nashville no Ryman Auditorium com a sua All Starr Band.
Esta turnê que cobrirá todo os Estados Unidos e que começou no Canadá por todo mês de agosto comemora os 30 anos da Ringo Starr & His All Starr Band.
Próximos shows serão dias 10 e 11 de agosto no Wolf Trap em Virgínia.

sábado, 10 de agosto de 2019

George Harrison falou sobre seu primeiro lado A dos Beatles com "Something"

Os Beatles lançaram versões alternativas de "Something", de George Harrison, ontem dia 08 de agosto.

"Something" foi a única vez em que os Beatles atribuíram a George um Lado A.

Quando George foi entrevistado em 1994, ele disse que, como compositor, isso o deixava frustrado, uma vez que Paul e George tinham menos prioridade. "Não foi tanto o lado" A "de um single, mas foi frustrante, por vezes, quando tivemos que percorrer milhões de" Maxwell’s Silver Hammer’s "antes de podermos chegar a um dos meus. Você sabe, porque acho que agora, quando você olha retrospectivamente, havia algumas músicas minhas que eram boas o suficiente, ou melhor, do que a do Paul ou John escreveram ocasionalmente. Mas você sabe, é assim que foi. Isso não me incomoda realmente. Eu estava apenas em espera por um tempo ”.

George também confirmou que "Something" não foi escrito sobre sua então esposa Patti. Ele estava pensando em Ray Charles quando ele escreveu. “Eu acabei de escrevê-la e então alguém montou um vídeo e o que eles fizeram, foram eles e fizeram algumas filmagens minhas e Patti, Paul e Linda, Ringo e Maureen, foi na época, e John e Yoko e acabou fazendo um pequeno vídeo para acompanhar, então todos presumiram que eu escrevi sobre Patti, mas na verdade, quando eu escrevi, eu estava pensando em Ray Charles ”, disse ele.

source: Noise 11

Paul McCartney vai assinar o novo livro Hey Grandude! na loja Waterstones em Londres

Paul McCartney participará de uma rara assinatura na filial da Piccadilly da loja Waterstones em Londres, ao lado da ilustradora Kathryn Durst, para celebrar seu novo livro infantil em 6 de setembro às 16 horas.
Durante a aparição especial, McCartney vai ler a história de "Grandude" - "um super vovô que leva seus netos em uma turnê mágica e misteriosa, de mares tropicais a montanhas alpinas, tudo antes de dormir!"
A notícia foi compartilhada na conta oficial do Twitter de McCartney (8 de agosto), no mesmo dia do 50º aniversário do icônico álbum de fotos "Abbey Road" dos Beatles.
Os ingressos estarão à venda na segunda-feira, dia 12 de agosto, às 10h da manhã. Mais informações AQUI
O tweet compartilhou um link para o site de McCartney, onde fãs e clientes terão a chance de comprar uma quantidade limitada de ingressos para participar do evento com até dois filhos ou netos para conhecer o cantor e compositor e ter uma cópia de Hey Grandude. ! assinado pessoalmente.

source: NME

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

A edição de 50 anos do álbum Abbey Road

A Apple Corps Ltd./Capitol/UMe anunciaram hoje oficialmente a edição de 50 anos do álbum Abbey Road que será lançado dia 27 de setembro de 2019 com vários formatos.
Os pacotes, que serão lançados , contarão com as 17 faixas recém-mixadas pelo produtor Giles Martin e o engenheiro de mixagem Sam Okell em estéreo, alta resolução, surround 5.1 e Dolby Atmos. Além disso, haverá 23 gravações de sessão e demos, que na maior parte não foram lançadas.
"A jornada de gravação dos Beatles passou por muitas reviravoltas, aprendendo curvas e emocionantes atrações", escreveu Paul McCartney no prefácio dos pacotes da edição de aniversário. "Aqui estávamos - ainda imaginando a magia de tudo isso."
"A magia vem das mãos tocando os instrumentos, a mistura das vozes dos Beatles, a beleza dos arranjos", disse George Martin. "Nossa missão é simplesmente garantir que tudo soe tão fresco e te atinja tão forte quanto seria no dia em que foi gravado."
O álbum seguinte de Abbey Road, Let It Be, de 1970, foi o último disco banda a ser lançado, mas Abbey Road foi o último que John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr e George Harrison gravaram juntos como um grupo.
O conjunto super deluxe incluirá 40 faixas em três CDs e um disco Blu-ray, enquanto a coleção de áudio digital Super Deluxe apresentará todas as 40 faixas para download e compra. O conjunto de caixa de vinil Deluxe de edição limitada apresenta todas as 40 faixas da coleção Super Deluxe em três LPs de vinil de 180 gramas.
A nova edição estará disponível no dia 26 de setembro nos Estados Unidos e dia 27 de setembro no Reino Unido.
Veja todas as listas de faixas abaixo.
SUPER DELUXE [3CD+1Blu-ray set; digital audio collection]

Disc 1: 2019 Stereo Mix

1. Come Together
2. Something
3. Maxwell’s Silver Hammer
4. Oh! Darling
5. Octopus’s Garden
6. I Want You (She’s So Heavy)
7. Here Comes The Sun
8. Because
9. You Never Give Me Your Money
10. Sun King
11. Mean Mr Mustard
12. Polythene Pam
13. She Came In Through The Bathroom Window
14. Golden Slumbers
15. Carry That Weight
16. The End
17. Her Majesty

Disc 2: Sessions

1. I Want You (She’s So Heavy) (Trident Recording Session & Reduction Mix)
2. Goodbye (Home Demo)
3. Something (Studio Demo)
4. The Ballad Of John And Yoko (Take 7)
5. Old Brown Shoe (Take 2)
6. Oh! Darling (Take 4)
7. Octopus’s Garden (Take 9)
8. You Never Give Me Your Money (Take 36)
9. Her Majesty (Takes 1–3)
10. Golden Slumbers/Carry That Weight (Takes 1–3 / Medley)
11. Here Comes The Sun (Take 9)
12. Maxwell’s Silver Hammer (Take 12)

Disc 3: Sessions

1. Come Together (Take 5)
2. The End (Take 3)
3. Come And Get It (Studio Demo)
4. Sun King (Take 20)
5. Mean Mr Mustard (Take 20)
6. Polythene Pam (Take 27)
7. She Came In Through The Bathroom Window (Take 27)
8. Because (Take 1 – Instrumental)
9. The Long One (Trial Edit & Mix – 30 July 1969)
(Medley: You Never Give Me Your Money, Sun King, Mean Mr Mustard, Her Majesty, Polythene Pam, She Came In Through The Bathroom Window, Golden Slumbers, Carry That Weight, The End)
10. Something (Take 39 – Instrumental – Strings Only)
11. Golden Slumbers/Carry That Weight (Take 17 – Instrumental – Strings & Brass Only)

Blu-Ray:

Audio Features:

- Dolby Atmos
- 96kHz/24 bit DTS-HD Master Audio 5.1
- 96kHz/24 bit High Res Stereo (2019 Stereo Mix)
DELUXE 3LP VINYL BOX SET (limited edition)

LP ONE: Side 1 (2019 Stereo Mix)

1. Come Together
2. Something
3. Maxwell’s Silver Hammer
4. Oh! Darling
5. Octopus’s Garden
6. I Want You (She’s So Heavy)

LP ONE: Side 2 (2019 Stereo Mix)

1. Here Comes The Sun
2. Because
3. You Never Give Me Your Money
4. Sun King
5. Mean Mr Mustard
6. Polythene Pam
7. She Came In Through The Bathroom Window
8. Golden Slumbers
9. Carry That Weight
10. The End
11. Her Majesty

LP TWO: Side 1 (Sessions)

1. I Want You (She’s So Heavy) (Trident Recording Session and Reduction Mix)
2. Goodbye (Home Demo)
3. Something (Studio Demo)
4. The Ballad Of John And Yoko (Take 7)
5. Old Brown Shoe (Take 2)

LP TWO: Side 2 (Sessions)

1. Oh! Darling (Take 4)
2. Octopus’s Garden (Take 9)
3. You Never Give Me Your Money (Take 36)
4. Her Majesty (Takes 1–3)
5. Golden Slumbers/Carry That Weight (Takes 1–3) / Medley)
6. Here Comes The Sun (Take 9)
7. Maxwell’s Silver Hammer (Take 12)

LP THREE: Side 1 (Sessions)

1. Come Together (Take 5)
2. The End (Take 3)
3. Come and Get It (Studio Demo)
4. Sun King (Take 20)
5. Mean Mr Mustard (Take 20)
6. Polythene Pam (Take 27)
7. She Came In Through The Bathroom Window (Take 27)
8. Because (Take 1 Instrumental)

LP THREE: Side 2 (Sessions)

1. The Long One (Trial Edit & Mix – 30 July 1969)
2. Something (Take 39 – Instrumental – Strings Only)
3. Golden Slumbers/Carry That Weight (Take 17 – Instrumental – Strings & Brass Only)
DELUXE 2CD

Disc 1: 2019 Stereo Mix

1. Come Together
2. Something
3. Maxwell’s Silver Hammer
4. Oh! Darling
5. Octopus’s Garden
6. I Want You (She’s So Heavy)
7. Here Comes The Sun
8. Because
9. You Never Give Me Your Money
10. Sun King
11. Mean Mr Mustard
12. Polythene Pam
13. She Came In Through The Bathroom Window
14. Golden Slumbers
15. Carry That Weight
16. The End
17. Her Majesty

Disc 2: Sessions

1. Come Together (Take 5)
2. Something (Studio Demo)
3. Maxwell’s Silver Hammer (Take 12)
4. Oh! Darling (Take 4)
5. Octopus’s Garden (Take 9)
6. I Want You (She’s So Heavy) (Trident Recording Session & Reduction Mix)
7. Here Comes The Sun (Take 9)
8. Because (Take 1 Instrumental)
9. You Never Give Me Your Money (Take 36)
10. Sun King (Take 20)
11. Mean Mr Mustard (Take 20)
12. Polythene Pam (Take 27)
13. She Came In Through The Bathroom Window (Take 27)
14. Golden Slumbers/Carry That Weight (Takes 1–3 / Medley)
15. The End (Take 3)
16. Her Majesty (Takes 1–3)
STANDARD [1CD; digital; 1LP vinyl; limited edition 1LP picture disc vinyl]

2019 Stereo Mix

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Há 50 anos,os Beatles tiravam fotos para a capa do Abbey Road

Todos os quatro Beatles se reuniram na EMI Studios na manhã de sexta-feira, 8 de agosto de 1969, para uma das mais famosas sessões de fotos de sua carreira. O fotógrafo Iain Macmillan tirou a imagem icônica que apareceria em seu último álbum gravado, o Abbey Road.
Aqui está uma fotografia tirada no mesmo dia, mostrando a travessia vazia.
Iain Macmillan era fotógrafo freelancer e amigo de John Lennon e Yoko Ono. Ele usou uma câmera Hasselblad com uma lente grande angular de 50mm, abertura f22, a 1/500 segundos.
Antes da filmagem, Paul McCartney fez um esboço para a capa, à qual Macmillan acrescentou uma ilustração mais detalhada.
Enquanto o grupo aguardava do lado de fora do estúdio pelo início das filmagens, Linda McCartney tirou várias fotos extras.
Um policial segurou o tráfego enquanto Macmillan, de uma escada posicionada no meio da estrada, tirou seis fotos antes que a paciência de Lennon acabasse."Nós pretendíamos gravar, não posar para fotos", ele murmurou.
Os Beatles atravessaram várias vezes enquanto Macmillan os fotografava. 8 de agosto era um dia quente no norte de Londres e, para quatro das seis fotografias,Paul McCartney andou descalço; para as outras duas ele usou sandálias.
Logo após as filmagens,Paul McCartney olhas as fotos e escolheu a quinta foto para a capa do álbum. Foi a única quando todos os quatro Beatles estavam andando no tempo. Também satisfez o desejo dos Beatles de que o mundo os visse saindo dos estúdios que haviam passado tanto dos últimos sete anos dentro.
Macmillan também tirou uma foto de uma placa de rua nas proximidades para a capa de trás do álbum. A placa foi substituída desde então, mas estava situada na esquina da Abbey Road e Alexandra Road. A junção não existe mais; a estrada foi posteriormente substituída pelo conjunto habitacional Abbey Road, entre a Boundary Road e a Belsize Road.

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Os Beatles gravando e as fãs invadiram os estúdios da Abbey Road

Todo fã dos Beatles já viram fotos e videos de fãs tentando agarrar os Beatles ou na ficção do filme A Hard Day's Night,o que para os Beatles já era natural.
Mas imagine você,dentro do estúdio e do nada o prédio é invadido por várias garotas histéricas gritando.
Em julho, os Beatles eram a força dominante no pop britânico e foram para os estúdios da EMI no Abbey Road para gravar seu próximo single. Antes da sessão de gravação, a banda tirou algumas fotos publicitárias do lado de fora.
Depois que eles foram trabalhar na gravação, eles experimentaram o tipo de cena mais tarde encontrado em A Hard Day’s Night. Na verdade, naquele dia, quando estavam prestes a gravar “She Loves You”, fãs gritando invadiram o prédio, com uma garota realmente entrando no estúdio.
Dezenas de "garotas gritando histéricas" passaram pela segurança, causando o caos.
Antes de haver a Beatlemania, ninguém esperava que várias fãs de música (principalmente garotas jovens) superassem os detalhes de segurança da banda. Mas em meados de 1963, apenas cinco policiais de Londres conseguiram segurar 100 fãs (ou mais) do lado de fora do estúdio de gravação da banda em Abbey Road.
Quanto ao edifício que abrigava os estúdios da EMI, a segurança era ainda mais fina. Em 1 de julho, com a banda perto de um pico inicial, os cinco policias britânicos e a equipe de segurança da EMI foram simplesmente atropelados por dezenas de fãs determinadas a ver os Beatles.
Geoff Emerick, que mais tarde se tornaria o engenheiro-chefe do Revolver, descreveu a cena caótica em seu livro de memórias, Here, There and Everywhere. Assim que os engenheiros estavam fazendo as verificações do microfone, os roadies dos Beatles entraram e informaram a todos que o prédio era um hospício.
Enquanto John Lennon perguntava sobre o que ele estava falando, “a porta do estúdio se abriu e uma determinada adolescente correu direto para um Ringo de aparência desnorteada.” Felizmente para Ringo, o roadie atacou a garota antes que ela o alcançasse.(como pode ver a foto acima)
Quando eles espiaram porta afora, encontraram "dezenas de garotas histéricas e gritando correndo pelos corredores, sendo perseguidas por um punhado de policias de Londres sem fôlego".
A energia frenética dos Beatles naquele dia empurrou "She Loves You" para o topo.
Enquanto a invasão dos fãs dos Beatles sacudia Brian Epstein (o empresário da banda) e outros encarregados de proteger o grupo, Emerick viu os Fab Four alimentando-se da energia daquele encontro.
"Não tenho dúvidas de que a emoção daquela tarde ajudou a despertar um novo nível de energia no grupo", escreveu Emerick. Enquanto ele considerava “She Loves You” como “fantástico”, ele pensou que a emoção do momento (ou seja, do ascendente dos Beatles) levou-o a um lugar especial.
"Houve um nível de intensidade no desempenho que eu não tinha ouvido antes ... e, francamente, raramente ouvi desde então", lembrou Emerick décadas mais tarde. "Eu ainda julgo que o single seja uma das gravações mais excitantes da carreira inteira dos Beatles."
Naturalmente, "She Loves You" chegou ao primeiro lugar no Reino Unido após seu lançamento em agosto de 1963. Mas mesmo com toda a comoção na Inglaterra, os Beatles viria enfrentar essa cena várias em 1964 depois da explosão nos Estados Unidos.

source: Cheat Sheet